As pessoas que nos fazem bem não são aquelas que têm DINHEIRO. Às vezes, é bem pelo contrário. São essas que humilham, apoiadas a um falso valor humano atrelado à riqueza.

Uma pessoa rica pode usar o dinheiro para validar-se na sociedade exibindo mansões, carros importados e certas extravagâncias, mas jamais conseguirá o verdadeiro carinho dos outros através de sua fortuna, porque o apreço comprado sempre será facilmente falsificado, pois o valor dos verdadeiros sentimentos está na gratuidade com que eles acontecem.

Portanto, não escolha os ricos de dinheiro para dividir sua vida, escolha os ricos de alma.

As pessoas que nos fazem bem não são aquelas que têm PODER. Pelo contrário. Muitas vezes essas pessoas fazem usufruto de sua posição para nos rebaixar e manipular.

Aproveitam-se de seu status, do qual muita gente depende, para tratar os outros do jeito que querem e exigirem o que de fato é injusto, sabendo que a maioria irá se submeter a tal desrespeito para não ter que abrir mão daquilo que lhes interessa ou necessita. Mas não escolha os poderosos para dividir seus melhores momentos, a não ser que o poder seja o do coração.

Para alguém nos fazer bem, é fundamental ter a ALMA BOA.

E pode ter nascido de baixo da ponte ou nem ter braços para nos abraçar, mesmo assim, é capaz de tocar nossa alma com sua gigantesca luz que nos toma e nos enche de uma satisfação inexplicável. Porque o que a gente gosta mesmo é de gentileza, de empatia, simpatia. De quem entende nossos sentimentos e respeita nossos pensamentos.

Não buscamos concordância. O que alivia nosso espírito é ser compreendido pelas pessoas ao nosso redor, cujos corações superam qualquer diferença e não nos julgam porque têm alma divina.

Não precisamos de carona em um carro importado. Nós queremos é parceiros de vida, de verdade, que vão até a pé e nunca nos deixam na mão. Amigos de todas as horas, que não nos abandonam quando nos excedemos ou cometemos nossos erros, mas que tiram nossa cabeça do mundo da lua e trazem nossos pés de volta para o chão.

Não precisamos jantar em restaurantes chiques e caros, porque um cachorro-quente na esquina com alguém que nos faz bem vale muito mais a pena, porque alimenta o nosso coração. Não precisamos visitar mansões se quem nos quer e faz verdadeiramente bem não vive lá.

Até porque muita gente simples abriu mão do luxo porque prefere ajudar os outros.

Não precisamos de joias, mas sim de PESSOAS DE VALOR, que sabem como nos fazer sentir não só feliz, mas confortável onde estamos, queridos por quem nos rodeia e de bem com nós mesmos. Porque essas pessoas, genuinamente boas, relembram e ressaltam nossas capacidades, nossos feitos. Insistem que somos mais fortes do que nós mesmos acreditamos.

Em vez de exibirem seu anel de brilhantes, elas exalam generosidade, respiram compaixão e nos deixam claro como estão atentos ao nosso bem-estar.

São essas pessoas que enchem nosso coração de coragem para correr atrás dos nossos sonhos, superar os desafios e adversidades da vida. É a mão delas que nos ajuda a levantar, a sacudir a poeira e dar a volta por cima.

Elas sempre têm uma doce palavra que toca nossos corações. Que transformam lágrimas em sorrisos. E, para tudo isso, não é necessário dinheiro nem poder, nem luxo ou um carrão, muito menos um colar de pérolas no pescoço, basta ter amor dentro do peito.

As almas que nos trazem paz são aquelas que, quando chegam perto de nós, abrem um delicioso sorriso em nossos corações. Se o faz sorrir, é porque lhe faz bem.

E essas, sim, são as pessoas mais caras, mais valorosas e mais importantes da sua vida. Jamais as deixe escapar, porque o estômago pode até ficar cheio em um restaurante chique, mas o coração, diante do interessismo, permanecerá faminto de amor.

(Fonte: pensadoranonimo.com.br – nós indicamos este site 😉)

Compartilhar

RECOMENDAMOS



Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here