Muitos podem acreditar que o medo de perder o seu parceiro torna o seu relacionamento ótimo, porque você fará sua parte para acertar. Bem, não é assim.

O medo de perder seu parceiro leva você a:

– Não ser você mesmo. Portanto, ser quem não é;

– Seja mais fraco e, como conseqüência, mais suscetível;

– Ofender-se mais facilmente;

-Não ser capaz de ser generoso, porque o medo leva você a pensar apenas em si mesmo;

– Cale a boca durante uma discussão até quando não puder mais;

– Parar de aproveitar o resto da vida, ou pelo menos aproveitar menos.

Em consulta, ouvimos coisas como:

“Eu sei que se ele me deixar, não encontrarei outra pessoa e ficarei sozinha.”

“Não suporto pensar que ela estará com outro.”

“Minha ideia da vida ideal é com minha família, meu marido e meus filhos. Se meu parceiro terminar, não terei mais uma vida ideal”.

“Não suporto pensar que vamos falhar depois de tanto esforço.”

“Todos os meus amigos estão em um casal. O que eu faria sozinho?”

Nenhuma das opções acima é amor ou carinho. É medo, medo da solidão, medo de não atender às expectativas; dependência, possessividade

Não há problema em cuidar da vida como um casal. Mas sem medo. Se cancelamos, começamos a ser maus companheiros.

Algumas idéias que podem nos ajudar a começar a “pensar bem” como um casal:

-A felicidade depende, fundamentalmente, de si mesmo.

-É essencial aprender a ficar sozinho, e estar acompanhado.

-Não precisamos que nosso relacionamento seja “ideal”, apenas seja agradável.

-Nossa vida não deve girar, quase exclusivamente, em torno de nosso parceiro.

-É normal e saudável fazer concessões. Mas não por medo, mas por convicção, por generosidade.

-Querer bem outra pessoa é querer que ela fique bem. Não confunda com possessividade.

-Não é necessário medir continuamente, de maneira obsessiva, o que cada um contribui para o relacionamento. Somente se você tiver a sensação de ser tratado de forma injusta, deverá reagir.

-Não há problema em ter confiança e dizer o que pensa, mas com um propósito, não continuamente e desabafar.

-Estamos com uma pessoa que tem defeitos, como todo mundo. Aceitar e amá-la como ela é é a única maneira inteligente de viver como casal.

-Fazer seu parceiro feliz deve fazê-lo feliz. Se não, talvez não valha a pena seguir adiante.

Se você acha que seu parceiro tira proveito de sua “fraqueza”, tente ficar forte e arrisque terminar.

Se o seu parceiro terminar, a possibilidade de uma nova vida se abre diante de você. Você apenas tem que se aproximar sem medo. A aventura da sua vida continuará.

(Fonte: mundopsicologos)

*Texto traduzido e adaptado com exclusividade para o site Fãs da Psicanálise. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.

Compartilhar

RECOMENDAMOS




Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here