Todos conhecemos a expressão “borboletas no estômago” e todos tendemos a concordar com o que esse sentimento significa para nós em um nível psicológico.

Usamos essa expressão para descrever sentimentos de nervosismo, ansiedade ou excitação. Mas você sabia que as borboletas que você sente no seu “estômago” são na verdade representativas de uma relação complexa e recíproca entre seu cérebro e seu intestino?

Há um crescente entendimento por psicólogos, psiquiatras, médicos e pesquisadores sobre o papel que nossas bactérias intestinais desempenham em nosso humor – principalmente na ansiedade.

As estatísticas de ansiedade são surpreendentes e tendem para o norte a cada ano que passa. Considere estas estatísticas: De acordo com a Associação de Ansiedade e Depressão da América (e NIMH), a ansiedade é a doença mental mais comum na América atualmente.

Estima-se que 40 milhões de adultos (18 anos ou mais) ou 18% da população possuem os sintomas de ansiedade (para não mencionar uma em cada oito crianças). O tratamento da ansiedade é responsável por um terço dos US$ 148 bilhões gastos anualmente em doenças mentais na América.

Em outras palavras, gasta-se US$ 42 bilhões por ano em tratamento de transtornos de ansiedade nos Estados Unidos. As mulheres têm 60% mais chances de desenvolver um transtorno de ansiedade do que os homens. Esses números são assustadores para mim como clínica, mulher e mãe.

A conexão intestino-cérebro. Como funciona?

A relação simbiótica entre nossa saúde intestinal e como nos sentimos é um tópico quente de discussão e pesquisa. Cientistas, médicos e profissionais de saúde mental estão cada vez mais conscientes da importante relação entre o equilíbrio de “bichos” em nosso intestino e como experimentamos nosso cérebro, humor e emoções.

Portanto, antes de começarmos a discutir o que podemos fazer para otimizar esse importante relacionamento, vamos explorar os processos subjacentes.

Do ponto de vista holístico, nosso intestino é conhecido como o “segundo cérebro” e existem razões estruturais / anatômicas para essa referência. O “segundo cérebro”, conhecido cientificamente como sistema nervoso entérico, consiste em bainhas de neurônios localizados nas paredes do intestino.

Referimo-nos a essas bainhas como nervo vago, que vai do esôfago ao ânus, com cerca de nove metros de comprimento. Existem mais de 100 trilhões de células bacterianas contidas no intestino.

Nosso intestino envia muito mais informações ao nosso cérebro do que o contrário.

Quando o equilíbrio precário de bactérias em nosso intestino fica perturbado, muitas vezes experimentamos sintomas associados à Síndrome do Intestino Irritável e outros distúrbios gastrointestinais.

É provável que esses sintomas iniciem como queixas de inchaço, gases, prisão de ventre ou diarreia. Quando isso ocorre, o efeito dominó dos problemas se torna inevitável e, assim, começa os padrões de sintomas em cascata que assolam dezenas de milhões de americanos que lutam com distúrbios relacionados ao trato gastrointestinal.

Devido à interconectividade do cérebro e do sistema nervoso entérico, via nervo vago, uma vez que nossas bactérias intestinais estão fora de controle, somos vulneráveis ​​a um padrão de desconforto emocional, geralmente marcado por episódios crescentes de ansiedade e depressão.

Como nossas bactérias intestinais se tornam tão desequilibradas?

Aqui estão algumas das muitas maneiras pelas quais acidentalmente (e às vezes inevitavelmente) contribuímos para esse padrão de perturbação:Estresse excessivo e não gerenciado;

  • Muito uso de antibióticos;
  • Uso prolongado de esteróides
  • Infecções intestinais
  • Açúcar elevado (dieta pobre em fibras)
  • Consumo regular de álcool

Se você está lendo isso e se identifica com esse conteúdo, incentivo-o a procurar ajuda profissional para entender melhor o que esses sintomas significam para sua constituição única.

(Fonte: heysigmund.com)

*Texto traduzido e adaptado com exclusividade para o site Fãs da Psicanálise. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.

Compartilhar

RECOMENDAMOS



Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here