Ninguém vai te amar até você aprender a amar a si mesmo” é uma frase bastante fácil para se acreditar que é verdade.

Mas é terrível, especialmente quando você tem depressão. E se você nunca aprender? Como uma adolescente, isso me deixava muito preocupada em como seria minha vida como uma adulta. Eu tinha certeza que nunca seria capaz de ter um relacionamento, mas eu estava errada. Honestamente, eu não gosto muito de mim, e para minha surpresa, em agosto de 2013, um garoto ficou perdidamente apaixonado por mim.

Eu tenho lidado com a depressão desde quando me lembro. Já tomei e parei com diversos medicamentos,  fiz terapia   mas ela está viva e bem, confortável em sua casa, dentro dos meus ossos  Eu posso sentir isso todos os dias, pode começar com um pequeno indício que causa dor emocional insuportável nos momentos mais inconvenientes  . Minha depressão não se importa se eu estou em um relacionamento com um rapaz que me faz rir , me diz que eu sou bonita 20 vezes por dia, e se preocupa mais comigo do que qualquer outro garoto já se preocupou. Eu sou grata pelas noites em que ele me conforta enquanto eu choro por horas seguidas sem motivo.Eu sou grata porque ele tolera os meus períodos de irritabilidade sem hora para acontecer.

Ele rapidamente tenta me consolar, se eu de repente me sinto desconfortável quando estamos em público. Ele me enche de esperança para o futuro, quando eu me afundo no mais escuro dos caminhos, brinca com o meu cabelo quando eu não consigo dormir, e me incentiva a comer quando não tenho apetite. Ele cuida de mim e eu nem sequer tive que me explicar ou pedir desculpas. Eu ainda consigo pensar comigo mesmo, nove meses depois de iniciada essa relação : “Uau, alguém está apaixonado por mim”.

“Muitas vezes penso sobre como tenho sorte de ser amada , independentemente das minhas falhas químicas. Este amor intenso é assustador, porque dia após dia, eu fico esperando que uma hora, uma dessas coisas vai empurrá-lo sobre a borda do limite da tolerância. Que na próxima vez  que estiver me revirando na cama, com os olhos marejados, por nenhuma razão, vou acabar por afastá-lo. Eu sei que isso o perturba, e eu tento tranquilizá-lo dizendo através da minha  visão turva e salgada que não é culpa dele. Muitas vezes me sobrecarrego com culpa e odeio que meus sentimentos sobre mim mesmo possam causar alguma dor a ele. Às vezes, ele não se convence facilmente, mas eu tento tão duramente quanto eu posso com a pouca energia que me resta. Algumas de nossas noites terminam em um abraço apertado e um murmurado “me desculpe” saindo dos meus lábios, mas eu sou muito grata que ele ainda tem o prazer de acordar comigo todas as manhãs. Cada dia é uma luta.

Estou constantemente no limite, indo e voltando entre cuidar muito e não se importar com nada, me perguntando quando ele vai se encher disso tudo . Ele é rápido para me lembrar o quanto ele me ama , mas eu sou mais rápida para superar essa confissão com uma dúvida paralisante. Nós dois sabemos que será assim para sempre, e se ele não desistiu ainda, é porque ele está 100% comigo.Nunca deixe ninguém lhe dizer que você não é digno de ser amado, se você não amar a si mesmo.

Nunca deixe ninguém lhe dizer que sua doença mental é a razão pela qual você não está em um relacionamento. Nunca deixe ninguém lhe dizer que você deve sorrir mais , mudar o seu penteado, ou usar roupas mais coloridas. Nunca deixe ninguém fazer você se sentir mal sobre o que você não tem total controle. Alguém vai estar apaixonado por você, independentemente de seu melhor estado de saúde, e se isso acontecer enrolados no chão de seu quarto, chorando enquanto ouve as suas músicas tristes favoritas, então tenha certeza de ter encontrado o amor verdadeiro.

(Autora: Holly Everett)

A tradução, revisão e adaptação foram feitas exclusivamente para o Fãs da Psicanálise pelo nosso colaborador Genaldo Vargas.

Compartilhar

RECOMENDAMOS




Genaldo Vargas
Psicanalista, Palestrante, Professor Universitário, Viajante do mundo, curioso e eterno aprendiz..... É colunista do site Fãs da Psicanálise.

48 COMENTÁRIOS

      • Juliana, sentimos um imenso medo de perder a pessoa, dela nos deixar e piorarmos com a dor do adeus. Sentimos a insegurança quase que sempre e qualquer coisa, qualquer palavra, detalhe, tudo o que seja mínimo, pode nos afetar com tamanha grandeza. E muitas vezes falamos para a pessoa que amamos como ela precisa nos entender. Isso são inúmeras vezes que precisamos falar isso, pq sempre achamos que não estamos falando nada.

        • É a pior incerteza que sentimos. Atualmente não consigo fazer nada, medo toma conta, incerteza do amor do próximo, um grande desconforto no peito com medo de tudo acabar… Não sei o que fazer nessas horas, ainda mais quando não consigo falar com pais ou amigos sobre isso, nem mesmo com minha atual namorada. Meu medo de deixá-la magoada ou com uma impressão diferente de quem sou. Não sei se consigo viver nessa pressão psicológica que me coloco.

  1. Pensei a mesma coisa do outro comentário, na verdade era isso que eu esperava ler, “como é uma pessoa com depressão amar algurm” ao invés de ser amado, todos podemos encontrar alguém que nos ame, mas como fazemos pra retribuir e manter esse amor quando temos depressão, digo por experiência própria de que não sei como fazer isso, seria muito muito interessante um texto assim. Obrigada!

  2. O texto foi muito bom, porém não era o que eu esperava ler, acreditei que fosse um texto sobre como alguém com depressão pode amar outra pessoa, ser amado todos podem ser, mas como alguém com depressão pode amar e conseguir manter o amor por outra pessoa, pq por experiência própria eu posso dizer que não tenho idéia de como fazer isso. Obrigada!

  3. O texto perdeu o encanto quando mudou da linguagem intimista para a generalista da auto – ajuda, oferecendo uma resposta mágica para um problema que parece insolúvel ( a insuportável depressão da personagem ), mesmo com o poderoso “solvente” amor.
    Se a busca da personagem apenas sugerisse a “mágica resposta”, como apenas um caminho a seguir, ou a possibilidade de um destino, aceitando aos poucos o amor oferecido pelo namorado, faria com que a “viagem” da leitura fosse mais interessante que a chegada ao destino.

  4. Que lindo o texto. Confesso que esse é um dos meus maiores medos, de nunca me sentir amada por causa da minha depressão. Tenho medo até de fazer amizades por causa disso, imagina entrar em um relacionamento.

  5. Adorei, pois era justamente o que esperaav saber de um relacionamento com alguem que tem depressão, o quanto o outro pode te cobrar algo e ter chamar até de agressiva etc
    Gostei de saber que aguém especial pode estar o nsooso lado.

  6. Claro que é possível ser amado tendo depressão. Difícil é, depois de tantas noites com crises, o outro permanecer junto. Quando o outro, apesar do amor, não aguenta mais. Quando o amor não basta. Quando a sua doença vira motivo pra acusações, traição, cobrança do que não está sob seu controle. E como é difícil pra quem tem a depressão amar essa pessoa, apesar de tudo, e ainda conviver com suas crises pessoais.

    • Eu passei por isso. Fui deixava pelo meu namorado, depois de um ano e meio de namoro. Ele era a melhor pessoa pra mim mesmo eu tendo uma depressão difícil de lidar. Mas por fim, ele não suportou e me deixou. Eu o amo, e me sinto profundamente culpada e infeliz por te-lo perdido por eu ser depressiva. Não consigo viver com essa culpa. O que eu faço?

      • Pamela, amiga não se culpe, isso só irá piorar as coisas pra você, imagino como deve ter sido difícil o término desse relacionamento, mas não se culpe por ser assim , ninguém pede pra ser depressivo, mas quando somos , temos que aprender a lidar com isso , questionar e se culpar só te trará mais dor e sofrimento, falo por experiência própria. Não sei se você faz algum tratamento, se não seria bom procurar ajuda de um especialista, tentar saber a raiz dessa depressão e ver qual tratamento será mais eficaz pra você. E em relação ao rapaz que te deixou acredito que ele era muito apaixonado, porém eu não acho que o que ele sentia era Amor de verdade, pois o verdadeiro Amor tudo espera, tudo crê, tudo suporta. Eu falo isso porque estou em um relacionamento sério a quase 3 anos e antes mesmo de começar a namorar meu noivo já sabia dos meus problemas e crises ele já era meu melhor amigo , e sempre me ajudou com as crises, e quando começamos a namorar ele foi provado, pois tive uma das piores crises da minha vida, o primeiro ano de relacionamento foi muito turbulento, mas em momento nenhum ele desistiu, ele entrou nessa batalha junto comigo e juntos temos lutado e vencido pra glória de Deus, não vou dizer que é fácil, mas não é impossível! Por mais difícil que seja é possível sim amar e ser amado quando se tem depressão. Eu desejo de coração que você possa ter alguém pra ajudar a lutar também, que não desista nunca. Espero ter ajudado de alguma forma, que Deus a abençoe!

        • Sua historia me deu um pouco mais de alivio rsrs… tenho uma namorada estamos juntos um pouco mais de 3 anos, e a uns 6 meses atras ela começou a ter essa depressão, o namoro foi esfriando esfriando e chegou em um ponto que ela quis terminar, porém muito descontrolada e chorando muito, vi que não estava certo, conversamos e resolvemos dar um tempo, mas sempre juntos, ficamos assim um mês e ela foi me contando o que estava acontecendo e foi quando percebi realmente que ela estava com depressão…agora já tem uns dois meses que isso aconteceu, ainda estamos juntos… não é fácil a situação, mais como vc disse quando se ama tudo espera, tudo crê, tudo suporta… Com muita fé em Deus , to seguindo essa vida, esperando com fé e paciência e tudo que eu posso fazer nesse momento e dar apoio e ajuda-la e quando ela tiver bem resolvemos nosso namoro.
          Foi muito bom ver a sua historia.

      • Oi sei que é difícil, minha namorada terminou comigo e ela sofre se depressao , mas não se sinta culpada em parte vc fez sua parte infelizmente ele não suportou, mas tenha fe e não fique se culpando pois vc não escolheu viver com depressão fica em paz

  7. Eu esperava ler como uma pessoa com depressão ama. Não, eu não tenho depressão, mas meu namorado tem. E, estando do lado de cá, gostaria de entender como as coisas funcionam do outro lado.
    Se alguém pudesse me responder aqui msm nos comentário, eu adoraria.

    • Olá! Tenho depressão desde a adolescencia, e ja tive alguns relacionamentos… e o que posso te dizer, é que amoooo demais meu marido e me dói muito não conseguir ser uma mulher melhor pra ele. E o que me mantem amando-o cada vez mais é justamente o carinho e cuidado que ele tem por mim, me faz me sentir segura… nada melhor do que ter carinho e apoio.
      Não sei se consegui explicar bem… qualquer coisa pode me perguntar o que quiser, ta?! Eu ando querendo fazer um canal justamente pra falar sobre como é viver com essa , desculpe, maldita depressão… vejo que muitas pessoas tem muitas duvidas sobre essa doença e principalmente como lidar com pessoas que tem. o que acha?

  8. Era tudo que eu precisava ouvir/ler hoje. Tenho depressão e muitas vezes me pergunto se alguém vai um dia gostar de mim mesmo com toda essa minha inconstancia de emoções. Hoje mesmo pensava “para alguém me amar é necessário que eu ame a mim mesma, mas eu não me amo. não suficiente.” e esse texto foi a resposta que Deus me mandou para tais pensamentos. A quem quer que tenha feito esse texto, obrigada. Está perfeito, não há nada que precise mudar e que ele continue motivando mais pessoas por aí assim como remotivou hoje.

  9. Quando li os comentários sobre o texto com as pessoas falando “é lógico que você pode ser amado quando está com depressão, gostaria de saber como é uma pessoa com depressão ama alguém”, queridos não é lógico para uma mente com depressão que você pode ser amado, pelo contrário, você duvida até que a sua sombra possa te deixar sozinho, imagina alguém amar você? você é um que? um nada, um lixo, por que alguém iria querer enfrentar todas as dificuldades por você? Então não é fácil você aceitar e muito menos acreditar que alguém possa te amar. “AAAH, mas existem seus familiares e seus amigos que te amam”, NÃO, em nossa cabeça estamos sozinhos e as pessoas tem somente pena, porque amor é uma palavra muito forte para ser dirigida ao um ser inútil que ninguém vai sentir falta se morrer. “AAAAAAAAAAAH, mas se você não se ajudar, não se amar nunca irá sarar” LÓGICO eu curto sofrer por isso escolhi ter depressão, PARE, depressão é uma doença, já chegaram a me falar que era graça e que sarava com uns tapas, ignorantes apenas, doença se cura com remédio e com tratamento. E não é apenas levantar e sair sorrindo saltitante pelo mundo, não é fácil nem para quem esta com depressão e nem para as pessoas que estão ao seu redor lembro que quando eu estava encolhidinha em um canto em um momento de crise chorando, um ex namorado me disse “você é louca deveria procurar um psiquiatra”, CERTO, me ajudou muito, me senti mil vezes mais lixo, mas com isso eu aprendi a diferença de quem me ama e quem não passa de um ser ignorante, quando comecei a namorar meu marido, minha depressão piorou, pois meu primo que eu tanto amava faleceu, minha cabeça ficava “por que ele morreu? quem tinha que morrer sou eu, eu queria morrer, ele não, ele queria viver para conhecer o filho dele, as pessoas vão sentir falta dele, eu vou, mas de mim ninguém sentiria, então eu deveria ter morrido e não ele”, minhas crises ficaram mais constantes, me exclui mais do mundo e para ajudar meu remédio tinha acabado, minha psiquiatra estava de férias, certa noite eu tive a pior crise, meu peito doía tanto, não suportava, comecei a me machucar para a dor do peito ser menor que a dor física, meu namorado (atual marido) me segurou, começou a chorar e pediu para que eu parasse, entendo que ele não tinha noção do porque eu estar me machucando, ficou até aproximadamente umas quatro horas da manhã tentando me acalmar e no dia seguinte eu tomei a decisão de terminar o namoro, pois pessoa nenhuma merece uma louca (como já haviam me dito), merecia ser feliz e com alguém que não precisasse passar madrugas acordado tentando acalmar. Porém ele escolheu continuar comigo, na verdade as vezes eu ainda não entendo exatamente o porque, mas sei que sem dúvidas ele merece que eu esteja sempre ao lado dele, pois em vários dias, meses e até hoje, ele ainda não desistiu de mim e mesmo achando que uma hora ele vai se cansar das minhas crises, me deixando, ele passa a cada dia a me mostrar que é o contrário, que vai continuar aqui e que vamos superar isso juntos. Sei que não deve ser fácil para ele, pois não é legal fazer de tudo pela pessoa e essa sempre estar duvidando do seu sentimento, involuntariamente lógico, porque em minha cabeça ainda acho que não sou eu que deveria estar aqui, que ele merecia ser feliz com alguém melhor e que um dia vou voltar a estar sozinha abraçada com a minha gata chorando, mas aos poucos ele me convence que pode ser eu, a gata e ele assistindo qualquer coisa na tv, talvez um dia tudo isso passe e eu possa faze-lo feliz como ele me faz quando estou sã.

  10. Jenifer exatamente isso que passo só que faço o papel do seu marido.Teu comentário foi excelente! É bem difícil lidar com essa situação! Desejo que consigas superar essa doença. Bjs

  11. Uma pessoa com depressão muitas vezes não quer estar ao lado de ninguém,acredita que o outro não merece estar ali,e que em qualquer momento este outro pode larga-lo. Muitas vezes uma pessoa com depressaõ termina relacionamentos de forma egoista, pouco se importando com o sentimento do outro. Provável que o depressivo não tenha a visão de alteridade, ou seja, a visão do outro, vivendo muitas vezes de forma egoísta. Para o outro, um sentimento de incapacidade, de frustração surge, pois ao se doar tanto e ser muitas vezes expulso do convívio sem explicações lógicas , o faz assim se sentir. Uma pena, pois quando o depressivo assim age, ele está somente caminhando para um abismo íntimo, sem chances de sair do mesmo!

  12. Uma pessoa com depressão muitas vezes não quer estar ao lado de ninguém,acredita que o outro não merece estar ali,e que em qualquer momento este outro pode larga-lo. Muitas vezes uma pessoa com depressaõ termina relacionamentos de forma egoista, pouco se importando com o sentimento do outro. Provável que o depressivo não tenha a visão de alteridade, ou seja, a visão do outro, vivendo muitas vezes de forma egoísta. Para o outro, um sentimento de incapacidade, de frustração surge, pois ao se doar tanto e ser muitas vezes expulso do convívio sem explicações lógicas , o faz assim se sentir. Uma pena, pois quando o depressivo assim age, ele está somente caminhando para um abismo íntimo, sem chances de sair do mesmo! Quanto ao outro, mendicâncias mil ele adota, porém sem sucesso, acabando por ter seu sentimento minado e destruido. Sofre ao não ter como ajudar, ao não ter como modificar o pensamento daquele que tanto o inspira.

  13. Tenho 34 anos e sou depressiva desde sempre. Meu relacionamento mais duradouro foi de 7 meses e há 5 anos não me relaciono com ninguém. Não me acho merecedora de amor. 🙁

  14. Este texto poderia ter sido escrito por mim. Agora vou contar o final da história …
    Eu sempre tive depressao e só fui ter o primeiro namorado em agosto de 2013, como a pessoa do texto. Ele me ajudou a superar diversas barreiras da minha vida. Foi uma das pessoas mais importantes da minha vida. Acontece que meu desanimo me venceu. Depois de quase 3 anos, eu não conseguia nem ir encontrá-lo, furava encontros, ficava jogada ou com enjoo, gastrite, sempre tinha um empecilho que parecia enorme de superar. Ele adora sair, nesses dias ia encontrar os amigos, eu não achava ruim e até aliviava o sentimento de culpa. Não tenho o direito de prender alguém em casa, e era coisa de amigos, só rapazes. Acontece que ele acabou se apaixonando por outra,uma menina linda muito mais nova, animada, baladeira. Não tive como competir. Ele me traiu e me abandonou por ela, estão namorando. E eu, com a depressao e desanimo, e a saudade e a rejeição, e o sentimento de que falhei, que a depressao foi maior, não consegui manter meu único relacionamento. Estou vivendo um pesadelo. Comecei a fazer terapia…

  15. Espetacular este texto!
    É exatamente assim como agimos no estado depressivo. Quando alguém diz que nos ama simplesmente passa pela cabeça o porque aquela pessoa nos ama. Queremos mais explicação, mais demonstração de afeto e parece que nunca é suficiente.

    • Olá? Bom, eu não tenho depressão, mas meu namorado tem, as vezes ele me pergunta a causa, motivo, razão e circunstância de eu amá-lo, mas eu também tenho meu problema, como eu já tinha dito não é depressão, tenho Síndrome de Asperger(autismo leve), o que dificulta para eu entender o que ele sente, por que ele sente, e dificulta para eu expressar o que eu sinto, se bem que as vezes ele percebe, apesar disso tudo a gente se entende, eu venho pesquisando muito sobre a depressão e sei o que não deve ser dito para quem tem, eu o amo muito, e ele sabe disso, e quando percebe minha pequena insegurança ele logo me assegura que me ama

  16. Pq as pessoas acham que depressão se cura com pensamentos positivos e só?
    Pq vc tem que ouvir isso de todo mundo?
    Eu tô tão cansada disso, que não tenho mais vontade de falar com ninguém…

  17. Olá . Primeiro queria parabenizar o geraldo vargas pela belissima matéria e e o fãs da psicanalize pela linda iniciativa.
    Gente, tenho 34 anos, tenho depressão, mas não admitia ou nunca me levei tão a sério pra tentar resolve-la. Aos 24 apenas tive meu primeiro e unico relacionamento duradouro. Que infelismente terminou, pelo fato de ela ter muito ciumes de mim. Tive que pedir pra terminar, apesar de gostar dela, pois era muito triste eu perceber que estava me afundando mais do que eu já era fundo na vida, pois os poucos relacionamentos de amizade q eu construir com o passar dos anos, estavam se decaindo por conta disso. Depois, foi sempre muito dificil. Me formei, com dificuldade, pois eu sempre tive muita ansiedade, que me prejudica em tudo e também nas minhas tentativas falhas de ter mais um relacionamento. Pois eu sempre estou esperando o pior, no menor sinal de defeito da pessoa, eu já quero ir embora. No menor sinal de ciumes e prisão, eu já quero ir embora. Não me permito e não permito q ninguem em machuque. O que poderia ser um mecanismo de defesa da minha pessoa, acaba não deixando ninguém mais chegar. E sim, eu amo, eu consigo sentir o amor lá no fundo da minha alma. Quando conheço alguém e quero “conquistar”, eu amo bastante, faço coisas q não faço por ninguem …mas infelismente tenho amado pessoas erradas, pois essas pessoas, não estavam dispostas a me amar tambem. Mas o que eu posso dizer sobre o amor de uma pessoa com depressão. Eu aceito o amor, mas não sei se mereço. Sempre acho que estou abaixo, mas aceito. Eu consigo demonstrar, mas é uma demonstração muito pequena … muito menor do que eu gostaria. Lá dentro é um amor imenso e agradecimento sem fim. Lá fora, são vagas … e todas exigem uma força imensa pra que aconteçam. A pessoa que se apaixona porque alguém com depressão precisa saber o seguinte, o amor desse alguém, é como um Iceberg. Você só vai enxergar a ponta dele, mas não quer dizer q na base tenha um amor infinito, que algumas vezes vc vai poder ver, depende do grau de depressão da pessoa. As pessoas com depressão não tem ausência de amor, elas só n conseguem tirar esse amor de dentro delas ….

  18. É horrível gostar das pessoas é esperar todos os dias que uma hora elas se cansem e vão embora. É mais fácil afasta-las do que esperar agonizando o momento em que elas irão embora sozinhas

  19. Eu sou um depressivo e as vzs eu ouço esse tipo de coisa “ame a si msm para poder ser amado”, mas a vdd é q essa teoria nunca funcionou cmgo,até pq o principal motivo da minha depressao está no fato de eu nunca ter tido a chance d iniciar um relacionamento e ser feliz com alguem…isso me dói por longos anos,fico desesperado sem saber o q fazer, recorrendo a sites/apps d relacionamento e msm assim nao tendo sorte…a vdd é q eu estou ficando sem opçoes e estou cansando d lutar,estou perdendo a vontad d fazer as coisas q eu gosto…

    • Oi,você namoraria um homem que tem depressão que nem você? Às vezes penso como seria pois também estou ferrado,poderia criam uma rede social só para pessoas com tais problemas né.

  20. sou ansioso e depressivo deste pequeno. mais tive poucas namorada ..e por isso acho que nunca consegui manter uma relação a unica coisa mais importante que me aconteceu nesta vida foi eu ter tido uma filha.. e depois disso eu acabei piorando e me distanciando das pessoas…pois eu só queria saber de trabalhar pra dar um futuro melhor a minha filha..e graças a deus eu consegui mais por causa de minha depressão e ansiedade ela e bem distante de mim e isso me machuca…. e cheguei num ponto que não consigo mais namorar e nem trabalhar.

  21. Oi, meu namorado tem depressão há alguns meses, no começo ele quis afastar-se de mim, mas não deixei. O tempo veio passando e ficamos um pouco afastados, não pq eu queria, mas pq ele devia se sentir melhor assim. No último mês acabei cobrando dele algumas coisas (fui egoísta), mas pq estava insegura e não entendia q era pela depressão. Agora ele quer se afastar até terminar seu tratamento, eu implorei pra q não o fizesse pq o amo e queria muito poder ser melhor pra ele, fazer diferente e encarar tudo isso junto dele, mas ele disse q nada vai mudar a cabeça dele, mesmo me amando muito, também disse que não é justo pra ambos ter q passar por isso. Enfim, eu estou atrasada, pq sei q ele me ama, mas ele não sabe como ficaremos. Eu estou dando o tempo q ele pediu, mas estou MT triste e infeliz por ele me querer longe. Isso está acabando comigo. Não sei o que dizer, mas estou disposta a viver com ele se ele deixar, no entanto, me controlo muito pra não falar ou decepciona-lo, não quero isso jamais. :'(

  22. Meu namorado é depressivo e diz que a maior vontade dele é dormir e não acordar mais. Estamos a um ano juntos e o que faço por ele, com ele pra manter a auto estima alta? “Diálogo e atenção” A melhor maneira de fazer uma pessoa depressiva se sentir um pouco melhor. Deixa-lo falar tudo o que sente,o quer e o que espera pra ele. Daí aos poucos vai descobrindo o que não fazer para que caia em depressão. A tenção a uma pessoa com depressão é essencial. Pois o silêncio da mente dele só trás coisas ruins. Ele gosta muito de mim eu sei, pq faz de tudo pra emergência agradar. E tem total confiança em contar tudo o que está pensando pra mim. Eu o amo muito. . E não pretendo desistir dele…

  23. Obrigada por esse texto. Precisava ler isso.

    Terminei um namoro ontem exactamente porque ele não entendia minha depressão e minha ansiedade, a relação piorou os meus sintomas… Me sinto triste mas esse texto me confortou.

  24. Gostaria da opinião de vocês. A história é longa, espero que tenham paciência e consigam entender. A parte da depressão demora para aparecer, mas aparece.

    Conheço uma menina há 7 anos, trabalhávamos na mesma empresa em 2013. Nessa tempo, na época em que eu pedi demissão da empresa para ir morar fora do país, ela e eu estávamos em uma festa e acabamos dando alguns beijos (nessa época ela tinha dado um tempo com o namorado, que vou chamar de V.), muito provavelmente por saber que não iríamos mais nos ver muito. Gostei de ter ficado com ela pois eu sempre a achei muito bonita e atraente, mas foi só isso.
    Fiquei um ano fora do país e quando eu voltei, no começo de 2015, eu a procurei de novo e nós acabamos saindo algumas vezes (ela tinha novamente dado um tempo com esse mesmo namorado, o V.). Não transamos nesse período. Ela voltou a namorar esse mesmo namorado, o V.. Fiquei chateado na época, pois achei que a gente poderia dar certo, e também porque sempre que a gente estava junto, eu gostava. Mas foi um chateamento normal, como já fiquei várias vezes na vida, quando não dava certo algo com alguém que eu achava interessante, mas que ainda não tinha muito envolvimento.
    Segui a vida normal, sem nenhum problema com relação a isso.
    Os anos se passaram, eu evolui na minha carreira, ela também na dela. Eu sempre olhava as redes sociais dela para ver se estava solteira ou namorando. Descobri que ela havia largado o antigo namorado V. e estava namorando um novo namorado o B..
    Em agosto de 2019, fui conversar com ela, pedindo indicações de pessoas para trabalhar na equipe que eu estava montando no meu novo emprego (eu havia acabado de ser contratado para um cargo executivo em um grande banco). Entre conversas sobre indicações, acabei perguntando se ela gostaria de fazer uma entrevista, visto que eu já conhecia e admirava o trabalho dela.
    Ela veio fazer uma primeira entrevista com o RH e depois nos encontramos em um bar, ao lado do trabalho, e conversamos bastante sobre trabalho. Percebi ali que eu ainda me interessava por ela e também percebi que ela tinha outros olhos para mim. Nada aconteceu neste dia, ela ainda namorava o B., um relacionamento de quase 4 anos.
    Ela veio fazer uma segunda entrevista com o RH e depois, novamente, nos encontramos no mesmo bar. A conversa dessa vez foi mais descontraída e, no meio desta conversa, ela me falou que havia dado um tempo com o namorado, o B.. Bom, nós dois estávamos bem a vontade no bar e acabou rolando uns beijos e nossa primeira transa, neste dia.
    Isso era uma quinta-feira, dia 05/09/2019.
    No domingo, dia 08/05/2019, falamos por telefone sobre o trabalho. Ela me contou, também, que havia voltado com o namorado B.. Conversamos bastante sobre o que havia acontecido entre a gente e decidimos que isso não afetaria nossa relação no trabalho.
    Na minha cabeça, eu sabia que gostava dela mas tudo bem se não rolasse mais nada, afinal ela namorava e eu seria o chefe dela, nada mais poderia acontecer entre a gente, e tudo estaria bem. Decidi que tudo bem seguir com a contratação dela.
    Em outubro de 2019 ela começou a trabalhar, na cadeira do meu lado. Conversávamos o dia inteiro, sobre tudo. Ela começou a mexer com meus sentimentos e eu percebi que também estava mexendo com os dela. Ela dava em cima de mim e eu em cima dela. Saímos algumas vezes com o pessoal do trabalho e também só entre nós dois, nada aconteceu, ela namorava. Contudo, uma sexta feira, dia 18/10/2019, fomos em um bar perto do trabalho e demos alguns beijos. Na quarta-feira, dia 23/10/2019 saímos novamente e demos mais alguns beijos, ela ainda namorava (esse deve ter sido o primeiro erro da nossa relação).
    Na segunda-feira, dia 28/10/2019, ela me disse que havia largado do namorado. Dormimos em casa. Eu sentia que havia a conquistado.
    Uma semana depois, no dia 02/11/2019, fomos viajar juntos, ficamos um final de semana na praia, só nós dois.
    Estávamos nos conhecendo cada vez mais, nos entregando um a outro. Foi nessa época que ela me disse que tinha depressão. Até aí tudo bem, estava tão apaixonado por ela que não via problema em estar ao lado dela no que ela precisasse e eu tinha certeza que ela estaria bem comigo, uma pessoa que respeitava a doença dela e que estaria ao lado dela para tudo.
    O sentimento em mim crescia de uma forma muito rápida, eu acreditava que havia encontrado a mulher da minha vida. Ela também me falou isso, que achava que havia encontrado um marido. Nossos pensamentos, metas, valores e objetivos eram muitos semelhantes.
    Acontece que as próximas semanas não foram muito boas. Ela estava em crise na depressão. E eu entendia perfeitamente: ela tinha saído de um trabalho estável, 8 anos na mesma empresa, para ir para um novo lugar em que não sabia como seria; ela tinha saído de um relacionamento de 4 anos, tudo bem que este relacionamento era muito instável, com muitas idas e vindas, mas, de qualquer forma, era um relacionamento longo e, além disso, ela havia traído o namorado, o que deve a ter deixado muito mal; e, por último, ela estava ficando o chefe dela, o que também a estava deixando mal.
    Por tudo isso e também pelos remédios que ela toma para depressão, a libido dela estava muito baixa. Estávamos em começo de relacionamento e transávamos super pouco. Sei que tudo que ela estava passando influenciava nesta libido mas, por mim, estava tudo bem, eu havia falado para ela que iria passar com ela por tudo isso e não era a falta de sexo que iria me fazer desistir da mulher da minha vida, eu sabia que isso tudo um dia ia passar, mesmo ela tendo me dito que tinha muita conexão sexual com o ex-namorado B., e comigo essa conexão não havia acontecido.
    Ela estava com um turbilhão de emoções e resolveu parar de ficar comigo no dia 18/11/2019, menos de um mês depois de termos decido ficar de vez.
    Isso acabou comigo, eu tinha a mulher da minha vida nas minhas mãos em um dia e, no outro, estava sozinho.

    Seguimos trabalhando um ao lado outro. Todos os dias conversávamos muito. Íamos tomar café e ficávamos duas horas conversando. Ela era muito sincera comigo e eu muito sincero com ela. Ela estava muito confusa, a cabeça dela muito afetada com todos esses sentimentos. Éramos tão sinceros em nossas conversas que ela me falava que queria voltar com o ex-namorado, o B., e eu dava conselhos pra ela, do tipo que ela tinha que fazer o que fosse melhor para ela, mesmo isso acabando comigo por dentro. Acredito que este tenha sido o segundo erro do nosso relacionamento, eu fui muito amigo dela nessa época. Ela confiava em mim como amigo, mesmo eu tendo externalizado todo o meu sentido para ela. Eu falava que ela tinha que fazer o que o coração mandava, mas que eu queria ficar com ela e que gostava muito dela.
    Em dezembro, eu estava muito mal e ela estava perdida. Quando estávamos junto, chegamos a conversar sobre passar o ano novo juntos mas, no final das contas, ela resolveu voltar com o namorado B., e foi passar o ano novo com ele. Isso foi a segunda destruição que este relacionamento me proporcionou.

    Ano novo, vida nova. Certo? Não! Errado.

    Dia 05/01/2020, ela me mandou uma mensagem falando que o namorado B., tinha terminado o namoro com ela, pois ela havia contado para ele que tinha ficado com o chefe, no caso, eu.
    Um mix de raiva com esperança tomou conta dos meus sentimentos.
    Janeiro foi passando e fomos nos reaproximando, ficamos mais algumas vezes. O que nos uniu em outubro continuava ali: nossas metas, objetivos, valores, tudo igual. Ainda conversávamos muito, e muito transparentemente. Ela com as incertezas dela e eu com a minha certeza de que queria ela pra minha vida. Eu deixava isso muito claro (talvez esse tenha sido o terceiro erro do nosso relacionamento, eu sempre fui muito disponível para ela). Eu sempre fui muito carinhoso com ela, muito prestativo e disponível, me entreguei pela segunda vez.
    Chegou a época do carnaval. Eu falei pra ela que ou a gente passava o carnaval juntos, ou não havia mais sentido da gente ficar de vez em quando e continuar com nossas conversas quase que diárias. Ela, como sempre, ficou muito indecisa. No fim das contas, ela decidiu me chamar para ir passar o carnaval com ela e os amigos dela. Foi maravilhoso, quatro dias dos sonhos para mim.
    Acabou o carnaval e continuamos ficando e as coisas foram melhorando. Ela foi ficando muito melhor, ela não estava mais com instabilidade. A depressão dela parecia estar controlada e ela tava melhorando diariamente.
    Teve o meu aniversário e o dela em Março, no meu passamos o dia e a noite juntos. No dela, passamos o dia juntos.
    Chegou a pandemia e, com isso, a quarentena. Por sorte (ou não), esta era a época em que mais estávamos próximos. Nos dois primeiros meses da pandemia, ficamos juntos quase que diariamente. Todos os finais de semana passávamos juntos, de sexta a domingo e, durante a semana, ficávamos juntos de 2 a 3 dias. Ela estava bem. Sem crises. Sem choros. Eu a ensinei a dirigir, ela foi visitar apartamentos comigo (pois eu queria me mudar), ela decidiu comprar um carro e eu fui visitar os carros com ela. Uma vida de namorados, só não havia o título. Mas eu sabia que tudo isso era uma tentativa dela de gostar de mim. Mas não deu certo, esse tempo juntos fez a gente gostar da nossa companhia juntos, mas não fez a nossa conexão aumentar. Ainda continuávamos sem transar muito, a libido dela continuava baixa.

    Ela decidiu terminar comigo no dia 19/05/2019, disse que não gostava de mim o suficiente para sermos namorados e que essa nossa falta de conexão foi importante para a decisão. Disse que esse tempo juntos foi uma tentativa de fazer a gente dar certo, pois ela diz que eu tenho tudo que ela busca em um homem. Mas não tem a conexão, a paixão, a vontade de estar junto a todo momento (coisa que eu tenho por ela).
    Terminamos bem, ela foi super sincera quando me falou. É claro que eu não gostei, pois queria ficar com ela para o resto da vida, mas aceitei a decisão e estou tocando minha vida em frente.
    Quando acabar esta pandemia, vamos ter que nos encontrar no trabalho novamente (eu a tirei da minha equipe, não sou mais o chefe dele e também não sentamos mais lado a lado, mas continuamos na mesma empresa).

    Eu gostaria de saber de vocês. Como pensa uma pessoa com depressão? Tudo isso é confusão da cabeça dela? Ou desta vez, com ela bem psicologicamente, ela tomou um decisão que realmente acredita? Há possibilidade dela estar em uma recaída da depressão? Há possibilidade dela, quando melhorar totalmente da depressão, ver que gosta de mim? Ou, no pior dos casos, resolver voltar com o ex, B.?

    Obrigado!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here