Mudanças são inevitáveis.

Tudo o que sabíamos, tudo o que amamos, tudo em que encontramos segurança – está prestes a mudar como as estações do ano.

Há tanta beleza nas folhas moribundas ao nosso redor, até as mais maçantes brilhavam sempre tão intensamente. Há tanta beleza nas almas moribundas que nos cercam, porque ao contrário das folhas, não precisamos esperar até a próxima temporada para brilhar mais uma vez.

Eu costumava ter um medo terrível disso – acho que todos passamos por isso durante uma grande parte de nossas vidas. Eu costumava acreditar que a mudança era de alguma forma equivalente ao esquecimento absoluto, e que diminuiríamos constantemente em importância e significado quanto mais evoluíssemos. No entanto, aprendi com a idade que esse é exatamente o oposto da verdade. Aprendi que também mudo com as folhas e com as estações do ano.

Afinal, todos nós mudamos – nunca há um momento em que as pessoas estejam estagnadas. Estamos constantemente crescendo, aprendendo constantemente, nos tornando versões diferentes de nós mesmos. Somos constantes lineares e, embora matematicamente incorretos, estamos destinados a coisas muito maiores do que números que parecem continuar infinitamente, infinitamente procurando por um propósito.

Quero que você encontre conforto na constante transição que a vida mantém. Quero que você aceite a mudança, em vez de temê-la. Quero que você perceba que a única coisa permanente nesta vida é a natureza temporária. Quero que essa consciência o ajude a se sentir mais seguro com as energias em constante mudança sob sua própria pele.

Tudo é feito para fazer a transição. Tudo foi feito para prosperar. Tudo é feito para crescer. O que faz você pensar que é uma exceção? Você é feito dos mesmos materiais que todo o resto deste planeta. Somos todos apenas flores em uma pétala; nós caímos, murchamos e desmoronamos. Nós nos decompomos no chão abaixo de nós e somos despedaçados com a nossa aparência. Às vezes, perdemos a cor e paramos de brilhar ao sol quando o inverno chega – mas o inverno sempre acaba e a primavera é o que ele traz.

É quando florescemos mais uma vez. Nós nos tornamos novos novamente. Nós ficamos coloridos novamente.

Ao suportar suas estações, quero que se lembre disso quando suas folhas caírem:

Você também vai cair.

Você vai murchar

Você perderá sua cor.

Você florescerá novamente.

Pare de permitir que a sua felicidade dependa daqueles que regam todas as sementes, exceto as suas. Mais importante, regue suas sementes como regaria as outras pessoas. Não se esqueça de reconhecer e abraçar suas ervas daninhas antes de arrancá-las e lembre-se de que os espinhos fazem parte de cada linda rosa.

Há beleza a ser encontrada em toda essa escuridão. Você aprenderá como criar sua própria luz solar e, uma vez criado, nunca mais será privado.

Espero que nos próximos dias você se nutra.

Espero que nos próximos dias você se permita crescer.

*Texto traduzido e adaptado com exclusividade para o site Fãs da Psicanálise por Verena Paccola. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.

(Imagem: Bruce Mars)

Compartilhar

RECOMENDAMOS



Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here