Honestidade e sinceridade devem ser duas qualidades que começam e terminam em si mesmas. Não podemos fingir ser honestos com aqueles que estão próximos, enquanto geralmente mentimos para nós mesmos. Uma verdade baseada em mentiras se torna uma mentira.

Quando sabemos o que somos, o que queremos, o que nos move, o que sentimos e como agimos, poupamos muitas dores de cabeça. Começando porque atraímos pessoas que se identificam com o que somos e com a coerência que possa existir entre o que somos e o que demonstramos.

Mas se não pudermos ser honestos conosco ou se não pudermos sair de estados de confusão em relação a quem somos e ao que pretendemos, tenderemos a mentir para nós mesmos e para os outros.

Devemos começar a partir da análise e do sentimento, sem que o ego fale e se posicione como protagonista, e essa é a tarefa mais complicada de todas.

O ego sempre quer ser a estrela

Nosso ego adota papéis de liderança que freqüentemente nos confundem, ele quer, ele é, ele pergunta, ele faz … Quase deixando de lado a parte que governa o coração que representa nossa verdadeira essência.

O ego é um mentiroso por natureza , é exagerado, é desproporcional, superprotetor e covarde, muito covarde. Ele se sente ameaçado por tudo e joga sujo. Ele gosta de prejudicar os planos do coração, pintar catástrofes gigantes e encher nossas mentes de preocupações e mentiras.

Talvez o ego não aja com a má intenção de nos afligir; à sua maneira, busca o melhor, segurança, um mundo sem riscos. Mas, para isso, ele constrói uma fortaleza mais parecida com uma prisão e a partir daí agimos de maneira integral como verdadeiros prisioneiros.

Devemos derrubar aquelas barras ou usá-las para colocar essa parte de nossa mente ali por alguns momentos, permitindo-nos ouvir os planos da alma e estabelecer pontos-chave na estrada, sem o ego escutando, nos sabotando e nos convidando a mentir. Esses serão os momentos de maior sinceridade que manteremos conosco e devemos tentar ampliá-los e multiplicá-los, porque representam nossa verdade.

Deixe claro quem você é, aproxime-se do que faz você se sentir à vontade, o que na maioria das vezes não coincide com o que o ego exige para se sentir confortável, algo que curiosamente nunca acontece. Porque, além de tudo, o ego não é estável e sempre exigirá mais e colocará a promessa de felicidade nos próximos passos que devemos dar.

Não adiar a felicidade é sempre uma decisão brilhante

A felicidade é agora, a vida é agora e adiá-la já é uma mentira. Não minta para si mesmo, não é fácil silenciar aquela parte de nós que acredita que está sempre certa, mas a prática de encontros conosco nos ajudará a encontrar em nós mesmos a voz da verdade. É essa voz que nos ensinará a nos conectar com o que nos pertence por direito e que nos guiará pelos caminhos que devemos seguir.

Sinta-se, o seu corpo fala, o que você acha que ele lhe diz? Quando você se sente plenamente feliz, confortável, calmo, independentemente do que acontecer, você está falando consigo mesmo, com a verdade, mas se o seu corpo expressa emoções desagradáveis, incluindo manifestações de dor ou doença, as mentiras estão abrindo espaços em sua mente e cabe a você deixá-los de fora.

A sinceridade implica parar de mentir para nós, não fazer coisas que não nascem para nós, aprender a dizer não, não ir aonde não queremos e fazer o que está em sintonia com o que nos faz sorrir. Sempre tente garantir que a sinceridade e a honestidade reinem em sua vida, começando por ser o primeiro a apreciá-las.

(Fonte: reencontrate.guru)

Você sabia que o Fãs da Psicanálise também está no Instagram e no Facebook? Que tal fazer uma visitinha para nós por lá?

Compartilhar

RECOMENDAMOS




Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here