A ovelha negra pode ser vista como rara, aquela que não se encaixa, como rebelde … E sim, poderia ser isso, mas quem disse que para ser feliz, ser bem-sucedido, aproveitar a vida, tínhamos que ser iguais?

Rebelião às vezes é a melhor maneira de dizer ao mundo:

“Vou atrás do que quero, para que ninguém atrapalhe. Serei eu, embora com isso eu tenha decepcionado muitos. Vou me destacar por ser como sou e, se você quiser me amar, seja bem-vindo, caso contrário, vou me amar por nós dois”.

Ninguém pode parar uma ovelha negra orgulhosa de si mesma

Nem todo mundo se atreve a ser a ovelha negra, às vezes não importa de que cor sejam, para se adaptar, elas se pintam conforme necessário. O reconhecimento e aceitação dos outros é de grande importância para a maioria. Nosso ego infla quando alguém lhe diz que está indo muito bem.

No entanto, esse muito bom sempre segue uma escala relativa que nos fala sobre as crenças, critérios, opiniões de cada pessoa e, portanto, que não há verdades absolutas por lá.

Às vezes, a ovelha negra é o que ninguém mais em sua família ousou ser e, portanto, pode haver posições que variam de admiração, inveja, provação e apoio, rejeição e expulsão.

Os preconceitos sempre separam e os esquemas de interrupção podem ser equivalentes a traçar a saída, incluindo o núcleo da família. Em alguns casos, aceitação, respeito e amor estão presentes, fortalecendo os laços. Enquanto em outros, as mentes mais fechadas não podem coexistir com o que está longe de seu padrão mental.

Você é a ovelha negra?

Bem, parabenizo você, na diferença está o autêntico. É preciso muita coragem para perceber que o sistema não está funcionando para nós, que esse molde é muito pequeno ou muito diferente do que sonhamos. A vida é curta e às vezes é tarde quando percebemos que duramos muito tempo agradando os outros, vivendo vidas que não eram inteiramente nossas e nos adaptando ao que a “lógica” ou a tradição ditaram.

A frustração de sonhos não realizados, muitos levam para o túmulo e, assim como naturalmente nos aproximamos do final deste ciclo, é evidente que a vida não era para pagar dívidas, ou para se ajustar a alguém, ou para nos esconder. A vida é desfrutar, reconhecer a nós mesmos, sentir orgulho de quem somos …

Talvez isso possa nos dar algum medo a princípio, reconhecendo que não somos o que os outros esperam. Ou podemos nos sentir empoderados e orgulhosos de quem somos. Mas entender o nosso valor, defender nossa posição e tentar viver a vida que sonhamos, e não de outra pessoa, é algo que merece todo o mérito possível.

Seja você mesmo

Seja rebelde, seja diferente, não tenha medo e se alegre por ser diferente. Garanto-lhe que mesmo aqueles que o criticam quererão ter tido a coragem de ficar na frente do mundo e gritar o que eles queriam e o que estariam dispostos a fazer. Uma pessoa que se levanta diante de seus principais afetos e manifesta sua posição,  é capaz de alcançar o que se propõe a fazer, porque o seu valor é o que resta.

(Fonte: reencontrate.guru)

*Texto traduzido e adaptado com exclusividade para o site Fãs da Psicanálise. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.

Você sabia que o Fãs da Psicanálise também está no Instagram e no Facebook? Que tal fazer uma visitinha para nós por lá?

Compartilhar

RECOMENDAMOS




Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here