Sim, prefiro os homens beta. Vou mais longe: não troco um beta por cinco alfas. Vou mais longe ainda: acho que homem beta combina bem com mulher alfa. Eles fazem um par incrível, cheio de humor, flexibilidade, vontade de viver experiências novas, sem frescura, sem protocolos.

Homem beta tem lógica feminina. Vive em crise. Tenta descobrir o seu lugar no mundo. Mais do que isso: o seu lugar ao lado da mulher amada.

Homem beta não tem tudo sob controle, questiona o que diz, considera para valer o que a mulher diz. Não concorda ou discorda só por concordar ou discordar.

Homem beta quer fazer a parceira gozar. Não para se sentir um deus ou para ter papo com os amigos. Quer que a sua parceira goze porque a ama e deseja vê-la feliz, relaxada, realizada.

Homem beta chora, fala sobre assuntos teóricos, pode ficar mais de meia hora comentando sobre um filme que assistiu. Não fica fazendo piadinha sobre TPM nem encara o carro como o prolongamento do pênis.

Acha normal rachar a conta e a lavagem dos pratos também. Mesmo que não saiba cozinhar é capaz de dar um apoio na hora de preparar a comida: bota a mesa, tira a lasanha do forno, vira a omelete na frigideira. E por mais que adore os seus dotes culinários, se rolar uma pizza está tudo ok. O mais importante é estar junto.

Homem beta combina com mulher alfa. Mulher alfa diferentemente do homem alfa não tem pretensão de ser a dona da verdade e controlar tudo. Não é excessivamente pragmática.

Mulher alfa é simplesmente aquela que consegue abraçar com carinho a sua própria subjetividade e viver de acordo com as suas regras, sem desmerecer as regras alheias. Mulher alfa sabe curtir a vida mesmo que ela não seja cor-de-rosa perfeita. Mulher alfa não enxerga o homem como um meio de subir na escala social. O namorado ou marido é companheiro, não provedor.

Mulher alfa também chora. Também fica em crise. Mas não se deixa levar pela crise. Joga tequila por cima dos limões azedos que a vida oferece e faz uma margarita fabulosa. Faz piada da sua própria dor. Esbraveja, resmuga, mas depois sorri. Mas depois se reiventa. Vai recolhendo os caquinhos e criando um mosaico lindo.

Sai toda molhada de luzes de uma louca tempestade. E não precisa necessariamente estar em cima de um salto dez. Mas se estiver, tudo bem. De chinelos ou sapatos finos, a mulher alfa é o que é: irreverente, subjetiva, intensa, desencanada sem ser rasa, profunda sem neurotizar além da conta.

Mulher alfa pode ficar muito brava se o bolo não crescer, mas provavelmente será capaz de enfrentar contigo as maiores barras. Será capaz de ver como ninguém o magnetismo e o encanto de um homem sensível.

Compartilhar

RECOMENDAMOS



Sílvia Marques
Profa. doutora , idealizadora da Pós em Cinema do Complexo FMU, escritora e psicanalista. É colunista do site Fãs da Psicanálise.

1 COMENTÁRIO

  1. Texto muito bacana. Parabéns!
    Tenho um blog e a algum tempo penso em escrever algo parecido.
    Na verdade, não necessariamente sobre o homem ser alfa, beta, gama… mas como ele se posiciona diante da nova mulher que está surgindo (ou já surgiu).
    Bom, agora é elaborar melhor minhas ideias e escrever. Já tem um tempo que não escrevo.
    Abraços e parabéns mais uma vez!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here