As pessoas veem o mundo não como é, mas como são. A maneira como você interpreta o mundo e os acontecimentos depende quase inteiramente de quem você é e como você pensa.

A verdade real sobre ver os “sinais” é que as pessoas muitas vezes só os procuram – ou pensam que estão vendo – quando estão incertos sobre algo. Quando as pessoas têm certeza sobre o que querem fazer, geralmente não os procuram.

Isso não significa que “sinais” não sejam reais. Eles são muito reais. É só que não existe uma consciência externa guiando você em uma direção ou outra. Supor isso seria desconsiderar o livre arbítrio, bem como um fato fundamental sobre a psicologia humana.

No entanto, o fato de que os sinais são basicamente informações que inconscientemente selecionamos para afirmar crenças preexistentes (raramente você ouvirá alguém citar que viu “um sinal” dizendo-lhes para fazer o que eles já não queriam fazer) não significa que eles são inúteis .

Considere o fato de que você provavelmente não procurou “sinais” sobre se deve ou não estar em um relacionamento quando você já está feliz. É apenas algo que você faz quando alguém não está cooperando ou se comprometendo com você. Você já sabe que o relacionamento não está funcionando e quer que algo fora de você diga o contrário.

Você provavelmente não vai procurar por “sinais” de que está na profissão certa se estiver se sentindo realizado no trabalho. Você só vai procurá-los quando quiser sair e não conseguir racionalizar de outra maneira.

Aqui estão algumas das maneiras mais comuns pelas quais as pessoas vêem “sinais” e o que realmente querem dizer:

1. Repetindo números, como 111, 222 ou 333.

Estes são chamados de “números de anjos”, mas é realmente a forma de comunicação do seu cérebro com você. Se você tiver uma associação com os números 333, começará a procurá-los sem perceber, e seu cérebro chamará atenção para eles toda vez que eles estiverem em sua visão periférica. Você não está vendo mais, você está apenas percebendo. No entanto, o que importa não é por que você os vê, mas o que isso significa para você.

2. Ver citações ou mensagens que parecem descrever perfeitamente uma situação.

A realidade maluca da natureza humana é que você pode basicamente ver qualquer citação que até mesmo se relaciona com uma parte da sua vida e através da projeção, convence-se de que está falando diretamente com você. É também assim que funciona o Tarô e a adivinhação. Não é sobre o que você puxa, mas como você acha que a informação diz a sua vida.

3. Quando eles encontram alguém ou algo que é uma combinação perfeita, ou dentro de uma série de eventos alinhados.

Isso é provavelmente algo que você já experimentou: você é jovem, conhece alguém, tem absoluta certeza de que é sua alma gêmea porque o irmão nasceu no mesmo dia em que você e vocês gostam da mesma música e terminam as frases um do outro… e não há nenhuma maneira possível de tudo isso ser aleatório. Exceto … que existe! E é isso. E isso não significa que vocês são um para o outro. Isso não significa que você poderá fazer seu relacionamento funcionar.

Agora, por outro lado, aqui estão algumas formas reais de você receber “sinais” que a maioria das pessoas ignora ou não quer lidar com:

1. Quando alguém tem um padrão consistente de comportamentos negativos ou abusivos e você vê o suficiente para se considerar avisado, mas permanece no relacionamento independentemente.

2. Quando você está perto de alguém e tem uma sensação desconfortável no seu intestino, mas racionaliza ao pensar que “está apenas sendo louco”.

3. Quando você está ansioso e deprimido, e ao invés de assumir que você passa por algum tipo de desequilíbrio, não pensa nas circunstâncias e situações que você pode estar vivendo e como você poderia se cuidar para não estar tão infeliz.

4. Quando seu trabalho ou carreira parece fluir sem esforço.

5. Quando o trabalho ou carreira a que você aspira não está fluindo sem esforço.

6. Pensamentos recorrentes ou medos irracionais que são na verdade metáforas que representam medos reais e legítimos que você não foi capaz de racionalizar e ainda.

7. Sentir-se como se estivesse constantemente recebendo “sinais” que você deveria estar com alguém com quem você não está.

8. Confiando em procurar sinais para afirmar suas decisões sem reconhecer por que você está tão abalado em saber se algo é verdadeiro.

A realidade é que esses tipos de “sinais” são a maneira real de você se comunicar com você mesmo. Eles são importantes e esclarecem aspectos cruciais da sua vida que, de outra forma, você pode ser totalmente cego.

Quando você começa a sentir que está vendo muitos sinais, ou como se precisasse de um sinal, faça a si mesmo estas duas perguntas:

1. O que eu quero que o sinal me diga?

2. O que eu acredito que o sinal está apontando para mim?

Você já tem as respostas. Você já sabe o que você quer. Você sabe o que é certo e o que está errado e, quando tem medo de aceitar as respostas que já tem, começará a procurar algo fora de você para convencê-lo de que não é assim. Mas é isso.

Se você está procurando por um sinal – essa verdade é a que você procurava o tempo todo.

*Texto traduzido e adaptado com exclusividade para o site Fãs da Psicanálise. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.

(Imagem: Keegan Houser)

Compartilhar

RECOMENDAMOS




Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here