Tristeza, medo, melancolia, síndrome do pânico, vontade de desistir – essas coisas que só acontecem com os outros. 

É ridículo, é estúpido, é cruel. Mas é verdade. A ansiedade é um processo doentio que pode fazer o sujeito sofrer mais do que uma doença física. O ansioso não sofre com a realidade, mas com a expectativa.

O ansioso se lastima menos com uma situação real, ainda que terrível, do que com a antecipação dessa situação, que ele sofre terrivelmente.

O ansioso prefere a falência do seu empreendimento, uma situação concreta para ele enfrentar, do que uma possibilidade de sucesso, de onde advém toda sua angústia e sua insônia.

E qual é a primeira coisa que o ansioso fará, logo depois de resolvida uma situação que atiçava a sua ansiedade? Vai recusar o momento de relaxamento e procurar, ou engendrar, tão logo quanto possível, outra situação que lhe sirva de fonte de desassossego, para voltar a roer as unhas e produzir suco gástrico.

Mal atingem uma determinada meta, os ansiosos já se impõem um novo desafio. De preferência mais espinhoso e inexequível. Ou seja: já começam a sofrer de novo. Sofrimento non stop. Ansiosos são estoicos. Mais do que isso: são masoquistas.

Eis o que o ansioso não percebe: o sucesso não é uma meta, é um processo. Estamos sempre em movimento e o êxito não é senão continuar caminhando com alegria, esperança e serenidade em direção a ele. O sucesso não é um patamar fixo a ser alcançado – mas um movimento diário, em que a única coisa garantida é a necessidade de continuar em movimento, andando, um passo de cada vez, um tombo hoje, uma vitória amanhã.

Os ansiosos se esfalfam pelo caminho. Colocam toda a recompensa pessoal pelo sacrifício na linha de chegada. Não apreciam a frase, muitas vezes bonita, que vão escrevendo pela vida – estão sempre afogueados por cravar o ponto final na sentença, como se só ele importasse. Uma coisa maluca. Ansiosos aceleram tanto que se esquecem de apreciar a paisagem. De olho da bandeirada final, nem sabem direito por onde passaram.

Sempre haverá lacunas em nossa trajetória. Espaços vazios a serem preenchidos só somem da vida da gente quando a vida da gente termina. Mas o ansioso não reconhece o quanto já conquistou. Não celebra o tanto que caminhou. Está sempre em dívida consigo mesmo, se sentindo atrasado.

A ansiedade cobre a visão do sujeito com uma névoa de pessimismo – ele passa a enxergar somente as tragédias possíveis, só o que pode não dar certo, e as decepções e rejeições que ele tem certeza que pontuarão seu caminho.

(Autor: Adriano Silva, publisher do Projeto Draft)

(Fonte: projetodraft.com)

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



7 COMENTÁRIOS

  1. Bom artigo.
    Algumas dicas para ajudar a controlar a ansiedade:
    1. Faça esportes aeróbicos; de preferência ouvindo alguma música;
    2. Pratique meditação, nem que seja 10 minutos diários;
    3. Caso isso não resolva, procure um psicólogo ou psiquiatra.

    • Acho que vc não compreendeu bem o título! A meu ver o autor quis chamar atenção com o título para dizer que quem sofre de ansiedade sofre tanto quanto ou até mais quem sofre de alguma doença física, como o câncer. “A ansiedade é um processo doentio que pode fazer o sujeito sofrer mais do que uma doença física.”

  2. É a pura verdade, ansioso sofre no transcorrer da expectativa…

    Todavia, é difícil não sofrer na expectativa, sobretudo, daquilo que tecnicamente sabe que pode acontecer de ruim! Contudo, deve-se administrar com mestria essa expectativa. Conseguindo esta administração, o conflito interior fica mais ameno! Viver é administrar problemas…

  3. A minha ansiedade quando jovem foi muito produtiva, não me sentia mal, pelo contrário, sempre tudo era um desafio, adorava quando recebia ordens para fazer um trabalho que nunca tinha realizado, passava noites em claro para aprender, principalmente quando foi para implantar os computadores ( sou velhinha ) ….passei várias noites na empresa e tudo corria muito bem, mas agora a ansiedade esta acabando com minha vida, aposentada, cada ano ganhando menos e mais despesas com planos de saúde, remédios, e não tendo nenhum curso prá se fazer gratuito…….

DEIXE UMA RESPOSTA