Prestes a completar 67 anos, Bruce Springsteen irá assinalar a data com o lançamento da sua autobiografia já no final do mês de setembro.

Em entrevista a propósito de ‘Born to Run’, o músico confessou sofrer de depressão há 30 anos. Uma luta narrada nas páginas do livro que aí vem.

“Eu colapsei entre os meus 60 e 62 anos, depois voltei a ter uma recaída entre os 63 e 64”, esclarece acrescentando que essas “não são boas memórias.”

Springsteen revela ainda que sua esposa, Patti Scialfa, foi fundamental para aprender a lidar com a doença e determinante na procura de ajuda:

“Patti observava o trem de carga, carregado de nitroglicerina, a descarrilar. Ela levou-me ao médico e disse: ‘este homem precisa de remédios’”.

Leia mais: Até 2020, a depressão será a doença mais incapacitante do mundo, diz OMS

Apesar de ser um artista muito animado em palco, nos bastidores Bruce sentia-se incapaz de manter a mesma alegria, chegando muitas vezes a sentir-se exausto.

Além disso, disse que temia seguir o mesmo caminho que o pai, Douglas Frederick Springsteen, que morreu em 1998, depois de uma longa batalha contra o vício no álcool e problema mentais.

A doença do pai interferiu no relacionamento familiar. Segundo o músico, o patriarca nunca disse ao filho que o amava.

“Dava para ouvir sua voz tentando formar a frase, mas as palavras não conseguiram sair”, relembra sublinhando que outros parentes foram diagnosticados com distúrbios psicológicos, como ansiedade e tricotilomania, mas nenhum chegou a ser tratado.

Leia mais: Lembre-se destas 11 coisas quando você ama uma pessoa que tem depressão

A autobiografia da estrela de rock estará à venda a partir do final de setembro. Em ‘Born to Run’, Bruce Springsteen contará ainda histórias de infância, falará dos seus ídolos e dos primeiros anos de uma carreira que está quase a celebrar o 50º aniversário.

(Autora: Silvia Santos)
(Fonte: movenoticias.com)

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



1 COMENTÁRIO

  1. Definitivamente é uma doença na qual infelizmente ninguém está imune! Por isso a importância de cuidarmos da nossa alimentação, mente e corpo, pois servem como “barreiras” para que este mal não nos atinja!

DEIXE UMA RESPOSTA