A empatia é a capacidade de reconhecer e sentir as emoções de outras pessoas. Simpatia  sentir compaixão por outras pessoas. Muitas vezes para ser um “empata” significa que você estará absorvendo grande parte da dor e sofrimento em seu ambiente, o que pode sacrificar sua capacidade de se expandir a um nível mais elevado.

Se você convive frequentemente com uma pessoa negativa, você sabe o quão tóxica a sua energia pode ser. Aprender a não absorver as energias de outras pessoas é uma grande habilidade espiritual a se desenvolver. Aqui estão cinco maneiras de parar de absorver a energia negativa de outras pessoas.


1) Lembre-se, você não pode agradar a todos

Se alguém lhe assediar moralmente, reclamando sobre você, ou desrespeitar você, não faça de sua missão tentar convencer essa pessoa a gostar de você. Isso só vai sugar você ainda mais o seu campo de energia e vai fazer de você energeticamente dependente da opinião deles.

Nem todo mundo vai gostar de você. Todos estamos, aqui na terra, vivendo com um propósito diferente. Ao amar a si mesmo em primeiro lugar, você irá criar um campo de força em torno de outras pessoas que irá protegê-lo de ser tão esgotado por suas opiniões.

Também lembre-se: você não pode mudar ninguém. Não faça de sua missão tentar corrigi-los nesse momento também. Às vezes, a melhor coisa que você pode fazer é não tentar mudá-los, pois, agindo assim, você não vai alimentar a energia que eles estão projetando em você.


2) Tenha cuidado com quem você convida para a sua vida

Seu corpo, sua mente e o seu  ambiente são o seu templo. Quem você está convidando para eles? É um convite aberto? Será que as pessoas ainda limpam os pés  antes de caminhar ao redor deles, ou arrastam-lhe a lama de sua alma?

No Brasil existe uma gíria chamada folgado. O significado direto é “solto” ou “preguiçoso”, mas que realmente significa “freeloader”. Não é exato no Inglês equivalente pois  é mais uma mentalidade do que um estilo de vida.

Se você dá a uma pessoa um pedaço de pão, um dia, eles vão pedir pão todos os dias. Se você deixar alguém ficar em sua  casa para um fim de semana, então eles vão tentar ficar a semana toda (ou duas!).

Uma vez eu pensei que minha esposa estava ficando fria e com um espírito mesquinho para com alguns dos nossos vizinhos. Depois que eu percebi que ela estava apenas respeitando a si mesma e a sua casa! Eu valorizava sua postura e adotei o estilo como meu, a partir daí.

É ótimo ser generoso, mas há uma linha tênue a trabalhar  para que você você não seja  pisoteado, assim, optando por  ajudar aqueles que realmente precisam. Aprenda a dizer “não” é estar bem com isso.


3) parar de prestar atenção

Um parasita precisa de um hospedeiro para sobreviver. Quando você presta atenção em alguém, você está dando-lhe energia. Ou seja, se você se concentrar em vampiros de energia, eles vão entrar em sua mente e vão roubar seus pensamentos,  diminuindo drasticamente seus níveis de energia.

Algumas pessoas vão despejar sua energia em você e então dirigir para o próximo “pit stop“. Um ouvido amigo pode ser uma coisa maravilhosa, mas é, necessariamente, uma linha que precisa ser cuidado se se quiser manter a saúde de sua energia.

Talvez você encontrou-se como uma fonte de uma pessoa para retransmitir as suas frustrações no trabalho, um relacionamento ou mesmo realizações bem-sucedidas. Todas estas emoções podem drenar você de várias maneiras e fazer com que você comece a limitar a sua própria vida de maneiras não  produtivas.

Ame-se o suficiente para ajustá-los, dizer-lhes para parar, ou dizer-lhes que você não pode lidar com isso agora.Não economize em rejeitar sua energia tóxica.


4) Inspire natureza

Vá para a natureza meditar, relaxar e respirar. Purifique a água dentro de você, exercite e flutue fácil. Esteja como uma borboleta, flutue suavemente, mas mova-se rapidamente. A respiração aumenta a circulação do fluxo sanguíneo ao redor do corpo e ajudará a evitar que você  absorva a energia daqueles que o rodeiam. Caminhe com confiança, mantenha a cabeça erguida e não permita que ninguém faça você se sentir inferior. A lagarta come tudo em torno dela e se torna gorda, imóvel.

Deve-se primeiro tornar-se luz, a fim de voar.


5) Tome 100% de responsabilidade por seus pensamentos e emoções

Como você se sente é 100% sua própria responsabilidade.

O universo está enviando pessoas para a nossa vida para nos testar. A percepção que temos de nós mesmos é maior do que a percepção que os outros têm de nós. Você não é uma vítima, ninguém tem poder sobre você. Considere como seus pensamentos ouexpectativas podem ter manifestado a situação que está incomodando você. E se a resposta estiver dentro de seu nível de paciência, irritabilidade ou compaixão? A menos que tomemos um tempo para nos observar, nós inconscientemente afirmamos nossa própria vitimização para o mundo que nos rodeia.

Uma vez que você se torna responsável pela maneira que você escolhe responder a algo, você se conecta com você mesmo a um nível mais profundo. Quando você está conectado a si mesmo a um nível mais profundo, você começa a não ser abatido nem projetado para fora de seu centro tão facilmente.

Coloque-se em situações que aumentam as suas próprias energias. Esta pessoa faz com que  você se senta bem? Você faz essa pessoa se sentir bem? Você é merecedor de uma experiência brilhante e é hora de perceber isso!

Aprenda a proteger-se contra as energias de outras pessoas  e comece com o amor-próprio. Lembre-se de que é importante para você estar feliz e em paz. Esteja pronto  para dizer não.

Você é o autor de seu próprio estado energético.

(Fonte: spiritscienceandmetaphysics)

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



28 COMENTÁRIOS

  1. Muito legal o texto. Mas e quando a energia negativa vem dos nossos próprios pais?E quando você cresce em um meio onde ambos não se suportam, se ferem psico e fisicamente, não se separam e te envolvem nessa trama. Como fica a saúde psicológica de quem cresce assim? É o que me pergunto todos os dias, a respeito de situações como essas, que ilustram a minha.

    • Me identifiquei muito com seu comentário. Ao longo do texto, eu percebi que venho utilizando essas táticas para afastar pessoas assim, já com pessoas que convivo diariamente sob o mesmo teto… muito mais complicado.

    • Eu cresci nesse ambiente, mas eles divorciaram quando eu era nova. Eu sempre ouvia meu pai gritando e minha mãe chorando. Eu fui afetada por esse tipo de situação, misturei chorar por qualquer coisa com ter ataques de raiva fortíssimos. Sempre tive consciência de que esse tipo de comportamento vinha dos meus pais, mas demorou pra eu me tocar que eu tinha a opção de ser diferente e que não existe desculpa pra ser a pior versão de mim mesma.

      Eu não consegui neutralizar a energia dos dois e tive que sair de casa. Hoje eu moro na casa da minha sogra, com quem me dou muito bem – tive muita sorte. O relacionamento à distância é como se fosse uma dose concentrada, com mais saudade e menos tempo pra tanta bobeira.

      Eu espero que você consiga separar o seu problema do deles e tenha força pra dizer “se resolvam e não me envolvam!”. Você parece ser uma menina doce, inteligente e muito consciente da sua situação. Se apegue a isso, lembrando que eles também tem suas qualidades. Mantenha o pensamento simples: “meu pais são OSSO, ainda bem que eu não sou assim.” – Separe as energias.

    • Me identifiquei muito com seu comentário, cresci em ambiente bem hostil com meus pais. A única coisa que deu jeito foi morar bem longe. Minha vida mudou muito depois disso, para a melhor. Espero que você consiga sair dessa também.

    • Mariana, complicada a sua situação, mas como dizem os outros comentários, cabe a você procurar usá-los como um exemplo a não ser seguido. Acredito que ainda há um mito forte de que os pais são criaturas puras e sagradas que devem ser amadas e respeitadas (criada sobretudo pela religião), que acabamos tendo um certo pudor em criticá-los ou que isto nos tornará alvos de críticas. Os pais são seres humanos como todos os outros e existem aqueles que são bons e ruins, aqueles que dão a vida pelos filhos se necessário for e aqueles que abandonam assim que nascem. Espero que você consiga fechar o seu espírito para as energias negativas que eles emanam.

    • Minha vida foi horrível até a minha saída de casa. O difícil é no meio de tantas brigas termos cabeça para estudar e trabalhar. Mas pra mim foi isso que me deu segurança, era somente quando eu estudava (em bibliotecas) e trabalhava que ficava bem. Fiz disso, o silêncio, estudo e trabalho meu porto seguro. É como meditar e orar… Assim, mesmo depois tentei me aproximar novamente, e o padrão familiar continuava. Sofri muito preconceito por não querer me aproximar da minha família, sei que tentei muito, muito e muito. A consciência da minha saúde psicológica só veio com a terapia. E vejo que foi por causa de não querer fazer parte disso e querer estar em paz (mesmo não podendo antes), essa lembrança é que mostra hoje quem eu sou. Sou vitoriosa e permaneço em paz e de acordo com os alicerces que construi na dificuldade, nas brigas: estudo, silêncio/meditação (DEUS) e vontade de estar longe de problemas. Fica com Deus, vai dar tudo certo. OBS* sugiro procurar um psicologo, terapia em grupo, o quanto puder, se for só uma vez também essa experiência estará com vc.

  2. Boa Noite Mariana,
    Seus pais tem a vida deles, se eles vivem de uma forma que não te agrada e não te acrescenta, não use eles como base, mas sim como um exemplo a não ser seguido, bem ou mal eles estão vivendo as escolhas deles, planeje e alimente a sua. A força maior esta em Vc.

    • Boa! Eu passo por esse mal, Mariana! Mas é como nosso colega falou acima. Pense em você. Não é porque eles são seus pais. São pessoas como você. Não se culpe por eles serem assim e você querer não receber isso. Você não está desrespeitando eles. Só está se preservando. ?

  3. O título devia ser: Como se tornar uma pessoa alienada, indiferente a tudo ao seu redor, se tornando uma lagarta gorda, comendo tudo pela frente. Me desculpe,mas devemos saber discernir bem as coisas que estão nos dizendo, dizer não às injustiças e não ser indiferente à ”dor do outro”, saber ouvir tb. Se fosse assim, Madre Tereza e outros teriam morrido todos loucos?! Não há nada mais recompensador do que fazer o bem a outra pessoa! Agora, tem que haver o discernimento entre aquele que realmente precisa e aquele que quer te explorar sim. Só que há uma distância grande entre um e outro. Não somos uma ilha, vivemos em comunidades. E é isto que devemos aprender: a viver em COMUM-UNIDADE

    • é exatamente isso que ele quis dizer. você discordou e concordou com o texto ao mesmo tempo! ahhahahaha Eu sou extremamente empática e gosto de ajudar os outros, mas os problemas se infiltram em mim, como agua em esponja. Quando eu aprendo a separar as energia e falar “não” quando precisa, eu consigo ajudar as pessoas de um jeito muito mais eficaz, e o que sobra é só satisfação, sem cansaço.

  4. Acabei de viver uma situacao assim com amiga. ela se mudou para meu predio, e comecou a invadir minha privacidade, e sugar minhas energias. Coloquei um basta, e um. Limite antes q a amizade acabasse…

  5. O QUE EU TENTO FAZER PARA ME SENTIR BEM E DA CERTO É NÃO ME SENTIR MAL COM O MAL QUE O OUTRO ME FAZ. É NÃO FICAR ME LAMENTANDO DEMAIS E RELEMBRANDO OU GUARDANDO A DOR QUE O OUTRO ME CAUSOU. MAS GOSTO SIM DE DAR RISADAS GARGALHADAS SER FLEXIVEL E ME AFASTAR DE CONVERSAS FIADAS OU ME AFASTAR DE PESSOAS QUE ME CAUSAM ESTRESSE. ESSE É O MEU JEITO “BRINCALHÃO” DE VIVER A VIDA.

  6. Acho que quando se procura “distanciamento” das emoções humanas alheias torna-se um tanto quanto “egoísta”, o mundo é assim nem todos possuem o “dom” a disposição de se confrontar com o outro seu “opositor” em nivél espiritual “elevado” ou planos mais “rasteiros” mas acreditem existem pessoas que enfrentam , mas aqueles que lidam com situações mais complicas ouvem sim, prestam atenção e possuem “suporte” para “aconselhamentos”, Xamãs, pais mães de santos Babas Iás , divulgar e informar para se evitar é cômodo…se você é cômodo ficará bem…meditar apenas e ir para um mundo sem trevas, sem negativismo que se encontram em ambientes de miserabilidade e sofrimento e ir para o paraiso sem ver as treva…

  7. Estou exercitando também e vejo que esse caminho da auto-preservacão e auto-respeito tem muito a ver com a consciência de si mesmo. Explico. Ås vezes interagimos com alguém e nos sentimos esgotados, cansados ou energeticamente drenados. De fato algumas pessoas são mais sensíveis e absorvem mais, misturam-se mais ao outro – é o meu caso. Isso é complicado porque muitas vezes me perco. O trabalho é separar as coisas e não necessariamente afastar-se da pessoa ou fugir da situação. Ter a consciência do que é seu e o que é do outro. Aí sim podemos ouvir e ajudar a quem precisa, olhando a situação objetivamente sem precisar ser tomado pela sensação do outro. Trabalho árduo e requer muita atenção!

  8. Se você sofre influencia de energias negativas de outras pessoas, é por que você tem afinidade com esse tipo de energia. Portanto, pare de apontar o dedo. Culpar o outro é fácil. Difícil é cultivar boas atitudes, bons pensamentos e bom caráter.

  9. É muito confortável dizer que quem tem problemas é um parasita de energia. Sendo assim, já fui uma. Mas o que eu precisava mesmo era de uma palavra que me ajudasse a entender o que estava se passando. Mas as pessoas ficavam mudas e eu lá exposta com todas as dores. Hoje, já superei e o que faço quando vejo uma “pessoa negativa” ou parasita é tentar entender o que se passa e de alguma forma dizer algo que acredito que vá acalmá-la. Se ela escutar, ok. Se ela me agredir, tô fora. E se ela apenas quer falar, falar e falar, não posso ajudar, não sou uma profissional. Parem de achar que quem tem problemas é vampira, parasita e tals e tentem diferenciar estas pessoas das verdadeiramente aproveitadoras!!!

  10. Não entendo bem assim…viver o egoismo sem prestar atenção ao seu próximo , é negar os ensinamentos de Deus e a sua misericórdia … esse isolamento, essa indiferença a tudo que se passa ao seu redor para ñ ser incomodado, não quer dizer proteção, defesa às forças negativas de alguém….tem conotação, ao meu ver, de egoismo , falta de tolerância e paciência para com o seu semelhante. Todos nós somos seres individuais, com as suas virtudes e defeitos…não há ser completamente bom ou ruim…estamos entre eles e precisamos uns dos outros para caminhar nesta vida…Claro que não devemos conviver com o maligno, mas,ajudá-lo a ser luz também…há uma força bem maior que tudo vence e nos une: o amor de Deus! Chega de ouvir coisa que só nos conduz à violência e ao desamor!

  11. Concordo totalmente com o Texto, como se da Amor se não se Ama? Como sustentar uma pessoa necessitada de Ombro se o seu não esta bem nem a vc? Então, não acredito ser falta de Amor ao próximo, ou deixar alguém sem acolhimento…isto sim é fazer o certo, porque se não esta em condições psicológica, física, é melhor nos aprofundar em ¨nosso próprio si¨ para ter condições de ajuda externa.
    E com certeza na Família, Pais, Filhos, etc, temos que buscar crescimento em aceitar a relação, pais não deixam de ser o mesmo separados, filhos sempre será filhos de ambos, o que não pode e´usar o outro para se vitimizar de algo que não deu certo entre duas pessoas que se desgastaram com o tempo sua relação. muita luz e energia positiva a todos nos…

DEIXE UMA RESPOSTA