A autoconfiança é um tema que invade cada recanto das nossas rotinas diárias, quer seja na esfera pessoal, profissional ou social. Já todos ouvimos alguém a justificar a insegurança de outra pessoa com a sua falta de autoconfiança; tal como, com toda a certeza, passámos grande parte da nossa infância a ouvir os nossos pais a referirem a importância de reforçarmos a confiança que temos em nós mesmos. Os nossos pais tinham razão! Felizmente, a autoconfiança é um processo que pode ser construído, trabalhado e, logo, melhorado. Quem está a precisar de aumentar a sua autoconfiança?

Autoconfiança vs. Autoestima

A autoconfiança não é propriamente o mesmo que autoestima – a primeira refere-se, sobretudo, à convicção que uma pessoa tem quanto a ser capaz de realizar alguma coisa, enquanto a segunda diz respeito à nossa autoaceitação. Não deixam, no entanto, de ser conceitos interligados já que, e segundo os psicoterapeutas Friederike Potreck-Rose e Gitta Jacob, a autoconfiança representa precisamente um dos pilares da autoestima.

No entanto, e apesar de estar intrinsecamente relacionada com as nossas competências efetivas, a autoconfiança é extremamente volátil e variável. Há momentos em que a sentimos com toda a segurança, e outros em que parece que perdemos por completo a confiança que tínhamos em nós. A autoconfiança depende de uma série de fatores que são específicos de cada personalidade, mas também de uma série de elementos contextuais – como as pessoas e os ambientes que nos rodeiam. Por exemplo, num grupo onde reconhecemos elevados níveis de competência social ou profissional, uma pessoa mais vulnerável pode facilmente sentir-se minimizada e, logo, com índices de autoconfiança reduzidos. Como contornar este sentimento de insuficiência pessoal e reforçar a nossa confiança própria?

Registe os seus sucessos

Por mais baixa que seja a autoconfiança e a autoestima de uma pessoa, é inegável que todos temos “momentos de ouro” ao longo da vida. Pegue num papel e numa caneta e registe todos os sucessos que já conquistou – desde o nascimento dos seus filhos e a obtenção de um diploma, da conquista do amor da sua vida à realização de projetos profissionais de êxito. Não se esqueça de guardar o documento (perfeito para consultar naqueles momentos de dúvidas) e de deixar espaço para os sucessos futuros!

Pense positivo

Sim, é verdade que nem sempre é fácil fazê-lo. Mas não é impossível. E há que ter noção de que algumas adversidades são verdadeiros desafios para se conseguir algo melhor. Adote um dos truques da Criatividade Estratégica e comece a desvendar vantagens que podem advir de todos os problemas com que se depara no dia-a-dia. Terminou uma relação que já não o fazia plenamente feliz? Apesar da dor inerente, será sempre uma possibilidade para conhecer outra pessoa, para ter mais tempo livre e, se quiser levar isto ao limite da criatividade, até vai ter mais espaço livre no roupeiro (ou a tampa da sanita sempre fechada!).

Conheça-se a si mesmo

Todos temos qualidades e defeitos, mas há pessoas que tendem em engrandecer aquilo que têm de menos bom. Pare com a tendência de autovitimização e autocrítica, optando antes por fazer uma lista dos seus pontos fortes e fracos – depois, é trabalhar para engrandecer o que tem de melhor e para melhorar o que pode ser efetivamente melhorado. A sua personalidade vai agradecer!

Leia mais: Como se livrar da vitimização?

Cuide de si

Aqui não há dúvidas: quanto mais cuidamos da nossa aparência, melhor nos sentimos. Com toda a certeza que já ouviu relatos de mulheres que, em “tempos de crise”, fazem a sua terapia de recuperação nas compras. Claro que não é necessário cair no exagero, nem gastar dinheiro, para aumentar a autoconfiança (até porque a carteira agradece tais cuidados!) – mas dedique mais tempo matinal a si e à sua imagem antes de sair de casa, e pode ter a certeza de que os seus dias vão ser muito mais positivos!

Comporte-se de forma positiva

Sabe que há estudos que comprovam que um sorriso atrai mais sorrisos? Pois é, a forma como lidamos com os outros está diretamente relacionada com o modo como eles se comportam connosco. Passe, por isso, a sorrir mais, a ser mais gentil e cordial, e a elogiar quem de facto merece um elogio. Irá surpreender-se com o efeito que isso terá nos outros e, sobretudo, em si.

Melhore as suas competências

Existem áreas que não domina especialmente bem? Tanto pode ser a confeção de um bolo como o manuseamento de um software informático que utiliza no seu emprego – dedique tempo a percebê-lo e a tentar fazer melhor. Irá com certeza errar algumas vezes antes de desempenhar essas tarefas com precisão. Todos sabemos que saber andar bem de bicicleta implica sempre alguns joelhos esfolados! Mas o resultado final vai compensar porque melhorar as competências pessoais e profissionais é aumentar a autoconfiança.

Defina objetivos, de preferência ambiciosos!

Não há nada mais prazeroso do que alcançar objetivos! E todos reconhecemos que, quando alcançamos algo que queríamos muito, sentimos os nossos níveis de autoconfiança reforçados. Por isso, habitue-se a estabelecer objetivos e lute para conquistá-los. Seja a compra de um automóvel ou uma promoção profissional, tudo é válido – depois só terá de se esforçar para que o seu objetivo se cumpra (e de comemorar – em grande! – as concretizações).

“Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje”

Pois, é um ditado antigo, mas que faz todo o sentido. Há tarefas entediantes que tendemos a deixar sempre pendentes – a limpeza geral da casa, a alteração de morada da carta de condução, a ida ao dentista… Mas habitue-se a fazer “já” tudo aquilo que tem de ser efetivamente feito. Deste modo, não só vai conseguir gerir do melhor modo o seu tempo, como vai libertar os seus pensamentos para aquilo que é realmente importante: a sua vida!

Leia mais: Seja feliz e comece agora! 

Prepare-se

Aumentar a autoconfiança não é um processo rápido. Até porque, como já vimos, ela é tendencialmente oscilante. Por isso, esteja consciente e preparado para todos os imprevistos que a vida nos vai apresentando. Trabalhe mentalmente a ideia de que um problema não é o fim do mundo e de que a sua vida tem mais situações positivas do que negativas. No fundo, trata-se apenas de descomplicar!

A autoconfiança? Está em si! Basta que dedique tempo (e esforço) para a encontrar sempre que precisar!

(Fonte: estadozen.com)

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA