Não sou psicóloga, mas advogando há 14 anos, já fiz tantos e tantos divórcios, já ouvi tantos desabafos em meu escritório, que acredito que posso dar algumas dicas sobre como superar o fim de uma paixão. Arrisco também dizer, que muitas pessoas casam empolgadas com uma forte atração, que confundem esta atração com amor, porque o amor mesmo é artigo raro.

Mesmo assim. Mesmo quando o relacionamento que acabou, não é um amor verdadeiro, dar a volta por cima (para quem foi abandonado) não é, nem de longe, uma tarefa fácil. Mesmo não sendo a pessoa que foi embora o “grande amor da sua vida”, dói e dói muito ser jogado para escanteio.

Então, sempre que um cliente que acabou de ser abandonado, senta na minha frente e começa a chorar, conto uma história. Uma entrevista que assisti certa vez, faz muitos e muitos anos. Uma entrevista de um psicólogo, especialista em namoro cujo nome, infelizmente, não me recordo.

As palavras dele, estudioso no assunto foram uma lição. Ele disse o seguinte: a paixão, diferente do amor, não é demais lembrar, surge por três motivos: atração física, admiração e esperança de ser correspondido. Acabando um deles, a paixão também acaba.

Eu concordo plenamente com esta tese. E conversando com qualquer pessoa apaixonada dá para perceber que realmente estes três motivos estão lá, tão presentes e tão visíveis, que é impossível não ficar comovido. A atração em primeiro lugar. É verdade. O apaixonado sempre acha o objeto de sua paixão muito atraente, que pode ser feio aos olhos do resto do mundo, menos para seu enamorado. Aos olhos de seu admirador, ele é perfeito. O apaixonado sente ciúmes, porque acredita piamente que muitas pessoas em volta sentem a mesma atração que ele. E o apaixonado pode até dizer, muitas vezes diz, que não o considera bonito, mas sente-se atraído. Muito atraído.

Leia Mais: Economistas descobriram como prever o divórcio só com 2 perguntas

O segundo motivo, a admiração também é perceptível em uma simples conversa. Já fiz tantos divórcios em que ouvi “ele é inteligente, tem capacidade para tão mais, o problema é que não se esforça.” Isto deixa bem clara a admiração. Realmente, ninguém se apaixona por quem não considera inteligente e capaz de vencer obstáculos.

Então, é o terceiro motivo que precisa desaparecer. Já que a admiração e a atração não morrem do dia para noite, resta a quem “levou o fora” cortar a esperança de ser correspondido. Porque perdendo a esperança, a paixão logo se esvai. Mas como se perdem as esperanças?

Em primeiro lugar, parando de obter informações a respeito de seu (sua) ex. Corte as fofocas. Você não sabe (e não quer saber) com quem ele está saindo. Já diga para amigos e parentes não contarem mais nada. Não o siga em redes sociais. O ideal é excluí-lo, mas se não for possível, por ter filhos em comum, por exemplo, ou ainda por compromissos profissionais, pelo menos deixe de contemplar a imagem. Não olhe fotos. Não telefone. Não mande mensagens. Assim, você vai tirando esta pessoa do seu campo visual e isso é muito positivo.

Claro que quando existem filhos em comum, não é tão fácil, mas atenha-se apenas a conversar sobre assuntos que dizem respeito às crianças. E jamais, em hipótese alguma, as faça de “pombos-correios.” Não é bom para você e, principalmente, não é bom para eles. E, pode ter certeza, se era paixão, seguindo estas dicas, vai passar mais rápido. Se não for, infelizmente, não tenho uma receita. Acabar com o amor, o amor verdadeiro não é fácil. Amor é um sentimento nobre e, quando é verdadeiro mesmo, não acaba.

Estou falando daquele amor incondicional, como o que as mães sentem pelos filhos. Ele é tão raro, tão forte. Aquele amor que aconteça o que acontecer, para o que der e vier, não se acaba com o divórcio. Se é este o seu caso, a única coisa a fazer é se afastar, não se informar e deixar a porta aberta. Sem insistir, sem se humilhar, sem se rebaixar.

Se voltar ótimo, felicidades. Do contrário, pelo menos seu amado não vai perder o respeito por você. Porque nada faz uma pessoa se desvalorizar mais perante o ex do que ficar correndo atrás dele tentando reatar, passando por cima de seu amor-próprio. O amor próprio é muito importante. E nada impede que você ame também outras pessoas.

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Saíle Bárbara Barreto

Advogada. É colunista do site Fãs da Psicanálise.



1 COMENTÁRIO

  1. E quando você está quase conseguindo eliminar a terceira e a pessoa envia mensagens dizendo que sente falta e que você é importante para ela, por isso ela quer retomar, mas não o namoro, e sim a amizade. Como não ter esperança? O que será que ela quer realmente? Fico até meio paralisado quando ela me procura, queria ela comigo mas nunca como amiga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here