Uma amiga me ligou essa semana: “Ná, minha mãe está com câncer, eu não consigo parar de chorar”. Há quinze dias foi uma paciente: “Doutora, minha avó me contou que está com câncer de pâncreas, consegue um horário urgente?”.

É claro que consegui o horário urgente e também algumas horas no telefone com a amiga. E ainda acabei por assistir uma palestra sobre o assunto para me atualizar, lembrar e aprender.

Mas o fato é que nesses momentos algo me toca lá no fundinho e deve tocar você também. O Câncer, descobrir que alguém está com essa doença é algo devastador. Para quem esta doente, sem dúvida, mas também para aquele que recebe a notícia.

Acho que deve ser assim também quando recebemos o diagnóstico para outras doenças, não sei. A morte fica ali sorrateira, parece zombar de nossa cara dizendo: “vc achou que eu não ia chegar perto de você, não é?” até o nunca mais.

Quando falamos deste medo logo me vêm a cabeça as provisões narcísicas. Quantas vezes o choro daquele que recebe a notícia de que alguém está com câncer é mais alto do que de quem está doente?

Preste atenção se isso ocorre com você. Chore, sofra, sinta dor, mas depois lembre-se de quem está doente e ofereça a sua fé.

Fé é tocar naquilo que não podemos atingir, é aceitar que a vida lhe dará conforme as suas necessidades.

Todos morreremos, é óbvio, só não sabemos quando e nem como. Olhe com amor e ofereça a sua fraternidade.

Não coloque o seu medo como maior do que o do outro, semeie o seu amor onde está a célula doente e reflita no seu meio de vida, aprenda algo com os desafios. Como sempre lhe digo: estamos aqui para evoluir apenas.

Mais do que curar o câncer é preciso compreender o câncer. Controle essa experiência dolorida e não deixe que ela o controle.

Luz para o bem.

Assista ao vídeo sobre esse assunto aqui:

Compartilhar
Natthalia Paccola
Desde que começou os estudos em Psicanálise e Psicoterapia, a jornalista, bacharel em Direito e mestre em Ciências Naturais pela Unicamp,  Natthalia Paccola levanta uma premissa sobre a sua vida profissional: nunca aceitaria rótulos ou doutrinas acadêmicas. Mas é claro que sofre influências de vários pensadores.Sua grande fonte de inspiração como autoridade em levar Luz para o Bem através de mídias sociais, no entanto,  tem sido os seus próprios seguidores, cerca de 10 milhões que passam semanalmente pela sua Fanpage, Grupos, YouTube, Site, Instragram ou Twitter.




SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA