Eu sei que o coração está apertado e que a vontade de chorar está grande. Eu sei.

Sei que você tem tentado ser forte e que isso não parece funcionar, mas acredite, você tem surpreendido.

Sei que você quer se esconder do mundo e apagar as mágoas do passado, eu também queria, mas não dá.

Sei que você ainda pensa naquela pessoa com carinho, mas que às vezes você quer matá-la. Isso é vestígio de amor.

Sei que sente falta dos amigos e das risadas, e sei que sente que está os perdendo, mas não está. Amigos são assim, relaxa. Eles somem, mas quando você precisa, estão ali.

Eu sei que o mundo sufoca um pouco, que tira o sono e que as pessoas parecem surtadas… Algumas realmente surtaram, não é só impressão.

Sei que você não vê um pôr do sol decente há meses porque a correria dos seus dias nessa corrida de ratos tem te feito cego.

Sei que você não sente vontade de levantar da cama porque parece não ter nada de produtivo para fazer fora dela, mas acredite, tem um dia lindo lá fora, quem sabe você vê um pôr do sol?

Sei que perdeu a vontade de fazer as coisas que mais amava, mas é só uma questão de tempo, esse conflito vai passar.

Sei que você tem medo de andar nas ruas porque sente que não está segura, esse medo é universal.

Sei que as pessoas que você ama às vezes te cobram coisas que nem elas são capazes de realizar, mas elas não fazem por mal, ignora.

Sei que você tem vergonha de si, mas você é incrível!

Sei que o mundo parece pesado, e ele de fato é, mas você não precisa carregar nas costas, divide.

Leia mais: É preciso ter fé, acreditar e seguir

Sei que você sente que não se encaixa em lugar nenhum e isso te machuca, mas é o mundo que está vazio demais para pessoas que transbordam.

Sei que tudo parece não fazer sentido e você tem medo de se comunicar e ser mal interpretada, e você será, só tente aprender a lidar com isso.

Sei que as pessoas te fizeram promessas e não cumpriram, tenta não esperar demais dos outros, você também tem promessas para cumprir.

Sei que você se sente sozinha às vezes, mas a ideia de uma companhia te assusta. É difícil lidar com essa insegurança, né? Eu sei.

Sei que você sente que está perdendo seu tempo e que tudo parece não conspirar a favor, mas entenda que as coisas não acontecem no nosso tempo.

Sei que você queria conversar com alguém por horas e horas, mas todo mundo parece ocupado demais pra te ouvir. Converse com as paredes, elas são boas ouvintes.

Sei que você tem milhares de palavras guardadas e tem medo de expor, mas tente, tem gente precisando ouvir.

Sei que você sente que o mundo precisa da sua ajuda e que você pode mudar as pessoas, mas sinto muito, você não pode.

Sei que você quer ser livre e parece que quanto mais você procura sua liberdade, mais distante ela fica, ela só está esperando o momento certo pra te acompanhar.

Eu sei que você já se cansou, mas não chegou até aqui para desistir, né?! Vamos cansados mesmo!

Eu acho que sei tanto…

Leia mais: O medo à liberdade e a alma humana (Leandro Karnal)

Eu sei de muitas outras coisas, de muitos outros medos, de muitos amores e muitos conflitos que você carrega. Isso faz parte da vida. A gente amadurece com o tempo e as dúvidas e dores nos ajudam nisso.

Senta na calçada, deixa o vento acariciar seu rosto. Beba um café quente, queime a língua, adoce demais. Escute sua voz interior, converse com ela. É confusa essa bagunça, mas faz parte.

Eu sei que tudo vai passar, é só uma questão de tempo…

Eu acho que sei.





SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA