Eu deixei de acreditar em paixões, mas acredito que o amor verdadeiro é único. Depois de algumas experiências amorosas, conclui que nunca vi um amor acabar sem muitas explicações ou com desculpas sem nexos, nunca vi um amor humilhar, nunca vi um amor que não superasse diferenças, obstáculos.

E, se todas essas situações acontecem, esteja certo que é melhor arrumar as malas e viajar para outra pessoa que, realmente, vai te fazer feliz.

Vivemos várias situações de amores. Loucuras vividas que, quando lembradas nos colocam um sorriso no rosto ou uma vergonha selada. Há quem defenda que se ama apenas uma vez. Será? Desconfio que sim, outras que não, mas tenho certeza que aquele sentimento perfeito que se chama amor, existe em diferentes expectativas e sentidos.

O amor é um sentimento sublime na nossa existência e, se for sem interesse, sem disputa, sem cobranças, se descobre o segredo para durar uma vida toda. Se existir qualquer maldade por menor que seja ou uma traição, melhor você repensar o seu relacionamento e, quem sabe, seguir adiante para conhecer um amor real que exige mais do que beijo bom e “eu te amo” da boca para fora.

Amor real é quando você pensa em cair em tentação e não se permite, porque o seu namorado, o seu marido, o seu noivo, é mais importante de corpo e alma do que qualquer rostinho ou corpo bonito alheio.

O amor pode nos tentar com briguinhas bobas, palavras que doe a alma e que nos ofende, pode escapulir um olhar para alguém mais bonito ou atraente do que nós, mas se for verdadeiro, serão pequenos escapes que não influenciarão o relacionamento.

Amor é amor e suporta, espera, pede perdão, comunga. Amar alguém é olhar e perceber através de uma palavra ou um olhar estranho que não estão bem. Amor é mais do que estar juntos vinte e quatro horas por dia, é sentir o dia e a noite na pessoa, é eternizar o momento, mesmo que sejam cinco segundos. Amor é quando ele traz aquele doce, aquele chocolate que gostamos apenas para nos agradar.

Parei de acreditar em amores de romances e novelas, quando fui descobrindo que esse sentimento é melhor do que viver de aparência, do que procurar pela pessoa perfeita, do que ter uma pessoa apenas para ter. Descobri também que cada amor tem suas intensidades, vontades, objetivos e, aquele especial, além de ser doação e entrega, é nosso melhor amigo.

Sim, se ama algumas vezes, é verdade, mas eu acredito que aquele amor que toma conta das nossas vidas, nos faz querer bem o tempo todo, que cuida de nós em todos os momentos, é exclusivo e acontece uma única vez.

Leia mais: A coragem para amar de novo

Têm pessoas que pensam amar todas as vezes que estão em um relacionamento, e então me pergunto: será? Sim! E por que não? Ainda não foi criada nenhuma fórmula para que amássemos uma vez, porém eu criei o meu sentido para amar alguém com partilha de emoções e sentimentos.

E, você, já criou a sua fórmula para um único amor? Ou vai ficar amando em diferentes intensidades e tons os encontros que vêm e partem? A paixão é tão parecida com o amor que pode nos enganar…

Se o amor tentar te distrair com conversas de uma relação moderna e aberta. De que foi apenas um beijo na outra e nada mais. Que a mentira foi apenas um deslize, que te ama e precisa de um tempo. Que ficar em casa é o melhor programa.

Que a mensagem do celular deve ter sido engano. Que tenta te persuadir com desculpas que você já conhece muito bem… Por favor, olhe para dentro de si mesmo e lembre-se que esse amor não existe, é apenas o seu sentimento insistindo e, se partir de fato, foi apenas mais um alguém.

Eu nasci tão romântica, que comecei escrever amor quando ainda era criança. Fui vivendo meus amores, que pensava serem minha vida, mas a verdade, eles eram apenas paixões de menina.

Os anos se passaram um pouco mais, descobri que poetizar seria o melhor de mim, para me expressar em sentenças, o que meu coração transborda. Ainda teimo em palavras de amor me tornar um poema, e de tanto criar versos, me achei no amor dele, me entregando em estrofes de dedicação e amizade.

RECOMENDAMOS




Simone Guerra é mãe, escritora, professora e encantada pela vida. Brasileira morando na Holanda. Ela não é assim e nem assada, mas sim no ponto. Transforma em palavras tudo o que o coração sente e a alma vive intensamente. Apaixonada por artes, culturas, línguas e linguagem. Não dispensa bolo com café e um dedinho de prosa.

6 COMENTÁRIOS

  1. Há contradição no texto.
    O mesmo diz que o amor tudo suporta, mas se houver um erro como a traição é melhor repensar.
    Quero dizer que o amor vem de dentro, não se cobra o outro para não errar.
    Ou você ama ou coloca condições.
    Seu amor pelo outro é que mostra os erros e perdoa os atos falhos do ser humano.
    Amar é o sentimento sublime.
    Você ama o outro mesmo ele não te amando.
    Vale o autor repensar sua forma de amar, pois esse amor tá mais pra conto de fadas do que realidade.

    • Talvez porque o texto não fala somente sobre amor dado, mas também sobre amor recebido. Perceba que não há contradições:
      “O amor tudo suporta” não significa que tudo devemos aceitar em prol de um “amor” que claramente não é tão puro assim. Muito se contradiz ao dizerem que devemos suportar à tudo pois o amor tudo suporta, mas e se tentarmos enxergar por outro ângulo? Riscamos “o amor tudo suporta, até mesmo a traição” e substituímos por “o amor tudo suporta, até mesmo a tentação de trair”. E agora, fica mais fácil de compreender? A expressão “o amor tudo suporta” não significa suportar a todos os erros e traições para estar com alguém, mais sim suportar a todas as tentações para não ferir a pessoa que se ama.
      “Se o amor vem de dentro, não se cobra o outro para não errar”, de fato. Isso porque não cabe ao amor impor condições, mas cabe a ele doar respeito. Errar significa cometer um ato impensado que termina em más consequências, julga-se os erros pela sua intenção, não pela sua existência. Trair não é errar, é cometer um ato ciente de suas consequências para com a pessoa que se diz amar. E se aquele amor que acreditas receber venha carregado de traições, dor e mágoas, não há como ser amor.
      “Você ama o outro mesmo ele não ti amando”, frase de contos de fadas. O amor, diferente do que muitos pensam, não nasce do nada. O amor precisa ser plantado, regado, cuidado, cultivado para que possa florescer, não existe amor à primeira vista, tampouco amor à desconhecidos. Se amas alguém por dois, não amas nem a ti mesmo e, se não amas a ti mesmo, não podes amar ninguém. O amor próprio é o caminho para o amor ao próximo, pois sem isso, projetamos nos outros aquilo que não temos em nós mesmos, muito mais tem a ver com carência que com amor. Não se pode amar por dois.
      O grande erro da humanidade é superestimarem o amor, transformando-o numa armadura quando o mesmo não o é. Amar não é sacrifício, o amor não é uma guerra e pouco tem a ver com ter ou estar. O amor é uma rosa, delicada e com espinhos, nos quais não se toca propositalmente, mas somente ao tentar apreciar a beleza de suas pétalas. Cresce em seu próprio eixo, colore-se para si mesmo, floresce se for cultivado, murcha e morre ao ser destratado. E o não entendimento do que de fato é o amor, é o mal que gera tantos corações partidos e almas solitárias com medo de amar.
      Assim como disseres, vale repensar sua forma de amor, pois este amor que descreves mais se parece com letras de músicas de banda emo adolescente ou poemas daqueles que nunca de fato conheceram o amor.

  2. Achei lindo!
    Estava me perguntando ao relembrar dos meus amores passados rsrs…
    Será que eu amei somente uma vez, ou várias vezes? Kkkkk
    Mas com certeza o amor que tudo suporta, somente vem de Deus e nunca do ser humano! Parabéns pelo texto!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui