Os contos de fada são provavelmente o primeiro contato da criança com o mundo da fantasia formalizado em uma narrativa.

Muito além de um simples desenvolver da criatividade, as histórias infantis têm o poder de auxiliar as crianças a suportar seus conflitos ao se identificar com as personagens, uma vez que elas personificam aspectos de seus dramas interiores.

Inicialmente, nas primeiras vezes em que foram redigidos, os contos de fadas não eram uma literatura voltada para as crianças, até porque o conceito de infância foi modificado durante os séculos e a literatura acompanhou tal mudança.

Essa transformação se deu aos poucos, com diversos autores como Perrault, no século XVII, na França; com os irmãos Grimm no século XVIII, na Alemanha; e com Walt Disney no século XX, na América do norte.

Na modernidade as histórias infantis se apresentam em muitos formatos diferentes, continuam se readequando às mudanças sociais e não se dirigem exclusivamente aos pequenos.

Leia mais: Entenda como os contos de fada influenciam a sua vida

Provocam sentimentos e reflexões a jovens e adultos das mais diversas idades.

Todos nós temos lembranças afetivas dos primeiros desenhos e histórias que tivemos contato ainda quando crianças. Faça uma breve reflexão e tente descobrir qual sentimento virá à sua consciência ao se recordar dessas histórias.

Certamente encontrará uma relação com sua própria história de vida e seu processo de subjetivação, com significados ainda presentes.

É inevitável deixar de perceber a magia presente nas histórias infantis, há uma grande potencialidade para a elaboração simbólica nestes conteúdos, com fortes recursos sensíveis à resolução de conflitos internos.

Através das músicas, conteúdos simbólicos, personagens e narrativas de vida, as histórias aproximam o telespectador e/ou leitor, podendo ser um rico instrumento e uma especial experiência, potente ao despertar criativo.

SUGESTÕES

-Into The Woods (Caminhos da Floresta).

É um filme de 2015 que aborda uma visão moderna dos clássicos contos dos irmãos Grimm, cruzando algumas histórias e explorando possibilidades a partir dos desejos das personagens.

-Once upon a time (Era uma vez).

É um seriado que está na sexta temporada e aborda o gênero contos de fadas de maneira original, com a criação de histórias interligando vários personagens de várias histórias infantis.

Compartilhar
João Paulo Zerbinati
Psicólogo Clínico de Orientação Psicanalítica, atendendo em Itápolis-SP. Graduado pela PUC-Campinas. Mestrando pela Faculdade de Ciências e Letras, UNESP-Araraquara. Membro do grupo de pesquisa SexualidadeVida USP\CNPq. É colunista do site Fãs da Psicanálise.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA