“A beleza da vida está igualmente em sua luz e sua escuridão.”
William Faulkner

Quando uma pessoa está devastada pela dor, a última coisa de que ela precisa são conselhos. O seu mundo foi destroçado e o ato de convidar alguém, quem quer que seja, para entrar nele é um grande risco. Tentar consertar, racionalizar ou eliminar a sua dor apenas aprofunda o terror. Em vez disso, a coisa mais poderosa que você pode fazer é reconhecer aquele sofrimento. Dizer, literalmente, as palavras: “Eu reconheço a sua dor. Eu estou aqui com você”.
(…) Note que eu disse com você, não por você. Por implica que você fará alguma coisa. E não é esperado que você faça nada a não ser ficar do lado de quem você ama, sofrer com ele, ouvi-lo.

Não existe uma ação maior do que o reconhecimento. E o reconhecimento não exige treino, nenhuma habilidade especial, nenhuma expertise. Somente a vontade de estar presente com uma alma ferida e permanecer presente pelo tempo que for necessário.

Esteja lá. Apenas esteja lá. Não vá embora quando se sentir desconfortável ou sentir que não está fazendo nada. Na verdade, é quando você se sente desconfortável e acha que não está fazendo nada que você deve ficar.

Porque é nesse lugares, nas sombras em que raramente nos permitimos entrar, que os princípios da cura são encontrados. A cura é fundada quando encontramos outros que desejam entrar naquele espaço conosco. Todas as pessoas enlutadas do mundo precisam de pessoas assim.

Estas palavras são poderosas porque miram diretamente as platitudes patéticas que nossa cultura construiu em torno das perdas: a perda de uma criança não pode ser resolvida, ser diagnosticado com uma doença debilitante não tem solução, encarar a traição de uma pessoa próxima não tem cura. Todas essas coisas podem apenas serem suportadas. E quem nos ajuda, os únicos que nos ajudam, são aqueles que ficam ao nosso lado. E não dizem nada. E nesse nada, fazem tudo.

Este texto foi extraído do blog de Tim Lawrence, músico erudito que sofre de paralisia cerebral, experimentou na pele muitas perdas e dificuldades e se dedica ao tema da adversidade e resiliência em seu blog The Adversity WithinLawrence usa sua experiência pessoal para ajudar as pessoas a sobreviverem ao luto e ao sofrimento. Ele acredita, como nós, que ninguém deveria enfrentar as adversidades sozinho.

(Autora: )

(Fonte: vamosfalarsobreoluto.com.br)

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA