Jennifer Aniston vive na mira de papparazzis e tablóides, que especulam sobre sua vida privada e sobre seus planos de ter filhos.

Recentemente, foram publicadas fotos da atriz vestindo biquíni, em momentos de diversão em suas férias, e logo o boato sobre uma possível gravidez surgiu.

Cansada, tanto dessas cobranças quanto dos palpites em sua vida privada, a eterna “Rachel” de Friends resolveu falar.

“Eu não gosto de dar energia para o negócio que vive de mentiras, mas queria participar de uma conversa mais ampla – que já começou e deve continuar”, afirmou.

Em um longo desabafo ao Huffington Post, iniciou a sua reflexão falando sobre as perseguições que ela e o marido sofrem constantemente.
“O mês passado, em particular, iluminou minhas ideias no que diz respeito ao quanto nós definimos o valor de uma mulher com base no seu estado civil e materna.
A enorme quantidade de recursos gastos pela imprensa tentando simplesmente descobrir se estou ou não estou grávida aponta para a perpetuação desta noção de que as mulheres são de alguma forma incompletas, sem sucesso, ou infelizes, se não estão casadas e com filhos.
Neste último período de notícias sobre minha vida pessoal, houve fuzilamentos em massa, incêndios florestais, as principais decisões do Supremo Tribunal”, alfinetou.

Leia mais: Elas disseram não à maternidade

“Aqui era onde eu queria chegar: estamos completas com ou sem uma companhia, com ou sem um filho. Nós começamos a decidir por nós mesmas, o que é belo quando se trata de nossos corpos. Essa decisão é nossa, e só nossa. Vamos tomar essa decisão por nós e para que as jovens mulheres neste mundo olhem para nós como exemplos. Nós não precisamos ser casadas ou mães para sermos completas. Nós começamos a determinar nosso próprio ‘feliz para sempre'”, concluiu.

Em outro momento da crítica, direcionou seu desabafo às publicações de fofoca e no modo com que elas tratam as mulheres – de celebridades às anônimas, que sofrem com o reflexo deste desserviço.

“Se eu sou algum tipo de símbolo para algumas pessoas lá fora, então, é claro que sou um exemplo de como nós, enquanto sociedade, enxergamos as nossas mães, filhas, irmãs, esposas, amigas e colegas.
A maneira como sou retratada pela mídia é simplesmente um reflexo de como vemos e retratamos as mulheres em geral, avaliadas de acordo com um padrão distorcido de beleza. É um acordo subconsciente. Nós estamos no comando do nosso acordo. As meninas em todos os lugares estão absorvendo o nosso acordo, passivamente ou de outra forma. E isso começa cedo. As meninas recebem uma mensagem dizendo que não são magras o suficiente, que não são dignas de nossa atenção, porque não se parecem com uma modelo ou atriz da capa de uma revista. […] É algo que estamos todos comprando com boa vontade. Usamos notícias de celebridades para perpetuar essa visão desumanizante de mulheres, focada apenas na aparência física. ‘Ela está grávida? Ela está comendo demais?'”, diz.

A estrela finalizou dizendo que devemos mudar o nosso modo de consumir notícias. “O que pode mudar é a nossa consciência em relação às mensagens tóxicas dentro destas histórias”. Segundo ela, talvez assim, as publicações deixem de fomentar a objetificação e o julgamento de mulheres. “Eu não estou grávida, eu estou farta”, bradou Jennifer Aniston.

(Autora: Isabella Marinelli)
(Fonte: mdemulher.abril.com.br )

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA