Com desejos de reviver aventuras e emoções, Jean Holloway é uma psicóloga que passa a desenvolver relações perigosamente íntimas com as pessoas próximas aos seus pacientes.

Com 10 episódios de uma hora de duração, a série acompanha a psicóloga interpretada por Naomi Watts, atriz duas vezes indicada ao Oscar. Embora tendo jurado ser o porto seguro confiável de seus pacientes e jamais lhes fazer mal algum, Jean quebra essa promessa. Ela começa a desenvolver relacionamentos íntimos e ilícitos com as pessoas que fazem parte da vida dos pacientes que atende em seu consultório. Jean ultrapassa limites da ética profissional, joga-se em fantasias perigosas e corre o risco de afundar em uma crise de identidade.

Ela se entrega a ações perigosas onde o lema é: Nós não temos tanto controle sobre nossas vidas quanto pensamos que temos!

Confiram o trailer e aproveitem a primeira temporada!

Você já assistiu toda temporada? Deixe seus comentários, podemos fazer um bate-papo sobre esse tema, o que você acha?

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.


8 COMENTÁRIOS

  1. A série nos leva pensar no quanto expomos pessoas do nosso convívio durante o processo de terapia. É meio assustador imaginar que nossas confidenciais possam estar sendo utilizadas de forma tão anti ética.
    Vale a pena assistir!

  2. Muito interessante como a questão do inconsciente é abordada de forma a fazer com que Jean continue na trama. Porém, ainda mais interessante é que ela está consciente pois sabe dos riscos éticos de taís atitudes e mesmo assim não consegue controlar os seus impulsos. Aparentando,pois, refletir seu descontentamento conjugal e da vida que escolheu nos impulsos a fim de amenizar a rotina.

  3. To louca pela segunda temporada. A perda de controle acontece pela resistência dela en aceitar um tratamento para sua dupla personalidade, o que de fato era alimentada e estigada com as pessoas mais próximas de seus casos clínicos. Ela tinha como forma de comprovação para ela mesma o outro lado da escuta, manipulava e se envolvia para que tudo fosse natural, porém, a psicóloga, tinha todo um parâmetro de ambos os lados onde ela intervinha de forma direta e pessoal na vida dos pacientes, pois queria impor as coisas por ter ido vasculhar o “outro lado da moeda”.
    Tudo por uma resistência a sua e saiu do seu controle emocional e psíquico.
    Muito boa a série até a primeira temporada.
    Por ser psicóloga e na abordagem psicanalítica eu quase tive um torço em várias cenas hahahahhahaha…sensacional.

  4. O que a maioria das pessoas não percebem na série é que o objeto da série são as neuroses da própria analista, enquanto os analisados são personagens que ressaltam o personagem principal, a própria analista. Suas perversidades, fuga da vida real e, talvez, um desvio de personalidade.

  5. Gostei bastante da série e com certeza deixará mil fantasias na cabeça das pessoas que assistirem. Mas o que deve ficar claro é que a série mostra uma realidade que pode ser realmente real, cair nas mãos de um terapeuta com transtorno de personalidade pode ser possível, nossa que triste! Vendo as barbaridades que são cometidas pela Psicóloga da série, é até de duvidar que existam profissionais nesse nível de perversão. Muitos Psicólogos ou Psicanalista que relutam em não estar em terapia, fica a dica. É uma série que deixará muitos clientes / pacientes com o pé atrás.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here