O transtorno de personalidade dependente (TPD) é um transtorno de personalidade ansiosa caracterizado pela incapacidade de ficar sozinho. As pessoas com transtorno de personalidade dependente precisam de outras pessoas para obter conforto, segurança, conselhos e apoio.

Embora as pessoas que não apresentam este quadro clínico às vezes tenham esses sentimentos, as pessoas com TPD não vivem sem a aprovação de outros. Elas desenvolvem sintomas de ansiedade quando estão sozinhas. De acordo com a Clínica de Cleveland, nos EUA, esse quadro normalmente se manifesta no início até o meio da idade adulta (Cleveland Clinic).

Não se conhecem as causas do transtorno de personalidade dependente. Contudo, os especialistas mencionam tanto fatores biológicos como de desenvolvimento. Ter pai ou mãe superprotetora, por exemplo, pode desencadear o quadro.

Sintomas

Para que um transtorno seja classificado como transtorno de personalidade, precisa estar incluído em um dos seguintes grupos:

-Grupo A: comportamento estranho ou excêntrico
-Grupo B: comportamento exagerado ou imprevisível
-Grupo C: comportamento ansioso ou nervoso

O transtorno de personalidade dependente pertence ao grupo C.

Os sinais de transtorno de personalidade dependente incluem:

-comportamento submisso
-dependência de amigos ou da família para tomar decisões
-necessidade constante de aprovação
-sentir-se magoado facilmente com a desaprovação
-sentir-se isolado e nervoso ao ficar sozinho
-medo de rejeição
-sensibilidade a críticas
-incapacidade de iniciar projetos
-incapacidade de ficar sozinho
-tendência à ingenuidade
-medo do abandono

As pessoas com TPD podem exigir aprovação constante. Também ficam arrasadas com a ruptura de relacionamentos e amizades.

Quando fica sozinha, a pessoa com TPD pode sentir:

-nervosismo
-ansiedade
-medo
-falta de esperança

Alguns desses sintomas são os mesmos das pessoas com transtornos de ansiedade. As pessoas com outros quadros clínicos, como depressão ou menopausa, também pode sentir alguns desses sintomas. Entre em contato com seu médico se sentir algum dos sintomas acima para obter um diagnóstico específico.

Diagnóstico

O médico faz um exame físico para ver se algum problema físico pode estar causando os sintomas, principalmente a ansiedade. Podem ser pedidos exames de sangue para verificar se há desequilíbrios hormonais. Se todos os exames forem inconclusivos, o médico encaminhará o paciente a um especialista em saúde mental.

As pessoas que sofrem de TPD normalmente são diagnosticadas por um psiquiatra. O diagnóstico começa com um breve histórico dos sintomas, incluindo há quanto tempo eles começaram e como surgiram. Também podem ser feitas perguntas sobre a vida atual e a infância do paciente. Não existe um exame específico para diagnosticar o TPD; o médico analisará os sintomas, histórico e estado mental.

Tratamento

Normalmente são receitados medicamentos, como ansiolíticos e antidepressivos, para diminuir os sintomas de ansiedade. Esses medicamentos também são prescritos para o tratamento dos ataques de pânico que às vezes ocorrem em consequência da ansiedade extrema. Alguns medicamentos para ansiedade e depressão podem causar dependência, portanto é necessário consultar o médico regularmente durante o uso para evitar esse problema.

A psicoterapia em geral ajuda muito no tratamento do transtorno de personalidade dependente. A terapia ajuda a pessoa a entender sua doença. Também ensina ao paciente formas de criar relações saudáveis com os outros. A psicoterapia também é usada para aumentar a autoestima e assertividade.

Complicações

As complicações que podem surgir quando o TPD não é tratado são:

-distúrbios de ansiedade, como síndrome do pânico e transtorno obsessivo-compulsivo
-depressão
-abuso de substâncias
-transtorno fóbico-ansioso, caracterizado pelo medo constante de um objeto ou de uma situação

O tratamento precoce pode prevenir o surgimento de muitas dessas complicações.

As pessoas com TPD geralmente melhoram com o tratamento. Muitos dos sintomas associados com essa doença diminuem com a continuação do tratamento.

Como a causa do TPD é desconhecida, não existe forma de prevenir a doença. Contudo, o reconhecimento precoce dos sintomas e o tratamento imediato podem evitar que ela piore.

(Fonte: pt.healthline.com )

* Adaptação livre de Fãs da Psicanálise

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.


1 COMENTÁRIO

  1. Quando eu era mais nova eu gostava muito de uma garota, falava que ela era perfeita, eu passava o dia inteiro pensando nela, eu só tinha ela como amiga e considerava isso perfeitamente válido afinal ela era perfeita ao meu ver. Depois de um ou dois anos nisso eu me apaixonei por ela, a partir dai eu comecei a ir todo dia na casa dela para irmos para a escola, estavamos sempre juntas, eu não permitia que outras pessoas se aproximassem dela, sinto a que eles iriam corromper ela, então eu me isolada e isolava ela também, depois de 4 anos que eu a conheci eu disse que a amava, depois disso ela parou de falar comigo, passei quase um ano apenas observando ela de longe, vendo ela feliz sem mim, eu chorei quase todo dia, minha vida não fazia mais sentido, como eu iria sonhar sem ela? Como eu poderia pensar sem ela? Eu queria me matar por estar longe dela. Um dia voltamos a conversar, eu tinha me aproximado discretamente de um garoto que falava com ela, e lá estava eu, observando a perfeição dela novamente, apreciando tudo que ela fazia, pedindo ajuda com meus problemas, tratando ela como uma deusa… Nós se afastamos novamente, pois me aproximei de mais daquele garoto, tratando ele quase da mesma maneira que eu a tratava, ela disse que ele não era bom para mim, eu não acreditei, preferi segui-lo cegamente, ele se afastou de mim quando notou que eu não falava mais com ela (ele amava ela) é então fiquei sozinha novamente, sem esperança de ter qualquer um deles agora, pois ambos se mudaram (cada um para um lugar), depois disso conheci um garoto, me aproximei muito rápido dele e der repente estávamos namorando, ele queria fazer coisas que eu não queria, e pela primeira vez eu disse não, e terminamos, atualmente eu não falo com ninguém, tenho medo, minha dependência excessiva me faz mudar, eu só penso na pessoa e nada mais importa, eu só queria parar de sentir isso tudo e poder me aproximar normalmente de alguém, mas não consigo

    Desculpa pelo texto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here