Compaixão ao próximo? Ok. Mas e eu?

Você pode não perceber na maioria das vezes, mas a pessoa que mais te cobra na vida pode ser você mesmo. Levamos vidas cheias de obrigações, prazos e expectativas.

Não podemos derrubar a peteca no trabalho. Deixar os amigos sem resposta no WhatsApp? Nem pensar! Colocamos tantas coisas na agenda, que esquecemos de reservar um espaço para nos lembrarmos de que nem sempre tudo dá certo e que, sim, nós erramos!

Exigir perfeição em tudo que fazemos é a receita para o desastre perfeito. Quanto menos abertura ao acaso dermos, mais sujeitos estaremos a sofrer com ansiedade, depressão e outros males. Por mais doloroso que pareça, Muitas vezes, podemos nos tornar nossos maiores sabotadores.

Leia mais: Você é exigente demais?

Às vezes até parece que a gente se esquece de pensar na gente mesmo.

Que tal se a gente se desse uma colher de chá de vez em quando? Não se trata de ser indulgente e aceitar passivamente absolutamente tudo que nos acontece. O que propomos neste post é um exercício de aceitação.

Precisamos entender que não é possível controlar tudo e que, quando alguma coisa não correr da maneira que queremos, é melhor aprender com aquilo que dar murro em ponta de faca. É possível transformar uma experiência potencialmente negativa em uma oportunidade de aprendizado.

O vídeo abaixo fala sobre autocompaixão e explica bem o que dissemos acima. Assista e permita-se.
(vídeo em inglês. Selecione “ativar legendas” e “configurações” para português)

Para assistir a mais vídeos como este, acesse o canal The School of Life no YouTube.

É muito bom ter vontade de ser uma pessoa melhor e fazer as coisas direito, mas nem sempre tudo sai da maneira como planejamos. Calma. Vai ficar tudo bem.

(Fonte: zenklub.com.br)

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA