“A menor quantidade de coisas com significado, vale mais na vida do que as maiores coisas sem significado” Carl Jung.

De repente, todos nós estamos sofrendo. Não apenas a perda de vidas, mas também todas as perdas durante esta pandemia. Desistimos de muitas atividades amadas.

Lamentamos a perda de um senso de certeza e controle. Sentimos falta dos abraços e da proximidade física com amigos e familiares e de qualquer senso de previsibilidade da vida como antes a vivenciamos.

Estamos juntos nisto

O luto é complexo e multicamada. Cada pessoa processa e expressa tristeza de maneira individual, mas há conforto em entender que não se está sozinho durante essa pandemia. Embora geralmente nos conectemos com entes queridos durante o luto, o isolamento forçado mudou a maneira como normalmente lamentamos, tanto individualmente quanto juntos.

No entanto, em todo o mundo, as pessoas estão encontrando maneiras de identificar, entender e aceitar esse sofrimento coletivo. Por fim, como a pessoa lida, influenciará a maneira como ela se move além dela, recupera um senso de controle e encontra significado.

Fases da dor

Enquanto o distanciamento e o isolamento social continuam, observo meus pacientes se movendo entre vários estágios do luto. É o luto que inclui não apenas sentimentos atuais, mas sentimentos complicados pelas experiências passadas de perda de cada indivíduo, muitas das quais até recentemente estavam fora de consciência. E meus próprios sentimentos de perda.

Muitos estão familiarizados com os cinco estágios de luto identificados por Elizabeth Kubler-Ross em seu livro On Death and Dying : negação, raiva , barganha, tristeza e aceitação. Esses estágios podem ser aplicados a todos os tipos de perda, não apenas por morte, e deve-se ressaltar que esses estágios não se desenrolam necessariamente de maneira linear. Além disso, pesquisas mais recentes sobre luto identificaram um sexto estágio: encontrar significado.

Encontrando significado no sofrimento

Como alguém começa a encontrar significado na perda? Nas palavras de Viktor Frankl, “Quando não somos mais capazes de mudar uma situação, somos desafiados a mudar a nós mesmos”. O luto é uma experiência única para todos, afetados não apenas pela pandemia atual, mas também pelas experiências individuais de luto e perda.

Freqüentemente, a compreensão dos sentimentos de alguém pode ser alcançada através da experiência completa da profundidade e das etapas do sofrimento. Falar sobre nossas emoções pode nos levar a entender e examinar nossos sentimentos e, finalmente, tentar chegar a um acordo com eles. Para alguns, o diário pode ser uma maneira útil de expressar emoções. Para outros, a psicoterapia – expressar as emoções e contemplá-las junto com um terapeuta – pode ajudar.

Podemos aprender com os exemplos de resiliência de outras pessoas durante períodos de perda. Lembro-me da morte repentina de meu pai quando ele tinha apenas 54 anos de idade. Aparentemente de boa saúde, ele morreu de um ataque cardíaco no 18º buraco de um campo de golfe. Durante o ano seguinte, os amigos e a família de meu pai trabalharam diligentemente juntos, planejando um evento anual de golfe em homenagem a meu pai. Não apenas eles foram capazes de canalizar sua dor e obter apoio um do outro, mas também doaram fundos arrecadados para a American Heart Association na esperança de impedir que outros experimentassem uma perda semelhante. Ao compartilhar e agir de acordo com sua dor e perda, eles ganharam força e resiliência.

As ordens de abrigo no local oferecem tempo para reflexão; um espaço para priorizar o que é significativo, considerando e apreciando o que é mais importante para você. Muitos de meus pacientes e colegas, embora ansiosos e tristes, também falaram sobre suas poderosas experiências de aprofundamento dos relacionamentos interpessoais e satisfação pessoal por realizar ações gentis.

Exemplos de encontrar significado no luto

Um colega me disse recentemente que comprou e enviou um termômetro a um paciente que não pode sair de casa para obter suprimentos médicos. Esse gesto, que sob diferentes circunstâncias pode ser visto como um trabalho fora do papel usual do terapeuta, pode agora ser entendido como um ato de compaixão e um aprofundamento de seu relacionamento.

Meu paciente Joseph (que não é seu nome verdadeiro) vem deixando jantares noturnos na varanda para um vizinho vulnerável desde o início da pandemia. Recentemente, seu vizinho expressou gratidão e revelou que as refeições se tornaram o destaque de seu dia de quarentena. Essa gentileza não apenas fornece a Joseph um senso de propósito, mas também fornece ao vizinho vulnerável uma refeição quente e o conhecimento de que, apesar de estar fisicamente sozinho, ele está sendo cuidado e lembrado por outro.

Enquanto o luto se presta a uma maior consciência da fragilidade da vida, o significado cura, permitindo uma transformação do luto. Por fim, encontrar significado fornece sustento em tempos difíceis. E enquanto muitos continuarão lutando com o sofrimento prolongado e complicado e com o trauma após o término da pandemia, muitos se curarão à sua maneira, no seu tempo e vão além do sofrimento e da dor.

(Fonte: psychologytoday)
(Imagem: Gustavo Fring)

*Texto traduzido e adaptado com exclusividade para o site Fãs da Psicanálise. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.

Você sabia que o Fãs da Psicanálise também está no Instagram e no Facebook? Que tal fazer uma visitinha para nós por lá?

Compartilhar

RECOMENDAMOS




Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here