Na imagem está escrito que “existem dois tipos de pessoas”. Sim, as opiniões dependerão do ponto de vista que cada uma apresenta.

Enquanto uma vislumbra a beleza que é o Ipê; a outra fixa a sua atenção sobre a “sujeira” que as folhas do Ipê provocam ao cair no chão. Assim acontece durante nossa jornada…

Enquanto algo parece ser extremamente necessário para mim; para o outro pode ser desnecessário ao extremo. Enquanto o essencial para uma pessoa seja a simplicidade que a vida proporciona através da beleza do céu, do mar, do jardim; para o outro pode ser essencial possuir o carro do ano ou uma mansão.

São opiniões próprias construídas no percurso singular do sujeito e precisam ser respeitadas, pois cada um tem o caminho que escolheu para percorrer. É um direito! Se para você não faz sentido o caminho que o outro percorre, tudo bem, é uma escolha sua em não se agradar. Mas, lembre-se: é nosso dever respeitar o outro em toda a sua existência, independente de qual seja a escolha que o outro fez.

Então, meu caro, siga o seu e respeite o caminho de quem está ao seu lado, juntos, em caminhos diferentes, vão evoluir muito, pois sempre temos o que aprender com o outro.

O outro através da sua singularidade, do seu jeito de ser e das suas experiências adquiridas ao longo da sua trajetória, tem algo a nos proporcionar. E nós, também com nossa subjetividade, temos algo a repassar para esse outro. E ambos, precisam acolher e proporcionar; é uma via dupla, onde há o acolhimento e a contribuição entre ambos: Eu e o outro – O outro e eu.

É a nossa missão: acolher e colaborar para o desenvolvimento interior de quem se aproxima de nós, independente das escolhas que cada um fez para sua vida. Não podemos nos apegar ao sentimento de autossuficiência, pelo contrário, precisamos acreditar que devemos aceitar a contribuição que o outro tem a nos ofertar, seja na alegria ou na tristeza, nosso semelhante tem algo a nos ensinar e nós, temos algo a captar e também oferecer a ele. E mais, é na diferença do outro que aprendemos muito.

Se eu acho o Ipê lindo e você enxerga a sujeita que as folhas dele provocam, tudo bem, são pontos de vistas diferentes, mas não será por isso que não haverá respeito entre nós. Certo?

Então, queridos, acolham e respeitem a opinião do outro! Permita-se! Caminhe! Viva! Respeite!

Compartilhar

RECOMENDAMOS


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here