Estou cansado de pessoas que insistem em querer julgar-me.

Já não me preocupo nada em saber se gostam ou não de mim, porque tenho a certeza de que não me suportam.

O que realmente desejo é que me deixem em paz.

Não importa quem são ou qual o seu nome.

O que me interessa é que entendam que já não tenho espaço na minha vida para quem me quer humilhar ou desdizer.

Sempre aceitei críticas, mas sempre abominei juízos.

Na verdade, quem me julga, espelha-se em mim. Quem me julga, vitimiza-se na negação de quem gostaria de ser. Quem me julga, prefere ignorar o teor da sua missão e atacar a minha. Quem me julga, desconhece que tudo começa com uma atitude diferente da que está a tomar.

Quem me julga, não consegue amar, nem a si nem a mais ninguém.

Quem me julga, procura no julgamento sobre mim uma desculpa para não ter de intuir e procurar a sua própria essência.

Quem me julga, prefere requintar mais os seus vícios do que aperfeiçoar as suas virtudes.

Leia Mais: O que os outros vão pensar?

Quem me julga, acredita que só quem julga os outros se livra do julgamento de si mesmo.

Completamente errado.

Quem julga, jamais consegue livrar-se da sua própria sentença, nem que seja por aquele a quem escolheu julgar.

Compartilhar

RECOMENDAMOS


José Micard Teixeira
José Micard Teixeira é um escritor e coach português nascido em 1961 na cidade de Aveiro (Portugal). É Autor de 6 livros de autoconhecimento e dá palestras e workshops sobre os mais variados temas relacionados com a natureza humana e a sua evolução. Deixou em 2002 um cargo de director geral de empresas para seguir o seu sonho de comunicar com os outros a sua verdade e ajudar as pessoas a se encontrar. Dá consultas de Coaching Pessoal e Profissional via Skype para todo o Mundo. É colunista do site Fãs da Psicanálise.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here