E nós, que não temos casa?, chora morador de rua…

Albergue de SP tem questionado Covas e Doria sobre estratégias para lidar com o coronavírus, mas não há resposta. A capital paulista tem cerca de 24 mil pessoas vivendo como morador de rua.

O Abrigo Boraceia é um dos maiores de São Paulo. Por lá, dormem cerca de 1.200 pessoas todos os dias, acomodadas em beliches que, na maioria das vezes, estão sempre lotados. Em tempos de coronavírus, a condição destes locais é algo que preocupa tanto os frequentadores quanto funcionários.


Livro

“Mandaram todo mundo ir pra casa. E nós, que não temos casa? Estamos dormindo aqui um do lado do outro, a 40 centímetros uns dos outros. Pediram isolamento, e nós vamos nos isolar aonde?”, questiona um dos frequentadores do Abrigo Boraceia, em entrevista.

Na porta do albergue, em meio ao acúmulo de pessoas para almoçar no centro de convivência, uma funcionária admite: “Eu sei que isso aqui está errado, mas não tenho o que fazer”.

A aglomeração faz parte do dia a dia de albergues da capital paulista, que atendem 17 mil pessoas em situação de rua. O último Censo da População de Rua estima que mais de 24 mil vivam nas ruas de São Paulo, um aumento de 60% com relação a 2015.

morador de rua

A prefeitura e governo do estado ainda não têm um planejamento para atender as pessoas em situação de rua em meio ao avanço do coronavírus. De acordo com o UOL, o albergue na Barra Funda vem questionando a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social, mas não há resposta.

“Estamos aguardando uma posição da secretaria. Temos aqui só os produtos que usamos normalmente, não chegou mais. Ontem, 10 litros de álcool em gel foram utilizados em uma hora e meia, nesse ritmo vai acabar tudo”, disse um funcionário.

Fonte: DEOLHONEWS

Você sabia que o Fãs da Psicanálise também está no Instagram e no Facebook? Que tal fazer uma visitinha para nós por lá?

Compartilhar

RECOMENDAMOS




Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here