“A máscara está para a Covid-19 assim como o preservativo está para o HIV”. A alusão foi feita pelo infectologista e professor da UFMG Unaí Tupinambás para destacar que, neste momento, o item de proteção facial é a única maneira de conter o avanço do novo coronavírus em Minas Gerais.

Integrante do Comitê de Combate à Covid-19 em Belo Horizonte e assessor do Ministério da Saúde no Plano Nacional para DST/Aids, o especialista explica que, nas duas doenças, é preciso formar uma barreira para impedir a contaminação.

“Quando o HIV surgiu todo mundo tinha muito receio e o preservativo era 100% seguro. Hoje, no caso da Covid, é preciso o uso da máscara e outras medidas combinadas, como evitar aglomeração e higienizar as mãos. São barreiras de prevenção muito potentes”, destacou.

Contudo, o médico lamentou que a máscara tenha sido deixada de lado por muitos habitantes. “Tem uma banalização e cansaço pandêmico. Mas estamos no pior momento da pandemia e vamos enfrentar uma situação grave nos próximos dias. É preciso seguir as orientações para salvar vidas”, reforçou.

Fonte: otempo
Imagem: Gustavo Fring

Você sabia que o Fãs da Psicanálise também está no Instagram e no Facebook? Que tal fazer uma visitinha para nós por lá?

Compartilhar

RECOMENDAMOS




Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here