A palavra de ordem dentro de casa vem da mulher e quem afirma isso são eles, os maridos. Essa realidade foi revelada pelo Instituto Data Popular, que entrevistou quase dez mil homens em 26 estados para conhecer melhor o retrato da mulher brasileira.

A pesquisa mostra que as mulheres influenciam em importantes aspectos da vida masculina. Segundo o estudo, 86% dos homens disseram que suas esposas ou companheiras afetam nos alimentos que comem, 82% nos produtos que consomem, 77% em seu vestuário, 69% no carro ou moto usado pela família e 56% nos produtos de tecnologia usados.

Apesar da fama de “mandonas”, não são assim, apenas cuidam de todos os aspectos da vida familiar. Sua presença ativa na sociedade mudou toda a conjuntura existente anteriormente e, por isso, é necessário adequar a sociedade a essa nova realidade.

Essa realidade não é somente brasileira, mas a presença da mulher, na sociedade tem mudado muitas coisas na vida do homem e da família, em todos os países e culturas. Estamos inclusive atrasados nessa evolução, pois esse processo é histórico, iniciado principalmente depois das guerras mundiais. Elas são donas de casa, cuidam dos filhos, trabalham, escolhem os produtos a serem consumidos pela família e ainda dão a palavra final na hora de comprar um carro.

Esse é o perfil da nova mulher brasileira, que, desde a década de 1990, conquista um papel de destaque na sociedade e na economia, fruto do crescimento da renda, do investimento em educação e do aquecimento do mercado de trabalho.

Apesar dessa maior participação no mercado e no trabalho, a mulher ainda é a peça fundamental de uma boa educação dos filhos e organização da casa, porém, é necessário cobrar a participação de todos na casa, a fim de educar os filhos e criar uma maior harmonia no lar.

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Sônia Eustáquia
Colunista da Revista Atrevida cerca de 6 anos, tem formação e trabalho em Psicanálise e Terapia Ericsoniana. Pós-graduada em Metodologia do Ensino Superior, Psicologia e Psiquiatria da Infância e Adolescência, Neuropsicologia e Teologia. É colunista do site Fãs da Psicanálise.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here