Dizem que não existem erros ou acertos, que o que existe são experiências de vida, pelo menos essa é a ideia defendida pela psicanalista do Fãs da Psicanálise, Natthalia Paccola. “Classificar nossas condutas como certas ou erradas é tratar algo grande, de forma pejorativa. O que existe são as nossas experiências de vida, que servem para nossa evolução como seres humanos”, explica.

Para obter bem-estar, assim como equilíbrio interno, devemos estar em harmonia com as nossas emoções, o que nem sempre é algo simples.

Nossos sentimentos condicionam a nossa qualidade de vida, influenciando também na qualidade de nossas decisões e escolhas. Levando isso em conta, é importante reconhecer uma série de conflitos emocionais que limitam nossa felicidade e que devemos começar a trabalhar a partir de hoje.

Pelo menos 80% do sucesso que alcançamos em nossas vidas depende de nossa capacidade de administrar emoções . Agora, não se referindo exclusivamente a alcançar uma posição de relevância em nossas esferas de trabalho. Também não é sobre a capacidade de nos tornarmos pessoas de referência ou de serem gurus indiscutíveis em certas competições.

Falamos, em essência, de algo mais simples: ser feliz. Porque a felicidade, e isso descobrimos mais cedo ou mais tarde, não é encontrada ou aparece um dia na porta de casa na caixinha do correio. A felicidade é um estado interior que deve ser trabalhado diariamente como um jardim delicado. As ervas daninhas devem ser eliminadas, certas sementes devem ser semeadas, alguns galhos e não outros devem ser podados corretamente, e nutrientes adequados devem ser fornecidos a essa terra.

Sabendo disso, ser competente em questões de inteligência emocional pode nos ajudar inúmeras maneiras. Agora, às vezes, longe de agir com a temperança daqueles que adquiriram boas ferramentas neste conhecimento, nós nos empolgamos. Nós apenas engatinhamos, agindo por instinto e quase sempre mediados por uma educação ineficiente em termos de emoções e sentimentos.

Veja esses 3 conflitos emocionais que limitam a sua felicidade:

Negação

Eu vejo que você não conseguiu. Como você se sente? / Você realmente não está com raiva? / Você tem certeza de que nada está errado com você? / Você pode me assegurar que o que aconteceu não importa para você? / Você acha que é bom deixar como está o que aconteceu? (…)

Esses são apenas alguns exemplos de toda aquela ampla gama de problemas que normalmente enfrentamos no dia-a-dia e que muitas vezes respondemos da mesma maneira: nada acontece comigo, está tudo bem. Esconder ou negar nossos sentimentos é uma reação quase “normal” em muitos de nós . E este é, sem dúvida, um dos piores erros emocionais que limitam nossa capacidade de sermos felizes.

É claro, no entanto, que nem sempre podemos ser transparentes. Porém, poucos princípios são tão relevantes quanto praticar a assertividade emocional. Porque suprimir ou esconder o que magoa não nos torna mais fortes ou mais competentes. Pelo contrário, vai nos quebrar pouco a pouco. Lembrem-se de que somos pessoas, não somos como o mar e suas ondas, que quebram todos os dias sem reclamar, temos o direito e o dever de mostrar o que dói, reclamar, ser honesto.

Fugir de sentimentos desconfortáveis

Há emoções que você não gosta. Sentimentos que nos incomodam, que deixamos de lado porque não os toleramos em nossas vidas . Raiva, frustração, decepção, angústia … Quão desagradáveis eles podem ser, não é? Claro, e por isso optamos por ignorá-los, porque além de não gostarmos deles, não sabemos o que fazer com eles.

Esquecemos algo que Antonio Damasio, famoso neurologista, aponta com muita frequência. Somos seres emocionais que um dia aprendemos a pensar. Nós não somos máquinas que um dia percebemos que podíamos sentir. Portanto, o ato de dar espaço às emoções, de deixá-las fluir e encontrar o seu lugar é uma maneira de nos aceitarmos . Para nos validar, investir em saúde mental.

Eu tenho que ser feliz!

O terceiro dos nossos erros emocionais é que seguimos a moda: a obsessão por ser feliz.

Buscamos a felicidade como alguém que embarca em uma jornada sem destino. Como quem vai às compras e não sabe o que comprar, como quem sente um enorme vazio e não sabe com o que preenchê-lo. E essa angústia, de intuir que algo está faltando, muitas vezes nos leva a nutrir um substituto para a felicidade que não preenche nem agrada. Pelo contrário, às vezes o que nos traz é mais frustração e maior infelicidade.

Vamos parar por um momento. Apenas um momento para respirar e refletir . Porque o que fazemos com muita frequência é nos contentarmos com gratificações simples sem investir em um projeto sólido. E esse projeto não é outro senão nós mesmos. Poucos erros emocionais são tão sérios quanto olhar para fora do que deveria estar dentro de nós. Sabendo disso, e entendendo, evitará grande sofrimento.

Vamos trabalhar diariamente nessa delicada ourivesaria, onde a autoestima seja um projeto vital, a assertividade e o propósito estejam consagrados. Porque toda a vida tem um significado que nos aproxima da felicidade, porque todos esses conflitos emocionais podem ser corrigidos (e corrigidos hoje se colocarmos em prática!). Não adianta ter o conhecimento, precisamos ser o conhecimento.

(Fonte Original: gutenberg.rocks)
*Texto traduzido e adaptado por Naná cml da equipe Fãs da Psicanálise.

*Texto traduzido e adaptado com exclusividade para o site Fãs da Psicanálise. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.

Compartilhar

RECOMENDAMOS



Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here