Ansiedade e inteligência. Você acha que essas duas coisas tem algo incomum ou algum tipo de ligação?

Aparentemente não, mas a ciência vem provando o contrário.

De acordo com um estudo publicado no Trends in Cognitive Sciences em 2015, os cientistas descobriram que as pessoas que se preocupam muito, fazem isso porque elas experimentam “altos níveis de atividade espontânea” em uma parte do cérebro que controla a percepção de ameaças.

Por isso, o medo permite que elas reajam antes a uma possível ameaça. Estudos recentes têm demonstrado que existe uma relação positiva entre a ansiedade e inteligência.

Agora, se você é do tipo de pessoa que é muito feliz o tempo todo, significa que provavelmente não pensa sobre algo que talvez possa dar errado. Por isso, é difícil você se antecipar algo que não está pensando que possa acontecer.

Com isso, chegasse à conclusão que indivíduos “muito alegres” estão em desvantagem quando precisam superar certas adversidades, principalmente problemas complexos que são difíceis de imaginar.

É difícil de imaginar, mas nesse aspecto as pessoas ansiosas tem uma importante vantagem, se é que dá para chamar assim.

Pessoas ansiosas, às vezes, podem ser a resposta para uma ameaça que não existe. Você duvida? Então veja só essa explicação.

Normalmente a ansiedade propicia uma espécie de imaginação ativa que pode manter a pessoa a salvo de ameaças que outras pessoas podem não prever.

O estudo apresentado em 2015 é apenas um dos vários vem pesquisando forte ligação entre a ansiedade e inteligência.

Uma mente ansiosa é uma mente focada
É muito comum vermos a ansiedade ligada a algo negativo, principalmente porque quem tem que lidar com ela não consegue controla-la. Mas esse rótulo negativo está mudando.

A ciência está mostrando que um pouco de ansiedade pode ser algo bom.

Em 2012, psicólogos israelenses executaram um teste com 80 alunos do Centro Interdisciplinar Herzliya. Os estudantes achavam que eles estavam lá para avaliar obras de arte em um software.

Em vez disso, os pesquisadores fraudaram o programa, fazendo com que os alunos dispararem um vírus de computador. Em seguida, foram orientados a entrar em contato com algum responsável pela área de Tecnologia da Informação (TI).

Encontrar algum profissional de TI apresentou-se um novo desafio. Os estudantes tiveram que deixar a sala, e encontraram vários obstáculos para tirar o foco deles do que realmente era necessário fazer.

O teste descobriu que os alunos que estavam mais aflitos em encontrar o profissional de T.I. para corrigir o vírus tiveram maior quantidade de ansiedade, enquanto os que se distraíram com os obstáculos tiveram níveis de ansiedade menor.

De acordo com esses resultados, chegou-se a conclusão que os estudantes mais ansiosos tiveram uma maior sensação de ameaça e de que algo estava em jogo. Por isso, eles pararam menos para poder realizar seu objetivo.

Daí vem também à conclusão de que as pessoas ansiosas querem aliviar sua ansiedade não apenas através da realização de uma tarefa, mas fazendo-a bem.

Então, da próxima vez que alguém disser que você é uma pessoa ansiosa, considere isso um elogio. 😉

(Autor(a): Michael Prywes)
(Fonte Original: lifehack.org)
*Texto traduzido e adaptado pela equipe Fãs da Psicanálise.

Compartilhar

RECOMENDAMOS



Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here