Certamente, em algum momento você já ouviu falar que “tanto a felicidade quanto o sofrimento são uma decisão pessoal”. E é em grande parte verdade. O que acontece no exterior geralmente está fora de nosso controle, mas você sempre tem o poder de filtrar as informações que consome.

Viktor Frankl afirmou que a última das liberdades humanas é escolher nossa própria atitude em qualquer circunstância. E é assim. Aconteça o que acontecer, o que você nunca pode tirar é a maneira como decide administrar seus pensamentos. Uma capacidade que produz diferenças significativas no nível de bem-estar.

A importância de filtrar as informações que você consome

Já lhe aconteceu que, depois de assistir a um filme de terror, você caminhou pelo corredor até sua cama cheia de medo? É até provável que durante aquela noite ou nas seguintes você tenha tido pesadelos relacionados ao enredo do filme.

Da mesma forma, você já sentiu a tristeza invadir você ao ouvir uma música nostálgica? Talvez, em outro momento, quando você voltou para casa ao visitar um amigo especialmente negativo, tenha se sentido exausto, irritado e deprimido.

Todos esses eventos não são acidentais, as informações que recebemos afetam nosso humor. Elas penetram nosso inconsciente e continuam a agir a partir daí. Você reconhece a importância de selecionar cuidadosa e conscientemente com que conteúdo você está alimentando sua mente?

Notícias

As notícias que nos oferecem nos noticiários da televisão, assim como na mídia escrita, são extremamente negativas. Somos inundados de infortúnios, catástrofes e eventos dolorosos que, em geral, não podemos mudar ou que podemos influenciar pouco.

A exposição sem filtro a esse tipo de notícia pode nos encher de angústia, desamparo e desespero. Para as pessoas mais sensíveis, essa dinâmica pode ser uma verdadeira tortura, principalmente se pensarmos que, em muitas ocasiões, passa despercebida como fonte de desconforto.

Defina um filtro. Descubra, mas evite fazer desses eventos o centro de seus pensamentos e conversas. Deixe espaço para notícias positivas, encontre-as por conta própria, se necessário. Circunstâncias, eventos ou ações também ocorrem no mundo que apoiam o otimismo.

Nesse sentido, tente tornar as informações que você consome como ponto de partida para a tomada de decisões. Descubra reciclar, não dirigir sob a influência de álcool ou fazer qualquer tipo de mudança ou contribuição com suas ações. Não há nada mais prejudicial do que inundar-nos passivamente com conteúdo negativo, sem intervir para que aquilo de que não gostamos mude.

Filtre as informações que você consome para seu entretenimento

O conteúdo audiovisual que selecionamos durante nosso tempo de lazer também é importante. Filmes, séries, músicas, vídeos de qualquer tipo. Todos eles estão associados a um determinado tipo de informação .

Muitas vezes, focados no entretenimento que eles nos oferecem, não sabemos se esses conteúdos são benéficos para nós.

Portanto, é útil pensar em nossas mentes como um computador que está programando com tudo o que vemos e ouvimos. Portanto, adquira o hábito de se perguntar: “O que estou vendo ou ouvindo está me programando positiva ou negativamente?”. E tente escolher o conteúdo que você gostaria de experimentar em sua vida. Isso irá nutri-lo com emoções agradáveis ​​e benéficas.

Relações sociais

Finalmente, devemos ter cuidado ao escolher as pessoas com quem interagimos, tanto pessoalmente quanto virtualmente. Quando passamos um tempo com pessoas positivas, felizes e empáticas, é mais fácil do que nos encontros ou conversas voltamos cheios de vitalidade.

Por outro lado, quando vivemos com pessoas dramáticas, vitimizantes , tóxicas ou negativas, podemos sentir nossa energia drenando. Pense por um momento na atitude das cinco pessoas com quem passa mais tempo e como você deixa emocionalmente os encontros que tem com elas .

O mesmo acontece com as redes sociais. Evite seguir as pessoas cujas postagens fazem você se sentir inferior ou insuficiente. Muitas vezes são mostradas situações irreais, editadas e manipuladas que podem gerar sofrimento se cairmos no erro de nos comparar.

Antes de tudo, aprenda a se conectar com seu corpo e suas emoções: elas são a melhor bússola. Preste atenção ao que cada conteúdo faz você experimentar; a parte emocional terá peso, e não um pouco, quando você tomar decisões. Filtrar as informações que alimentam sua mente é um direito que apoia você, use-as.

(Fonte: lamenteesmaravillosa)

*Texto traduzido e adaptado com exclusividade para o site Fãs da Psicanálise. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.

Você sabia que o Fãs da Psicanálise também está no Instagram e no Facebook? Que tal fazer uma visitinha para nós por lá?

Compartilhar

Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here