Segundo Bert Hellinger, psicoterapeuta criador das Constelações Familiares, e formulador das Leis Sistêmicas do Amor e da Vida, “O sucesso tem a face da mãe”.

Quem não conquista o sucesso na vida, entendendo-se sucesso como ter relacionamentos afetivos amorosos e enriquecedores para ambos, uma relação saudável com o dinheiro, conquistar seus objetivos, realizar-se e ser feliz na vida, sentir-se seguro, é porque “não tomou sua mãe”.

Tomar a mãe significa aceitá-la plenamente, sem julgamentos, amorosamente no coração, independentemente de como tenha sido sua criação, educação e relação com ela, se sentiu-se ou não amado o suficiente ou da maneira que imagina “adequada”, se foi castigado injustamente, preterido ou mesmo abandonado.

Conheço muitas pessoas, amigos, alunos, pacientes, que ouvindo essas palavras, com expressão angustiada, de raiva ou sofrimento, afirmam ser uma tarefa impossível! Não conseguem, e muitos afirmam sinceramente que não querem, se abrir para esta aceitação. Carregam mágoas profundas, cicatrizes mal formadas que encobrem superficialmente feridas crônicas e incuráveis da alma. Porém não há como dizer sim à Vida, sem a aceitação, e antes de dizer SIM a ela, nossa mãe.

A Vida nos foi entregue através da mãe, nascemos de suas entranhas, de sua carne. Nosso corpo foi forjado em seu ventre, através do alimento ingerido por ela e que tomamos para nós. Esses nutrientes nos permitiram evoluir a partir do momento da concepção, quando duas células, mãe e pai, se tornaram somente uma, EU, através de um ato de amor da Vida, para para trilhões de células no momento do nascimento. O oxigênio que nos manteve vivos, foi inspirado através de seus pulmões. O ritmo pulsante e tranquilizador que nos embalou durante os nove meses que em seu ventre fomos carregados, vinha das batidas de seu coração.

As emoções que sentíamos e nos envolviam, tanto as ruins que refletiam medos, incertezas e angústias, como as boas que carregavam os sonhos, esperanças, desejos e ideais, vieram de sua alma, e do campo familiar do qual ela fazia parte, e já nos envolvia, campo sistêmico que reverbera as experiências de milhares de pessoas que vieram antes de nós, as quais nos constituem incondicionalmente.

Revoltar-se, ter restrições, julgar ou criticar a mãe (ou também o pai, o que traz outras implicações) significa que nos julgamos maiores que ela, o que vai contra a lei da Hierarquia, significa também excluí-la o que vai contra a lei do Pertencimento e resulta em não realizar uma troca amorosa pois recebemos a Vida também através dela o que vai contra a lei do Equilíbrio de Troca.

Em resumo, com a escolha e atitude de não aceitar nem tomar plenamente a mãe, deixamos de vivenciar as três Ordens do Amor, as principais e fundamentais Leis dos relacionamentos e da Vida.

O resultado é a criação e / ou a continuidade do fenômeno transgeracional de emaranhamentos familiares, e o consequente fracasso em conquistar um destino de Sucesso, e uma Vida plena e feliz.

A partir da ampliação da consciência sobre esses temas, da aceitação de tudo e de todos como são, dizemos SIM à Vida, podemos transformar essa realidade, cumprir nossa missão pessoal, e enfim viver um destino saudável, com efeitos curativos em todo nosso sistema.
Viva a Vida!

(Fontes: Obras de Bert Hellinger; conteúdo do curso de formação “Consciência Sistêmica”, reflexões do autor)
(Autor: DEBSKI, ROBERTO)

Compartilhar

RECOMENDAMOS




Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

35 COMENTÁRIOS

  1. Muito bonito o texto ,mas infelizmente tem mães que não merecem respeito visto que tratam os filhos como inimigo, são preguiçosas,são irresponsáveis,são indolentes, são perversas e não fazem nada para cultivar a harmonia em familiar. Filho não é lixo ,filho é a continuidade da vida!! Repeito se dá a quem respeita e cuida. Infelizmente a minha convivêcia com a minha mãe é péssima, não porque sou péssimo filho,mas porque não sou respeitado e considerado como sangue que veio pra somar.

    • sou mae de tres meninas,duas adultas e uma adolecente,,,,vive me pergontando,dei minha juventude por ela,ela era o motivo que qundo pensava em descisti,,,volta atraz pois sabia que dependia de mim,pois o pai e o proverdor do lar,,,e resto e com nos mas ,,,,que fustrei como mae,,,,hoje carego esa decpiçao,,,tenho depresao,vivo a base de remedios,e me sejuro em DEUS,,,,PENSO QUE ERRE NAQUE TAL LBERDADE ENTRE FILHOS E MAE,,,AI UM BELO DIA ACORDEI E VI QUE PERDI O MEU PAPEL DE MIM,VI QUE OS AMIGOS TINHA ,MAS O RESPEITO DELAS DO QUE EU ,,,,FOI COMO UAM FACAD NO MEU PEITO,,,MAS AMO ELA,,,,MAS SE PUDESSEM VOLTAR NO TEMPO FARIA TUDO DIFERENTE,,,MAE E SO E SUA AMIGA ENCONTRO FALA SIM PRA TUDO QUE QUERM,,,,DESECPINADA COMO MAE ,,,,SE ALGUE TVER UM PONTO DE VITA MELHOR DO QUE FALEI,,ACEITO OUVIR (DESABOFO DE UMA MES ) FILHOS FRUSTRADO,,,PENSE REFLITA SERA QUE SUA MAE TBM EM ALGUM MOMENTO SE SENTIU FRUSTRADO,,,,

    • Compartilho do mesmo sentimento que você. Pra alguns tipos de mãe, não importa se você é bom filho ou não. Nada fará você ser amado ou respeitado, porque o defeito não é seu. Eu estou em negação desde que li essa matéria. Não sei se quero ou consigo amar uma pessoa que me hostiliza e sente prazer nisso. Foge ao conceito de amor próprio pelo qual tenho lutado por tantos anos para resgatar a auto estima destruída pela minha mãe.

    • Um verdadeiro absurdo esse texto, já não basta as coisas que a pessoa passa e passou existe uma distância gigantesca entre ser mãe é progenitora, alguém que te pos no mundo muitas vezes por obrigação. Mães Narcisistas cheias de ódio pelos filhos são reais

    • Exato… É o meu caso…. sempre obediente ao extremo a uma pessoa que permitiu toda sorte de abusos na minha vida, me afastou do meu pai e me colocava contra toda familia e o mundo. Acho temerária esta análise sem levar em conta o fato de que ser progenitora não faz de ninguém santa. É por esta visão que muitos de nós somos prejudicados e mal compreendidos. Somente 30 anos depois pude procurar um especialista que diagnosticou transtorno narcista. Se não fosse tanto endeusamento de uma figura, nem eu nem meu pai teríamos sofrido tanto.

      • Concordo com você, existem mães e Mães, só porque colocou no mundo será boa mãe?! Mãe é aquela que cuida, protege e dá bons exemplos de valores morais e éticos, o resto é progenitora e nada mais.
        Graças a Deus eu tenho uma mãe exemplar, não é meu caso, mas existem muitas como descrevi acima.

    • Emerson, você é um péssimo filho!!! Coitada da mulher que te gerou! Ela não te deve absolutamente nada!!! Justo vc falar em respeito? Pede perdão e vai se reconciliar com sua mãe o quanto antes.

  2. Não concordo com o texto. Tenho que aceitar as injustiças que meus pais possivelmente possa fazer a mim? Nao posso me defender? Fazendo com que a verdade a apareça?

  3. Eu conheço tantos “filhos da puta” que são péssimos para suas mães e que têm sucesso em várias áreas da vida, como também conheço filhos amorosos que não conseguem prosperar de jeito nenhum.
    Outra coisa: se ser mãe é motivo para enfiar suas injustiças goela abaixo dos filhos e mesmo assim ser amada e santificada incondicionalmente por eles, então para toda mulher má, parir seria um excelente escudo.

  4. A culpa que devemos carregar por toda vida! Mãe não é culpa, mãe é amor! Como tratamos ou somos tratadas – pois sou mãe também – nada tem a ver como sou tratada ou meu filho é tratado pela vida. Muitas vezes a vida não gira em torno de nós, somos partes da vida e nem sempre ela é justa. Mães merecem respeito quando também são dignas de respeito, infelizmente há inúmeros casos de mães que se sente poderosas, uma espécie de foro privilegiado e por isso tratam os seus filhos como bem entendem, brincam de “Deus”… Ser mãe é um ato de afeto, de diálogo, de apoio, de assertividade quando necessário, mas jamais de ameaça. O título é ameaçador, não temos que ter medo de nossas mães e sim respeitá-las. Sou mãe e sei que para meu filho me respeitar eu tenho que me respeitar e respeitá-lo também, é um aprendizado diário. Ah! E antes de ser mãe sou ser humano, mulher, não sou santa, amo meu filho mas reconheço que falho e isso muda muitas verdades absolutas.

  5. Até então tinha curtido e concordado com os pontos de vista de fãs da psicanálise , no entanto , este texto, para mim , deixou a desejar!
    Creio que os filhos realmente têm que se reconciliar com os seus pais, porém , acredito que esta relação é uma via de mão dupla!!!

  6. Também não concordo.
    Sou filha, mãe e avó.
    Tento dar para meus filhos e netas todo amor que não recebí de minha mãe. Porque ela era a pessoa que eu mais tinha medo na vida, e depois de velha continua ruim e amarga.
    Uma pena mães que poem filhos no mundo para maltratar. Só quem passa sabe.

  7. Este texto realmente deixou a desejar; sofri muitos abusos por parte dos meus pais principalmente de minha mãe que deveria ser minha melhor amiga…apanhei muito sofri humilhações castigos severos insultos …sofri na adolescência com baixa estima…demorei para entender que ela é uma pessoa doente sem amor até por ela mesma…

  8. Besteira, nossa vida é baseada em nossas ações, os resultados também. Criar uma fábula bonita sobre relacionamento com a mãe é o mesmo que fazer as pessoas acreditarem em papai noel, ou que no final do arco-íris existe um pote de ouro. Se você não sabe lidar com sua situação amorosa, a culpa é sua, mas se aprende, se não sabe lidar com dinheiro, é porque é irresponsável e a culpa é sua e não do relacionamento que teve com sua mãe. Enquanto as pessoas acreditarem em historinhas como essa, vão sempre culpar algo ou alguém por seus erros e falhas!

  9. Eu não concordo com o texto, sou psicóloga e já atendi muitas pessoas com maes muito más, uma inclusive segurava a filha para o padrasto abusar e aí dizer que a culpa é da vítima é muita falta de respeito. Cada um sabe a dor de viver em situaçoes extremas, sem proteção daquela que se diz mãe. Pais também erram, muitos filhos sofrem com isso, não se pode passar a mão na cabeça de quem quer que seja, só porque é mãe ou pai, respeito é bom e todo mundo gosta, independente de hierarquia ou não.

    • Pois é tem gente que nao sabe que o mal habita infelizmente em corpos de mães tambem as pessoas ruins e más também podem gerar filhos o foda é ser filho dessas pessoas e não ser igual a elas tenho um filho e vou Amar ele incondicionalmente nunca serei nem próximo do que foi minha mãe pra mim eu nem sei como pode existir pessoas ruins para seus filhos

  10. Discordo.
    Parir não quer dizer amar.
    Criar é diferente de cuidar.
    Ofender, xingar, humilhar, destruir a vida de um ser humano também é coisa de mãe.
    Algumas nem tem instinto maternal.
    Fiz Terapia durante cinco anos, consultei a justiça.
    Laços afetivos existem ou não.
    Dolorido, mas simples.

  11. NÃO é uma questão de que os pais estejam acima do bem e do mal, e que seus atos não cabem consequências. É o fato de quê se pudermos seguir nossas vidas sem levar conosco todo esses sentimentos de mágoas e resentimento pelos pais, é mais fácil seguir nossas vidas com mais felicidade e prosperidade. Tomá-los como aqueles que nos deram a vida e entender que eles (pais) deram somente o que conseguiram dar, não juga-los faz o ciclo se romper e a vida segue menos dolorosa.

    • mas para não haver julgamentos é necessário fechar culpa. Para isso, muitas vezes, se faz necessário afastar. O julgamento continua se a culpa não se fecha. Pois, nem todos irão se arrepender, concorda?

  12. Estou desapontada com esse texto.
    Minha mãe foi louca. Fui abusada por 5 homens na infancia. Ela mentiu minha paternidade. tenho 30 anos e ano passado ela tentou me agredir. Vcs só pode estar loucos! Já tentou me abortar.
    UMA NARCISISTA PATOLÓGICA E VCS VEM COM ESSE PAPO? Eu teria vergonha de postar uma matéria dessa!

    • O povo que posta uma meras dessas é pq foi criado com amor e carinho devia estudar mais as pessoas do mal pra depois postar teve mamaezinha ne amorzinho ai fica com essa de toda mãe é boa e vai pro céu a minha já tem o lugar no inferno

  13. Acho muito dificil conseguir explicar a complexidade das constelações familiares em apenas um texto, talvez por isso tenha gerado a revolta de tantos leitores.
    Acho que o resumo disso tudo é:
    Independente de quem foi sua mãe ou o que ela tenha feito, se colocar no papel de vitima e criar dialogos internos em volta disso só vai aumentar a sua dor.
    Dizer SIM a nossa mãe não é concordar com o que ela fez e tirar a responsabilidade dela sobre seus atos.
    Dizer SIM a nossa mãe é ACEITAR o nosso passado como foi (não dá pra fazer mais nada com o passado, é aceitar e pronto!) e assim se libertar para poder seguir com a vida.
    Agora esse processo demora tempos diferentes para cada pessoa, pode ser que uns consigam e outros não, e não existe uma formula pra isso.

  14. Discordo com esse texto é triste isso vir de um psicanalista mães não são seres imaculados o autor como psicanalista deveria saber disso
    Esse texto foi um desserviço

  15. Triste ler um texto romântico como esse em uma página de psicanálise. Então o Conselho que devemos dar a filhas e filhos de mães narcisistas por exemplo é que aceitem os maus tratos, a violência psicológica as mentiras em nome deste divino conceito que o Autor dá a palavra mãe? Pessimo texto…ofensivo até

  16. RESPEITO E ENTENDO A COLOCAÇÃO DE CADA PESSOA EM SUAS OPINIÕES;CADA UM SABE O QUE PASSA. MAS APESAR DE TER APANHADO(SEM AGRESSÕES VIOLENTAS)E TB AS VEZES SENTIR-ME INJUSTIÇADA POR CERTAS ATITUDES DE MINHA MÃE QUE ERA MUITO SEVERA, NÃO CONSIGO SENTIR RAIVA DELA, AINDA MAIS DEPOIS QUE FIQUEI ADULTA, POIS LEVEI EM CONTA QUE ELA FOI UMA GUERREIRA(PAI E MÃE AO MESMO TEMPO, TRABALHOU MUITO E CRIOU-ME DIGNAMENTE, SEM DEIXAR QUE FALTASSE NADA;DESDE EDUCAÇÃO, ATÉ ALIMENTO;O QUE TENHO E SOU NA VIDA, DEVO A ELA;MULHER DE BRIO, HONESTA E GUERREIRA. QDO EU ERA JOVEM, ENFRENTAVA;DISCUTIA;ATÉ FICAVA REVOLTADA. MAS HOJE, AGRADEÇO A TODO O SEU PULSO FIRME, DE MULHER BATALHADORA, QUE TINHA QUE DAR CONTA DE UMA ÚNICA FILHA. FOI UM EXEMPLO, E DEPOIS DE ADULTA E DE APRENDER O QUE É A VIDA, FICAMOS TÃO UNIDAS, QUE NÃO CONSIGO VER A VIDA SEM ELA;FAZ MUITA FALTA. MINHA ÚNICA, GRANDE E VERDADEIRA AMIGA. MUITO OBRIGADA POR TUDO, MÃE. TIVE SORTE DE ENCONTRAR VC NO MEU DESTINO.

  17. Não existe mãe má, depende do ponto de vista de cada um, como se explica filhos que sobrevivem a uma família ( mãe/pai), que não estão nem aí para os filhos e esses crescem no maior sofrimento se dão bem na vida e resgatam seus pais da ( lama em que vivem?) Têm um futuro próspero, vivem felizes.

  18. Creio que as pessoas não entenderam a proposta de Bert Hellinger o Criador da constelação familiar. A constelação existe exatamente para nos libertar das amarras da angústia, do sofrimento, do ressentimento, da raiva que nossa família de origem possa ter nos causado. Leiam este psicoterapeuta. Vale a pena nos libertar de sentimentos e emoções tóxicas que só travam nossa vida e em nada vai nos ajudar no presente.

  19. Já tive momentos ruins com a minha mãe. Hoje sou adulto, casado, pai de três filhos e ainda luto contra a insegurança. Não me sinto capaz de muitas coisas terrivelmente óbvias para qualquer um.
    Desde criança, desde quando me lembro, não tenho recordações de que minha mãe me apoiava, me dava confiança. Na verdade, eu cresci ouvindo xingamentos. Tinha medo dela e ainda queria que ela me visse como um filho.
    Não sei por qual motivo eu era tratado assim. Sou um dos sete que ela teve. Todos do mesmo pais, dos quais, sobreviveram quatro.
    Ela sempre me dizia que eu não ia prestar pra nada, que ninguém me queria, que nenhuma mulher ia gostar de mim (isso já na adolescencia), que se eu casasse, iria ser traido, que iria ser marginal e morrer cedo. Nunca tive vontade no mundo do crime.
    Quando casei, ela não foi pro meu casamento. Pôs-me mais insegurança em falar que eu não era capaz de fazer filho. Não estou aqui pra falar mau dela, de jeito nenhum. Hoje já nos damos bem. Ela me trata bem, acredita em mim e me ajuda quando preciso.
    Mas, segundo a proposta do livro citado, eu deveria estar em outro patamar, já que eu e ela nos acertamos. Não estou. Sou ainda um menino de trinta e seis anos que sabe oque fazer mas vai fazer ainda com frio na barriga, com medo de dar errado e achando que vai.
    Vou precisar de mais trinta e seis anos pra mudar de vida?

  20. Tenho uma mãe que só pensa em dinheiro desde de pequeno 6 anos de idade ela já dizia vc era um aborto tentei por várias vezes tirar vc e não consegui infeliz, ainda pequeno não entendia nada Mas quando fui crescendo fui vendo o quanto ela era má ela me levou por diversas vezes pra Centro de macumba de magia negra por que estava se separando do meu pai e queria fazer algum mal a ele eu também não entendia aquilo pois tinha apenas 10 anos aos 15 ela colocou uma ação na justiça pra me tirar de casa e os anos passando ela afastava minhas amizades os familiares e só pensa em dinheiro e nela própria deseja a morte de diversas pessoas até diz como fulano ou sicrano vai morrer e nessas palavras de dizer como os outros vão morrer meu pai morreu como ela dizia detalhe ela bebe e fuma todos os dias tem uma saúde de ferro com 70 anos. O mal nela habita!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here