Psicopatas sofrem de um déficit de atenção, e não de uma incapacidade de sentir emoções e por isso são interpretados como insensíveis e destemidos. Ao menos é esta a conclusão de um estudo realizado por Joseph Newman, psicólogo da Universidade de Wisconsin, nos Estados Unidos. Newman investigou as reações de prisioneiros com personalidades psicóticas quando sabiam que sentiriam dor.

Características de Psicopatas

Estudos anteriores apontavam que psicopatas poderiam não sentir dor, e estudos com imagens da atividade cerebral de pessoas com esse distúrbio mostram anormalidade na amídala, região cerebral responsável por processar o medo e outras emoções. De acordo com Newman, estas descobertas apoiam a percepção de que psicopatas são vazios emocionalmente: “As pessoas acham que eles são predadores insensíveis”, diz.

Para compreender o comportamento dos psicopatas, o psicólogo recrutou 125 prisioneiros condenados por crimes hediondos. Os participantes da pesquisa foram classificados em várias características típicas do comportamento psicótico, como o narcisismo, a impulsividade e a indiferença. Aproximadamente 20% dos prisioneiros tiveram pontuação suficiente nesta classificação para serem descritos como psicóticos – uma proporção comum para criminosos, mas bem acima da média de 1% na população geral.

Leia Mais: Psicopatas do cotidiano: conheça os transtornos de personalidade mais comuns

Para realizar o teste, os pesquisadores ligaram os prisioneiros a um aparelho que mede a força do fechar de olhos – um indicativo do medo – e colocaram uma tela na frente dos participantes. Eles foram avisados que durante os testes uma letra piscaria na tela, e um choque elétrico poderia acontecer depois de uma letra vermelha, mas nunca após uma letra verde.

Os participantes foram instruídos a apertar botões para indicar se a letra mostrada era verde ou vermelha. Os indivíduos com características psicóticas piscaram, “vacilando” em resposta às letras vermelhas tanto quanto os outros participantes. Entretanto, quando deveriam indicar se as letras eram maiúsculas ou minúsculas, os psicóticos quase não piscaram ao ver as letras vermelhas, enquanto os outros continuavam com medo, antecipando o choque.

De acordo com Newman, a descoberta sugere que os indivíduos psicóticos sentem tanto medo e dor quanto qualquer pessoa, e apenas parecem insensíveis e destemidos pois têm dificuldade em prestar atenção no que é assustador.

O pesquisador acredita que a hipótese possa ajudar no tratamento de psicopatas. Além disso, Newman acredita que as suas descobertas devem ajudar no reconhecimento de psicopatas como indivíduos mais humanos.

Newman está atualmente trabalhando com Donald Hands, diretor de psicologia do Departamento de Correções de Wisconson, para criar um programa de tratamento inédito. Ao lembrar os criminosos psicóticos sobre as consequências imediatas de suas ações, o tratamento deve ajudar na diminuição de recaídas ao crime.

(Autor: Ewen Callaway)

(Fonte: newcientist)

*Tradução feita pela equipe Fãs da Psicanálise. 

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.


2 COMENTÁRIOS

  1. Interessante artigo, mas vou sugerir revisarem a tradução, pois caberia melhor “personalidade sociopata” (ou mesmo psicopata) em vez de ‘personalidade psicótica’ (é outra estrutura de personalidade!).
    Obrigado pela atenção. Um abraço!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here