A graduação em Psicologia está entre as mais concorridas nos vestibulares das universidades brasileiras.

Neste ano, por exemplo, no vestibular da FUVEST, o curso de Psicologia chegou a estar mais concorrido que o tradicional curso de Medicina. Psicologia obteve uma relação de 59,80 candidatos por vaga, enquanto Medicina obteve a marca de 58,75 (1).

Ou seja, tem muita gente querendo se enveredar aos estudos da psique humana. Mas como é o ensino de Psicologia? Como é a composição curricular da graduação em Psicologia? A faculdade é a única maneira de entrar em contato com a Psicologia?

O curso de Psicologia, assim como qualquer curso, não possui um regimento fixo, o que há são diretrizes curriculares regulamentadas pelo Ministério da Educação, entretanto, as especificidades curriculares dependerão de cada universidade.

Leia mais: Qual profissão combina com sua personalidade? Faça o teste

Para saber dos detalhes de uma universidade específica, entre no site dela e consulte a grade curricular, assim você saberá que matérias e quais especificações essa determinada universidade possui.

De modo geral, a Psicologia é uma ciência que se propõe ao estudo da psique, dos comportamentos, relações, e fenômenos que compõem a singularidade e experiência humana.

Neste sentido, nos cinco anos da graduação em Psicologia – em algumas universidades cinco anos em período integral – o estudante terá contado com disciplinas focalizando desde aspectos biológicos, até sociais, perpassando por fenômenos internos e externos.

A grade disciplinar geralmente é composta por disciplinas como História da Psicologia; Psicologia: ciência e profissão; Estatística; Pesquisa em Psicologia; Neuropsicologia; Genética; Avaliação Psicológica; Psicofarmacologia; Psicopatologia.

Enfim, uma boa universidade tende a oferecer uma ampla gama de disciplinas que ajudará com que o aluno possa atuar em qualquer uma das subáreas que desejar.

SUBÁREAS?

A Psicologia também possui diferentes e diversas subáreas que são apresentadas na faculdade. O estudante de Psicologia é convidado a entrar em contato com essas áreas de modo teórico e prático, através de aulas e estágios.

Dentre as principais áreas temos a Psicologia Clínica; Psicologia Escolar; Psicologia Organizacional e do Trabalho; Psicologia Jurídica; Psicologia Social; Psicologia Hospitalar, entre outras.

Leia mais: Atenção às escolhas: elas modelam nossas vidas

Qualquer área da Psicologia será regida por uma linha teórica, que é algo como um caminho no qual o Psicólogo se orientará para a intervenção.

Dentre essas linhas, temos como principais a Psicanálise (com um enfoque na análise do inconsciente), Psicologia Humanista (focalizando na compreensão dos fenômenos observáveis), e a Psicologia Comportamental (enfatizando na análise do comportamento).

A GRADUAÇÃO É SUFICIENTE?

Uma das questões mais importantes e de maior mito dentro da Psicologia é o foco ao autoconhecimento.

A faculdade de Psicologia propõe o contato com o que há de mais delicado e especial do ser humano: sua subjetividade e desenvolvimento psíquico. Por isso, é extremamente importante que o estudante tenha um acompanhamento mais personalizado, individualizado, durante todo o processo de aprendizagem.

Leia mais: 15 séries para estudantes de psicologia ou psicólogos

Entretanto esse acompanhamento não é, somente, papel da universidade. A faculdade proporcionará apoio teórico, científico e metodológico, mas as questões que desse processo surgirem devem ser acompanhadas fora do curso, em psicoterapia individual, por exemplo.

É consenso que a formação em Psicologia se dá na relação entre Estudo – Terapia Pessoal – Prática e Supervisão. A formação de um Psicólogo será muito além da graduação, e acompanhará o Psicólogo por toda sua vida.

ESCOLHENDO A PSICOLOGIA ENQUANTO CIÊNCIA, PROFISSÃO OU EXPERIÊNCIA PARA A VIDA.

Com tudo isso, se você pretende cursar Psicologia ou se interessa pelo assunto, uma primeira pergunta é necessária: Você quer ser Psicólogo ou gastaria de se conhecer mais?

Se a resposta for a primeira alternativa, então vá buscar um curso que venha ao encontro com seus objetivos e desejos, conheça diferentes abordagens, esteja sempre disposto a aprender, e busque na psicoterapia a ajuda para se organizar internamente e complementar sua formação.

Leia mais: Teste: você é bom em psicologia?

Se você está em dúvida ou tem a segunda alternativa como resposta: busque também na psicoterapia uma ferramenta para organizar tais inquietações e faça da experiência terapêutica trampolim pessoal e profissional para descobrir seu real desejo.

De um jeito ou de outro, a Psicologia estará sempre presente, pois ela se insere em todo contexto em que a relação humana está presente.

(1) http://www5.usp.br/100761/fuvest-divulga-relacao-candidatovaga-para-vestibular-2016/

Compartilhar
João Paulo Zerbinati
Psicólogo Clínico de Orientação Psicanalítica, atendendo em Itápolis-SP. Graduado pela PUC-Campinas. Mestrando pela Faculdade de Ciências e Letras, UNESP-Araraquara. Membro do grupo de pesquisa SexualidadeVida USP\CNPq. É colunista do site Fãs da Psicanálise.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA