Você já ouviu falar em Cofilina? E Dendritos?

Perda de sono, com certeza. Veja os fundamentos científicos para as consequências da perda de sono nesse artigo ainda inédito.

Pela primeira vez, um estudo em ratos, ainda a ser publicado na revista eLife, mostra que cinco horas de privação de sono leva a uma perda de conectividade entre os neurônios no hipocampo, uma região do cérebro associada ao aprendizado e à memória.

“Está claro que o sono desempenha um papel importante na memória. Nós sabemos que tirar sonecas durante o dia nos ajuda a reter memórias importantes mas como a privação de sono prejudicava a função do hipocampo e memória era menos óbvio”, diz o autor Robbert Havekes, PhD, Professor Assistente do Instituto Groningen para a cadeira de Ciências da Vida Evolucionárias.

Parece que as mudanças na conectividade entre as sinapses – estruturas que permitem que os neurônios para transmitir sinais uns aos outros – podem afetar a memória.

Para estudar mais a fundo, os investigadores examinaram o impacto de breves períodos de perda de sono sobre a estrutura dos dendritos, as extensões de ramificação de células nervosas junto onde os impulsos são recebidos de outras células sinápticas, no cérebro do rato.

Leia mais: O inconsciente retém memórias que afetam nossas atitudes; saiba como

Se os dendritos não andam bem, as conexões não se fazem e a memória é perdida.

Eles usaram pela primeira vez o método de coloração -prata de Golgi para visualizar o comprimento dos dendritos e número de espinhas dendríticas no hipocampo do rato depois de cinco horas de privação de sono, um período de perda de sono que é conhecido por prejudicar a consolidação da memória.

As análises indicaram que a privação de sono reduz significativamente o comprimento da coluna e da densidade dos dendritos pertencentes aos neurônios na região CA1 do hipocampo. Após a malvada experiência da perda de sono, deixaram os ratinhos dormirem em paz por três horas.

Este período foi escolhido com base em trabalhos anteriores que mostram que três horas é suficiente para restaurar os déficits causados pela falta de sono, inclusive nos humanos!.

Leia mais: Respeite o seu perfil cronobiológico e tenha uma boa noite de sono

Após o sono, os efeitos da privação de sono de cinco horas nos ratinhos foram invertidos de modo que as suas estruturas dendríticas foram semelhantes aos observados nos ratos que tinham dormido.

Os pesquisadores então investigaram o que estava acontecendo durante a privação do sono, a nível molecular. “Nós estávamos curiosos sobre se as mudanças estruturais no hipocampo poderiam estar relacionadas ao aumento da atividade da proteína cofilina, pois isso pode causar o encolhimento e perda de espinhas dendríticas”, disse Havekes.

Os ratos privados de sono aprenderam tanto quanto aqueles que dormiram bem, quando bloqueamos a cofilina ” disse Ted Abel, PhD, Professor de Biologia da Universidade da Pensilvânia e autor sênior do estudo, explicando: “A falta de sono é um problema comum na nossa sociedade moderna, que está ligada 24/7 e tem consequências graves para a saúde, para as funções do cérebro e para o bem-estar geral.

Leia mais: Insônia

“Apesar de décadas de pesquisa, as razões pelas quais a perda de sono afetavam negativamente a função do cérebro permaneceram desconhecidos. Nossa descoberta de um caminho através de como a privação do sono impacta a consolidação da memória, traz nova luz e destaca a importância da capacidade da rede celular neuronal de se adaptar à perda de sono. O que é, talvez, o mais impressionante é que essas conexões neuronais são restauradas após algumas horas de bom sono. Assim, quando os indivíduos têm a oportunidade de pegar no indispensável sono estão rapidamente remodelando seu cérebro”

Algumas dicas dos especialistas para dormir bem:

1. Não fazer nenhuma atividade física algumas horas antes de dormir, porque o corpo, as conexões e os músculos ficam “ligados”. Isso varia de pessoa para pessoa. Algumas conseguem dormir após exercícios porque são liberadas Serotoninas que dão uma sensação de bem estar.

2. Não tomar bebidas que contenham cafeína e outros estimulantes.

Leia mais: Como saber se preciso dormir mais?

3. Não comer próximo a hora de dormir, ou comer menos, porque a digestão pode ser demorada e se conseguir dormir, certamente terá uma noite de altos e baixos na qualidade do sono.

4. Evitar filmes ou músicas muito barulhentas ou excitantes antes de dormir. Mexem com o cérebro e o coração.

5. Preparar o ambiente para o sono. Pouca ou nenhuma luz. Silêncio e temperatura são fundamentais.

Leia mais: Impacto do estresse no sono

6. Desligar-se dos problemas do dia ou do planejamento do dia seguinte. Tudo o que interessa é o aqui e agora em paz. Exercícios de meditação e respiração ajudam muito no relaxamento na hora de dormir.

7. Um banho quente ajuda a relaxar antes de ir para a cama.

Fonte da história : O post acima é reproduzido a partir de materiais fornecidos pela eLife .

Nota: O conteúdo FOI AUTORIZADO para ser traduzido em parte, editado e adaptado para o site.

Referência: 1. Robbert Havekes , Alan J Park, Jennifer C Tudor , Vincent G Luczak , Rolf T Hansen , Sarah L Ferri, Vibeke M Bruinenberg , Shane G Poplawski , Jonathan Day P , Sara J Aton , Kasia Radwanska , Peter Meerlo , Miles D Houslay , George S Baillie, Ted Abel. A privação do sono provoca déficits de memória , impactando negativamente a conectividade neuronal no hipocampo CA1 área . eLife , 2016; 5 DOI : 10,7554 / eLife.13424

Compartilhar
Genaldo Vargas
Psicanalista, Palestrante, Professor Universitário, Viajante do mundo, curioso e eterno aprendiz..... É colunista do site Fãs da Psicanálise.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA