Ao escutar a expressão ‘Janeiro Branco’ consigo pensar em paz de espírito, equilíbrio emocional. Que sensação maravilhosa! E você, como se sente?

Estamos a todo momento cuidando de algo, seja da nossa família, do nosso lar, do nosso trabalho, dos nossos amigos, do nosso animal de estimação… E de nós mesmo, cuidamos também? Do nosso lar que é nossa mente, cuidamos tão bem como cuidamos dos outros? Cuidamos das nossas unhas, cabelo, joelho, estômago, pés, braços, sobrancelhas… e das nossas emoções, cuidamos² também?

Quando falo em cuidado lembro do livro escrito pelo querido Leonardo Boff, intitulado de “Saber cuidar: Ética do humano – compaixão pela terra”. Sobre esse tema tão especial o autor nos diz que:

“O que se opõe ao descuido e ao descaso é o cuidado. Cuidar é mais que um ato; é uma atitude. Portanto, abrange mais que um momento de atenção, de zelo e de desvelo. Representa uma atitude de ocupação, preocupação, de responsabilização e de envolvimento afetivo com o outro” (p.12).

Olha só quanta responsabilidade temos quando escolhemos cuidar de alguém ou de algo. E quando esse alguém é você mesmo? O que há em você é valioso e por isso, precisa de cuidado constante. E sobre cuidar da mente, das emoções, não há dúvidas de que é fundamental cuidados redobrados pois, é através deles que saem todos os nossos sentimentos, pensamentos e atitudes. Boff diz mais, afirma que o cuidado é um modo-de-ser: “O cuidado entra na natureza e na constituição do ser humano. O modo-de-ser cuidado revela de maneira concreta como é o ser humano” (p.13). Portanto, lembrem sempre: “Quem cuida da mente, cuida da vida”.

Desde 2014 surgiu a campanha Janeiro Branco como forma de incentivo para nós pensarmos em nossa mente, afinal de contas “Quem cuida da mente, cuida da vida”. A campanha tem o desejo de criar a ‘cultura da saúde mental’ em todo os lugares e essa construção inicia em janeiro já que por ser o primeiro mês do ano novo sempre há a expectativa e simbologia de “ano novo, vida nova”. Mas, mais do que isso, desejamos cuidados à nossa saúde mental todos os meses do ano, todos os dias, trata-se de uma construção constante. A cor branca da campanha como associação a uma folha em branco em que cada sujeito poderá escrever e reescrever o que desejar.

Através da Campanha Janeiro Branco pretendemos estimular a criação de uma ‘cultura da saúde mental’ no mundo e, ao mesmo tempo, difundir um conceito ampliado de Saúde Mental/Saúde Emocional como um estado de equilíbrio – individual e coletivo – sem o qual não é possível viver satisfatoriamente em sociedade. Escolhemos o mês de janeiro para mobilização pelo fato de que, por força cultural da simbologia atribuída à virada de ano, as pessoas estão predispostas a pensar sobre as suas vidas em diversos aspectos e, a cor branca, porque, também simbolicamente, queremos mostrar às pessoas que, como em uma folha em branco, qualquer um pode escrever e reescrever a sua própria história, desenhando e redesenhando novas possibilidades perante a vida (Leonardo Abrahão, psicólogo).

Então, vamos pensar e cuidar da nossa saúde mental?

Aos poucos, vamos fazendo uma viagem para dentro de si e refletindo sobre tantos momentos vivenciados, ora lembramos de momentos alegres; ora relembramos de momentos difíceis e alguns ainda penduram em nossas vidas, precisamos muitas vezes de uma reelaboração para que possamos atingir o equilíbrio emocional necessário para continuarmos o percurso.

Leia Mais: Como o perdão pode melhorar a saúde mental

Isso, é preciso fazer essa viagem para buscarmos saber por onde anda nossa mente, nossas emoções. É importante realizar esse percurso a sós, como também é importante fazê-lo entre familiares e amigos e mais, é fundamental fazermos essa trajetória no setting analítico, espaço onde poderemos está a sós consigo mesmo e ao mesmo tempo, presenciar um profissional que nos acolhe sem julgamentos.

É preciso dá voz ao nosso lar, ou seja, é preciso dá voz a nossa mente, as nossas emoções:

… Mostrar às pessoas – e à sociedade – que os seres humanos são seres de conteúdos psicológicos e subjetivos, que suas vidas, necessariamente, são estruturadas em torno de questões mentais, sentimentais, emocionais, relacionais e comportamentais, sendo, portanto, imperioso e necessário, que a subjetividade humana possua lugar de destaque em nossa cultura e em nossos cotidianos, sob pena de sermos vítimas de nós mesmos e de quem despreza as próprias necessidades psicológicas e as necessidades psicológicas alheias (Leonardo Abrahão – Campanha Janeiro Branco).

Ao cuidar da nossa mente, estamos cuidando do nosso corpo. Ao mesmo tempo que podemos compreender e cuidar de um momento de desequilíbrio emocional instalado em nossas vidas, podemos também prevenir momentos como esses através do cuidado constante a nossa saúde mental. É preciso falar sobre as nossas emoções. É preciso falar do que nos causa dor para que possamos ter a oportunidade de transformá-la e seguirmos em frente.

Quem cuida da mente, cuida da vida;
Quem cuida das emoções, cuida da humanidade;
Quem cuida de si, já cuida do outro
(Campanha Janeiro Branco).

*Campanha Janeiro Branco, uma Campanha totalmente dedicada a colocar os temas da Saúde Mental em máxima evidência no mundo em nome da prevenção e do combate ao adoecimento emocional da humanidade (Extraído do site www.janeirobranco.com.br).
**Repetição proposital da palavra.

Compartilhar

RECOMENDAMOS




DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here