Imagino a barra que você está vivendo, silenciosamente, chorando embaixo do chuveiro, ou, talvez, enquanto dirige e ouve as suas músicas prediletas. Certamente, você já perdeu as contas das vezes que engoliu o choro, pois ninguém entenderia suas lágrimas e ficaria complicado demais para você explicar sua melancolia maquiada de cansaço.

E, cá pra nós, o choro é um negócio indigesto para engolir, né? Você tenta disfarçar, e as lágrimas, nos momentos mais inoportunos, cismam de jorrar na sua cara, estragando aquela maquiagem tão caprichada. Às vezes, uma simples melodia, põe tudo a perder, ou, talvez, um texto como esse. Sabe, é perda de tempo tentar mascarar o que se passa na alma, desista.

Até quando você vai tentar tapar o sol com a peneira sobre esse relacionamento? Até quando vai se iludir com curtidas em fotos de vocês dois nas redes sociais? Do que adianta aquele tanto de comentários bonitos e até poéticos nas fotos, se a realidade está toda cinzenta, praticamente um luto?

Moça, por mais que doa, a realidade precisa ser encarada. Você já se acostumou com esse ritual de fuga, de buscar nas redes sociais o analgésico para essa dor que te consome. Já virou vício esse comportamento. Entenda: as fotos de vocês serão sempre curtidas e comentadas, afinal, vocês, do ponto de vista estético, formam um casal lindo. E, os amigos, tanto reais quanto virtuais, não possuem bola de cristal para perceberem a realidade. Eu te garanto uma coisa: se eles soubessem ao menos um por cento do quanto você está infeliz e do quanto esse rapaz tem te maltratado, ninguém apoiaria, não haveria coraçõezinhos, tampouco, “casal lindo” nas postagens que você faz sobre vocês.

Ocorre que você vive dois relacionamentos: o “perfeito” que você posta e induz as pessoas a acreditarem e o real que é esse que te arranca lágrimas diariamente e faz sua auto estima definhar. E aí, te pergunto: até quando você pretende viver essa farsa? O tempo está passando, e você está cada vez mais emaranhada nessa teia que você criou. Essa vida dupla, a que existe e a que você fantasia nas redes sociais.

Longe de ser um julgamento de minha parte, quero apenas inquietá-la enquanto há tempo. Sei que minhas palavras estão soando ásperas demais, mas se eu ficar poetizando nesse texto, eu não vou entregar a mensagem que você precisa. Esse texto não é para ser bonito, é para ser útil, é para cutucar a ferida mesmo. Talvez você fique irritada comigo, mas, pode ser que me agradeça também. Você está toda machucada, infeliz, frustrada, vivendo de migalhas e induzindo as pessoas à sua volta a acreditarem que você tirou a sorte grande no amor. A realidade do seu relacionamento não está bonita, aliás, nunca esteve.

Você está precisando de amor, de cuidados, de ser ouvida, de ser acolhida, de ser respeitada e valorizada, tudo o que falta nesse relacionamento abusivo que você vive. Hei, onde e com quem você aprendeu que isso é amor? Ah, de verdade, eu desejo a você a força necessária para sair desse fundo de poço. Desejo que você abandone essa barca furada e volte para você mesma.

Espero, de verdade, que você abrace a si mesma e permita que outros abraços te envolvam, e que eles sejam bálsamo e que a façam lembrar desse texto. Que você encontre um amor de verdade, tão real e gostoso que a faça desligar-se da necessidade de postar a sua felicidade. Contudo, se você vier a postar algo, que os comentários dos amigos traduzam a realidade da plenitude que você estará vivendo.

Compartilhar

RECOMENDAMOS


Ivonete Rosa
Sou uma mulher apaixonada por tudo que seja relacionado ao universo da literatura, poesia e Psicologia. Escrevo por qualquer motivação: amor, tristeza, entusiasmo, tédio etc. A escrita é minha porta voz mais fiel. Sou colunista do site Fãs da Psicanálise.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here