Em tempos de… politicamente correto, ao que carinhosamente chamo de Hipocritamente Correto, pergunto inocentemente:

Onde é que foi parar a essência das pessoas? A personalidade forte? Onde foi parar o famoso… seja você mesmo?

Pois é. Alguém aí do outro lado da tela consegue me responder? Eu imagino que um monte de pessoas tentará argumentar dizendo que… nós nos adaptamos aos tempo modernos, outros dirão que odeiam o politicamente correto, mas acabaram se rendendo a ele… e mais uma porção de gente dirá que… se formos nossa essência em tempo integral não seremos aceitos pela sociedade.

Eu diria a essa gente toda que eles estão absolutamente errados, ou melhor, colocaria o dedo na ferida e iria além, diria que eles todos estão parcialmente ou completamente infelizes justamente por terem se rendido ao… ser aceito. Vocês realmente não têm noção do quanto isso é ruim.

Em dois atendimentos essa semana e mais um semana passada, tive que utilizar exatamente o mesmo discurso aos meus clientes:

Ao fazer as coisas somente para agradar aos outros, invariavelmente você se desagrada ou até mesmo se violenta. Ou seja, olhando para o lado oposto, ao fazer coisas para se agradar em primeiro lugar você automaticamente agrada os outros de modo verdadeiro, ou seja, ser você mesmo agrada aqueles que realmente gostam de você.

Digo isso porque penso assim: Aqueles que se aproximam da gente ou que gostam de nós simplesmente porque fazemos as coisas apenas para agradá-los, não são pessoas que gostam de você pelo que você é e sim porque você só faz as coisas para agradá-los. Eles não gostam de você, eles gostam do que você finge ser. A relação está contaminada. Obvio que sim, se você não age como gostaria, a pessoa gosta de um outro você. Ou será que estou louco?

Se você agir conforme sua essência, as pessoas que gostam de você o farão genuinamente porque sendo você a melhor pessoa do mundo ou a pior, não faz diferença, elas gostam de você. Ou não gostam, o que também é genuíno.

Você não precisa viver para agradar ninguém. Isso é muito importante porque canso de ver as pessoas se sentirem mal por não estarem agindo no dia a dia conforme suas essências.

Eu falei ali em cima sobre se violentar e é claro que existe grau de violência, mas que é violência é. Essa nem é a pior delas, mas é bem interessante observar que isso pode ser a premissa de tantas outras agressões que impomos a nós mesmos. Um dia falo melhor sobe isso.

E vou dizer algo muito importante. Quando alguém é violento com você, você simplesmente se afasta da pessoa e fim. A violência acaba. Mas ao ser violento consigo mesmo, a violência se perpetua porque você é obrigado a conviver com você para sempre. É melhor, portanto, que essa relação seja o mais saudável possível, não concorda? Não é essa, afinal, a nossa busca?

Assim sendo faço aqui outra pergunta: Quem é que te deu o direito de pensar que você pode se desagradar dessa maneira?

Você mesmo se deu esse direito? E você acha certo ser injusto com você? Ok, é um problema seu. Arque com a consequência da sua escolha desprovida de inteligência, isso para ser hipocritamente correto e não dizer… escolha burra mesmo.

Pois eu acho bom você, evidente, você que pode estar passando por isso, se libertar de uma vez. Não faz o menor sentido continuar com isso.

(*Título original: Auto Violência)

Compartilhar

RECOMENDAMOS



Marcelo Mello
Coach Pessoal e Empresarial, Consultor de Negócios, palestrante e escritor. É colunista do site Fãs da Psicanálise.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here