A maneira como você vê os outros pode revelar muito sobre seu próprio caráter e personalidade. Segundo o “Journal of Personality and Social Psychology“, as pessoas que classificam os outros como honestos, agradáveis e estáveis são aqueles que sentem a maior satisfação em suas vidas.

Por outro lado, aqueles que têm opiniões negativas de seus pares são precisamente os mais antissociáveis, narcisistas e desagradáveis.

Neste estudo, também foi comprovado que as pessoas que avaliam positivamente seus colegas de classe sofrem menos depressão e transtornos de ansiedade. Pelo contrário, pessoas que criticam demais os outros são mais propensos a sofrer de distúrbios de personalidade, especialmente distúrbios paranóicos ou anti-sociais.

Deixando de lado os transtornos de personalidade , sempre existe alguém que vive criticando tudo e todos . Em cada um de nossos ambientes, há alguém que pensa que o mundo está cheio de pessoas más. Segundo este estudo, independentemente de você estar certo ou não, esse pensamento provavelmente não contribui precisamente para a sua felicidade.

“Não vemos os outros como são, mas como somos” (Immanuel Kant)

Nós somos espelhos

O exterior age como um espelho para a nossa mente, nele vemos refletidas diferentes qualidades ou aspectos de nosso próprio ser. Quando observamos algo que não gostamos em alguém e sentimos rejeição, de alguma forma esse aspecto que não gostamos pode existir dentro de nós. Além disso, essa rejeição pode ser apenas o reflexo da rejeição que sentimos por algo que somos.

Também é possível que nosso inconsciente, ajudado por nossa projeção, nos faça pensar que o defeito existe apenas “lá fora” nessa outra pessoa. A projeção psicológica é um mecanismo de defesa através do qual uma pessoa atribui a outros sentimentos, pensamentos ou impulsos que ela nega ou é inaceitável para si mesma.

Este mecanismo é lançado em situações de conflito emocional ou quando nos sentimos ameaçados interna ou externamente. Para reduzir nosso desconforto interno, focamos no exterior todas as qualidades que não aceitamos, atribuindo-as a um objeto ou sujeito externo a nós mesmos. Dessa maneira, nossa mente aparentemente consegue divulgar esses conteúdos ameaçadores e lutar contra eles no mundo real.

A projeção psicológica é um mecanismo de defesa mental pelo qual o sujeito atribui a outras pessoas suas próprias virtudes e defeitos.

Uma boa parte do que incomoda nos outros é apenas uma projeção

O mundo interior tende a tingir o mundo exterior com suas próprias características. Assim, por exemplo, se nos sentimos muito felizes, geralmente olhamos para o mundo ao nosso redor com otimismo e alegria, expressando- nos com frases como “hoje a vida sorri para mim”, “que dia feliz”.

Obviamente, nem o dia é feliz nem a vida sorri para ninguém. Essas qualidades são realmente subjetivas e somos nós que as projetamos. O processo de projeção é inerente ao funcionamento mental humano e, portanto, nos ajuda a sentir e pensar no mundo como algo humanizado.

Muitas vezes, o que achamos difícil nos outros é precisamente o que não resolvemos dentro de nós mesmos. Se o tivéssemos resolvido inicialmente, isso nunca se tornaria um problema crônico. Nesses casos, a aceitação de nossas sombras e meditação nos ajudará a nos conhecer melhor e a integrar mais de uma perspectiva antes de prosseguirmos para as interpretações.

(Fonte Original gutenberg.rocks)
*Texto traduzido e adaptado por Naná cml da equipe Fãs da Psicanálise.

*Texto traduzido e adaptado com exclusividade para o site Fãs da Psicanálise. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.

(Fonte: pexels)

Compartilhar

RECOMENDAMOS



Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here