Pode surpreendê-lo, mas uma criança obediente não é uma criança feliz. Obediência é quase sempre alcançada através do medo, então o melhor é educar para que eles entendam imediatamente o que respeito, reciprocidade e empatia são construídos através do afeto sincero.

Certamente alguns pais não concordarão. De fato, muitos de nós fomos educados de acordo com as regras da psicologia comportamental que fazer algo errado envolve receber uma punição severa e, ao contrário, fazer a coisa certa leva a uma recompensa.

Prêmios e punições nem sempre são eficazes, especialmente porque no mundo adulto a sociedade nem sempre nos recompensa por “se comportar bem”. As crianças não devem direcionar seu comportamento com base em gratificações simples.

Em vez disso, elas precisam entender por si mesmos a base do bom comportamento, respeito e nobreza da alma, colocando-os em prática espontaneamente.

Obediência baseada no medo e infelicidade
Começamos esclarecendo os conceitos mais importantes. Obediência transmitida através do medo é uma fonte de desconforto em uma criança; Da mesma forma, porém, também a permissividade causa infelicidade. Em um caso, a criança só verá paredes ao seu redor; no outro, sem ver ninguém, ela nunca saberá o que esperar.

Os extremos não funcionam quando uma criança é criada. Portanto, é melhor definir o que se entende por “criança obediente”.

Crianças obedientes só em casa
Esse é um comportamento tipicamente observado nas escolas. Mestres e professores percebem crianças que se comportam violentamente na sala de aula e não respeitam os outros, mostrando uma atitude muito diferente do que fazem em casa.

Quando os professores falam sobre isso com seus pais, estes não conseguem imaginar ou acreditar que seus filhos se comportam assim porque em casa “são muito obedientes”.

O problema é o seguinte: quando educamos através do medo e da punição, as crianças obedecem, mas não conseguem aprofundar o conceito de respeito. Ela faz o que faz porque é obrigada, mas não o entende. É por isso que na escola, sentindo-se mais livres das pressões familiares, ela tende a canalizar o medo e a raiva através dessas ações destrutivas.

Não é a coisa certa a fazer. Às vezes podemos até testemunhar a situação oposta; Crianças severamente educadas através da obediência em outras ocasiões mostram uma atitude fechada, medrosa e defensiva. O medo não as educa, pelo contrário, prejudica seu equilíbrio emocional.

As maneiras pelas quais crianças obedientes são educadas
Há muitas maneiras de educar uma criança e cada família terá seus próprios princípios, valores e estratégias para transmitir a seus filhos. Em qualquer caso, a obediência baseada na submissão não é saudável ou pedagógica.

Vejamos os riscos deste tipo de educação dominante e rigorosa baseada na obediência:

• As crianças não sabem ou se atrevem a expressar suas emoções porque qualquer ato espontâneo é punido.

• A criança que é educada para ficar em silêncio, para esconder as lágrimas porque “chora é para os fracos” ou para ficar calma porque “para não incomodar” vai acabar desenvolvendo uma repressão emocional e pessoal muito perigosa.

• Obediência também visa “proteger” a criança de possíveis ameaças. Uma criança obediente nunca sairá da zona de conforto familiar e ficará presa dentro dessa “bolha” paterna e materna.

• A criança obediente educada no medo não tem a coragem de explorar ou descobrir, ela não se sente segura para se abrir com os outros. O medo é o oposto da felicidade. Portanto, é necessário mudar a estratégia, educar para o respeito e não para o medo.

Educar para o respeito, educar para a felicidade
Não é a mesma coisa dizer “cale a boca e pronto, você está incomodando” e dizer “você pode ficar quieto agora, por favor? Mamãe está no telefone “.

A educação e a atitude da linguagem são pedagógicas: servir como modelo é a chave para a educação de uma criança. Se é verdade que todos nós queremos que nossos filhos nos escutem, também é verdade que eles devem entender por que as coisas são melhores assim, por que devem se comportar respeitosamente com os outros.
Tome nota destas ideias-chave para refletir sobre o valor da educação baseada no respeito:

• Dê responsabilidades ao seu filho. Ele deve entender desde cedo a importância de fazer as coisas sozinho e cuidar de seus objetos pessoais. Pouco a pouco, ele perceberá que é capaz disso e que confiamos nele e nos orgulharemos disso.

• Debata com ele sobre as regras que você estabelece em casa. Explique por que ele deve observá-las; Desta forma, estabelecemos uma comunicação baseada no respeito através da qual você pode responder a todas as suas perguntas.

• Se ele fizer algo errado, não grite ou o humilhe (com expressões como “você é estúpido” ou “você é o pior filho do mundo”). Em vez de intensificar a negatividade, ensine-o a fazer as coisas da maneira certa.

Tente entender suas emoções e ensine-as a canalizá-las e a entender esses processos internos.

Publicado por: pensarcontemporaneo.com
Fonte: Siamo Mamme

(Fonte: Pascal van de Vendel)

Compartilhar

RECOMENDAMOS



Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here