É comum nos dias atuais vermos criancinhas brincando com tablets ou smartphones. Há até alguns feitos especialmente para elas com jogos interativos e vídeos. Apesar de estarmos em plena revolução tecnológica não é certo que criancinhas com menos de dois anos de idade se apeguem a esses aparelhos, pois deixam de valorizar os seus brinquedos e amiguinhos próximos.

Os pais não suportam mais os choros dos seus filhos e para vê-los quietos fazem qualquer coisa, logo como sabem que os aparelhos eletrônicos são atrativos mostram às criancinhas que ficam à mercê desses aparelhos, esquecendo uma vida real do outro lado da telinha. O que ocorre com criancinhas que se divertem com aparelhos eletrônicos?

Quando crescerem mais um pouco não saberão lidar com a valorização das pequenas coisas, assim como brinquedos e jogos. Não terão vivenciado a experiência de quebrar um brinquedo ou de chorar por outro que tenha se perdido. Não saberão quem são seus heróis de verdade ou como se tornarão heróis diante das demais crianças. O pior, não saberão como brincar com as demais crianças.

A vida na tenra idade é incompreendida pelos adultos e na primeira oportunidade que têm de ver as criancinhas quietas fazem o que estão ao alcance para isso, porém mesmo que o smartphone ou tablet tenha um atrativo adequado para a idade da criança, ou seja, apenas um vídeo com musiquinha ou um joguinho bobo, não é recomendado que passe tanto tempo presa a esses aparelhos eletrônicos, pois deve desenvolver as suas emoções e socializar-se com os parentes e amiguinhos. A criancinha que passa a maior parte do tempo diante da tela de um tablet tem tendências a ficar ansiosa e dependente desse aparelho quando maiorzinha.

O bom é que os pais esperem que as criancinhas cresçam mais um pouco para presentear-lhes com aparelhos eletrônicos. Na internet são disponibilizadas muitas imagens de pequeninos brincando com aparelhos eletrônicos, o que torna o acesso às brincadeiras e ao convívio familiar cada vez mais distante. É preciso que voltemos a valorizar a contação de histórias, as cantigas de ninar, os brinquedos feitos a mão e, principalmente, o abraço e a conversa sempre com as criancinhas. Deixá-las largadas com um tablet ou smartphone até a hora de dormir não é nada bom para o desenvolvimento

das emoções. Elas aprendem a ter raiva, a amar, a serem pacientes, a serem caridosas, experimentando a realidade como ela é, mesmo que seja difícil ter que ouvir a criancinha chorar por um desses aparelhos o melhor é distraí-las com brinquedos criativos e instrutivos. É sabido que há softwares e aparelhos desenvolvidos para essa turminha, mas o quanto pudermos evitar que elas tenham na tenra idade o contato com eles que façamos. Evitemos que as nossas criancinhas sejam tomadas pela revolução tecnológica, pois o que elas mais precisam na primeira infância é de carinho, pessoas reais, emoções e amor, muito amor.

Os aparelhos eletrônicos ainda não sabem amar, o que é bom. Mas pais e responsáveis podem fazer esse diferencial levando as criancinhas para um passeio no parque, para se lambuzarem com um sorvete, tomarem um banho de praia ou se sujarem no meio da chuva. São nos dias de chuva que as crianças estão mais presas aos aparelhos eletrônicos, pois não têm como brincar no pátio de casa para não se molharem e evitarem resfriados, no entanto os pais não estão evitando o vício de ficar plugado o tempo inteiro nos aparelhos eletrônicos que podem causar problemas psicológicos e físicos mais tarde às criancinhas.

A melhor coisa é que as crianças tenham contato com mais brinquedos e brincadeiras que desenvolvam a mente e o corpo, pois é preciso um equilíbrio entre os dois. E que não seja permitido a nenhuma criancinha ficar sentada por horas diante de um aparelho eletrônico sem experimentar o correr, pular e brincar vivendo a sensação maravilhosa de espalhar os brinquedos pela casa toda até se cansar.

Antigamente, os pais evitavam que as criancinhas chorassem muito com ameaças de castigos. Hoje, eles melhoraram um pouco tirando o castigo e colocando nas mãos das criancinhas os aparelhos eletrônicos que pensam serem bastante educativos para os seus filhos, mas que prejudica o bom desenvolvimento dos seus pensamentos.

Quantas criancinhas nunca experimentaram o prazer de fazerem perguntas por que simplesmente os aparelhos eletrônicos já respondem tudo para elas ou nunca se perceberam diante do espelho com raiva, chorando, tristonhas e dançando. Ainda há espelhos nos quartos das criancinhas? Elas ainda se espantam quando se veem nos espelhos? O ato de espantar-se só é adquirido diante de vivências com o mundo real, tais como: por que está chovendo? Por que meu amiguinho morreu?

Por que estou crescendo? São perguntas que a criancinha só é instigada a perguntar se ela perceber-se no mundo real, por isso é preciso que os pais dediquem aos seus filhos momentos de lazer longe das telinhas dos aparelhos eletrônicos para que tornem-se crianças curiosas e criativas.

Compartilhar

RECOMENDAMOS



Rosângela Trajano
Rosângela Trajano é licenciada e bacharel em Filosofia com mestrado em literatura, escritora, ilustradora e professora de filosofia para crianças. O que mais gosta de fazer é poetizar para crianças. É colunista do site Fãs da Psicanálise.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here