Se você quer que eu escute, não grite comigo. Se você procura meu respeito, me trate com consideração. Porque se você não gosta dos efeitos, você não deveria criar as causas e, mesmo que você não acredite, o que você semeia, mais cedo ou mais tarde, colhe.

Talvez essas idéias façam você pensar nessa visão de que todo estímulo tem uma consequência associada a ela. Não é necessário ser um determinista, mas todos nós temos um equilíbrio sutil dentro de nós, onde cada variação dá origem a uma reação.

“Se você quer conhecer o seu presente, olhe para o seu passado, porque é o resultado. Se você quer conhecer o seu futuro, cuide do presente, porque o segundo é a causa do primeiro.” (Buda)

Existem aqueles que acreditam no acaso e aqueles que não acreditam nele. Mas é bom deixar um espaço para o imprevisto, pois o improvável e o que é mágico sempre conforta o coração. No entanto, devemos aceitar que a chamada “causalidade” existe e muitas vezes nos determina.

A vida é um ensinamento contínuo, por isso devemos nos permitir ser alunos humildes para compreender que uma ação está sempre associada a uma consequência, que as palavras têm o poder de magoar ou curar, que um pensamento gera uma emoção e que pode, por sua vez, nos ajudar a ver o mundo de uma forma ou de outra.

Nós convidamos você a refletir conosco.

O peso dos efeitos, também chamado de “Lei da consequência”
As pessoas têm um conhecimento básico e elementar sobre a relação entre causas e efeitos. O mundo das máquinas e da engenharia, por exemplo, sem dúvida nos oferece lições muito claras sobre esse assunto, mesmo que, na realidade, não sejam suficientemente profundas: se pressionarmos um certo botão, o computador ligará; se empurrarmos o freio do carro, nos salvaremos de muitos acidentes.

O comportamento humano é muito mais complexo. Nós não estamos equipados com botões e não temos um manual de instruções. Tanto é assim que às vezes, interagindo da mesma maneira com duas pessoas diferentes, os efeitos são bem distintos. Nós humanos somos maravilhosos e complicados, temos uma mistura delicada de emoções, afetos e valores que criam diferentes reações aos mesmos estímulos.

A Lei de causa e efeito, ou lei de conseqüência, nos dá informações fundamentais sobre o mundo das relações humanas, que vale a pena considerar:

•Toda ação, pensamento ou intenção é como um bumerangue. Mais cedo ou mais tarde, esse comportamento, essa palavra deixada para atropelar alguém, volta para nós com um certo efeito. Isso deve ser considerado.

• As coisas pelas quais estamos passando, o que nos subjuga neste complexo atual, estão ligadas a uma causa que devemos buscar em nosso passado.

• Não devemos ver isso como um tipo de determinismo implícito, mas aceitá-lo pelo que é. Somos criaturas livres e poderosas, capazes de escolher o que fazer, o que decidir e o que pensar em cada momento.

Portanto, é responsabilidade de cada um de nós tentar prever os efeitos de cada uma de nossas ações: precisamos ser mais reflexivos e intuitivos.

Cuide de suas ações, suas palavras e seus pensamentos
As pessoas não são apenas o que dizem ou fazem: são acima de tudo o que pensam. É assim que delimitamos nossa realidade para dar forma, corpo e essência. Se seus pensamentos estão infestados de medos, vozes que dizem “não posso” ou “não mereço”, os caminhos que você tomará serão pântanos de arame farpado onde você terá que se defender dia após dia.

O tema das causas e efeitos não afeta apenas aqueles que os cercam: eles primariamente nos tocam, como agentes criativos, como seres poderosos, capazes de moldar a realidade pessoal. A seguir, explicamos como ser protagonistas de sua realidade de maneira saudável e enriquecedora.

Tratar as causas para obter efeitos mais autênticos
Todos nós podemos ter uma vida mais digna e feliz se nos importamos mais com nossas ações e cuidarmos das palavras para que elas não prejudiquem ou incomodem a nós ou aos outros. A lei de causa e efeito nos lembra que tudo o que fazemos, dizemos ou pensamos tem impacto tanto sobre nós como sobre aqueles que nos rodeiam.

Afinal, trata-se da realização do que Galileu Galilei disse um dia: “As coisas estão unidas por laços invisíveis: você não pode colher uma flor sem perturbar uma estrela”. Agora vamos ver como criar efeitos mais saudáveis, mais dignos e enriquecedores para todos.

• Se você fizer boas ações, colherá bons resultados. Não fique obcecado com a esperança de que os outros sempre reconheçam suas boas ações: você deve prestar mais atenção ao seu comportamento correto, respeitoso e nobre.

• Desejos criam intenções e as intenções moldam muitas ações. Deixe seus desejos serem gratificantes, positivos e construtivos, para você e para os outros.

• Outro aspecto a considerar é o automatismo. Vivemos uma boa parte do dia de maneira automática, simplesmente nos deixamos levar. Isso nos leva a nos desconectarmos do nosso mundo interior e até mesmo das nossas emoções.

Desacelere, pare. Analise os potenciais efeitos antes de pronunciar cada palavra. Pare e desligue esse ruído mental composto de atitudes e inseguranças limitantes. Re-formem seus pensamentos com nova energia, força e carinho renovado para poder mudar sua realidade.

Às vezes as menores coisas dão vida a grandes universos de felicidade e tudo, absolutamente tudo, pode nascer de um simples pensamento.

Traduzido e adaptado de La Mente è Meravigliosa por Pensar Contemporâneo

Compartilhar

RECOMENDAMOS



Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here