Um dia desses, por acaso, encontrei com uma ex vizinha de infância no supermercado. Quando meus olhos a reconheceu, ela veio até a mim, me sorriu e nos cumprimentamos. Naquele momento, eu percebi que o tempo não nos deixa esquecer pessoas especiais. Conversamos um pouco, depois nos despedimos e nossos caminhos se separaram mais uma vez. Coisas da vida…

Eu percebi que ela estava mais linda do que era, que seu corpo estava intacto mesmo estando mais velha, também reparei na pele lisa do rosto sem qualquer marca de expressão.

Bom, eu estava certa que não era natural também. Talvez aplicações, dieta e ginástica, por que não? Também precisamos alimentar as vaidades, só não podemos permitir é cair na tentação da superficialidade ou da falta de caráter. Sim, minha ex vizinha está um mulherão.

Ela não permitiu que os pequenos luxos levasse dela a simplicidade de antes e muito menos roubasse seu caráter. Ter cuidado com o corpo ou com a aparência, não é pecado e nem crime, só não pode é ter um íntimo falso ou ter tudo perfeito da boca pra fora.

Tem gente que olha para a gente sem máscaras e clichês, todo transparente, assim é essa pessoa que encontrei depois de alguns anos. Ainda bem que no mundo ainda existem pessoas que sabem acolher com a alma e sem aquela educação por obrigação. É maravilhoso encontrar almas nuas com simplicidades transparentes.

Não é preciso ser gostosa, ter aparência elegante, maquiagem perfeita, sorriso impressionante, vestir a roupa mais cara da loja, comprar sapato personalizado, se dentro de você existem solidões e vazios porque não sabe perdoar, aceitar o outro ou amar de verdade.

Não adianta fazer dieta, caber naquela calça tamanho 38 ou 40, ter um corpo invejável, se você não tem a capacidade de pedir desculpas, de tratar bem seus irmãos, de estender as mãos para os seus pais ou deixar de comer para não engordar… não adianta ter medidas exatas e viver de etiquetas, se você não entende que uns quilos a mais é melhor do que soberba em excesso. Não adianta ser sexy, tem que ser transparente.

Também tem que ser original, porque tudo muito forçado ou exagerado, passa do ponto e acaba estragando. Tem pessoas que nasceram finas e elegantes, logo são naturais, mas tem outras pessoas que nem fazendo aula de etiqueta convence a gente. Tem pessoas que conseguem ser sexy apenas pelo olhar, pelo gesto, pelo jeito de ser, enquanto tem tantas outras que nem fazendo pole dancing, encanta. A naturalidade e a transparência atraem mais do que belezas e elegâncias postiças para nada.

Não basta ser sexy, tem que ser gentil com as pessoas, dizer muito obrigado, pedir licença, falar em tom ponderado. Não é um short curto, um decote, uma transparência em um corpo bonito que vai chamar a atenção, mas esteja certa que um gesto delicado e humano vai ser marcante para sempre.

Se todo mundo soubesse o valor que tem ser bom, ser transparente e ser mais você em corpo e alma de verdade, não ia existir tantas pessoas superficiais no mundo.

Sexy é ser transparente, é ser gente in natura.

(Imagem: Sam Manns)

Compartilhar

RECOMENDAMOS



Simone Guerra
Simone Guerra é mãe, escritora, professora e encantada pela vida. Brasileira morando na Holanda. Ela não é assim e nem assada, mas sim no ponto. Transforma em palavras tudo o que o coração sente e a alma vive intensamente. Apaixonada por artes, culturas, línguas e linguagem. Não dispensa bolo com café e um dedinho de prosa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here