Pense numa vela. Há dias em que ela está acesa e com isso consegue iluminar todo um ambiente, e em outros, ela é apenas uma vela que um dia já iluminou, mas naquele momento, não produz luz nem para si própria.

Assim também somos nós; algumas manhãs parecem iniciar novos ciclos, nos inspirando a cantar alto no trânsito, cumprimentar os vizinhos, bater papo com o motorista do Uber e trabalhar a finco com todo coração no que deve-se fazer, mas em outras, o mundo parece um aglomerado de cimento.

É como se por alguma razão durante a noite as coisas tivessem mudado de lugar e isso provocou um terremoto interior que abalou as estruturas emocionais, e agora a vontade de contar ao motorista sobre o dia anterior se foi, levando junto a vontade de fazer qualquer outra coisa.

Nem sempre a gente acorda bem. Vez ou outra nossos vazios existenciais vêm nos visitar e revirar aquilo que um dia já esteve revirado, enchendo a garganta com nós que parecem não poder ser engolidos, de tão grandes que são.

Nem sempre está tudo certo do lado de dentro. Às vezes, sem saber direito o motivo, a gente se sente meio abatido e tem vontade de pegar a bolsa, levantar e sair porta à fora, em direção à casa, ou sem rumo algum, mas de alguma maneira, ir.

Nem sempre está tudo tão bem quanto fazemos parecer estar. Quantos dos nossos sorrisos amarelos são dados com as últimas forças de um coração que já não sabe direito como bater, de tanto que apanhou. Inúmeros são os dias em que reunimos resquícios de esperança para trazer cor à vida de quem nos parece também não estar bem, e só quem levanta o outro mesmo estando caído conhece a grandeza deste esforço.

Para não estar bem, basta não estar. Algumas lágrimas tem razão exata para cair, mas outras, simplesmente caem. Algumas tristezas são provenientes de infortúnios diários, e outras, Deus o sabe de onde e por que vieram. Você pode estar acompanhado pelas melhores pessoas, participando de eventos interessantes e até mesmo se divertindo, se em algum momento a sensação de que não está tudo bem vier, o sol continuará brilhando, mas o dia em si ficará nublado.

Talvez, às vezes você não se sinta bem, então eu vim te dizer que está tudo bem

Se um aparelho tecnológico, imaginado, criado e produzido por humanos tem seus picos de energia e insuficiências desta, quem dirá nós, meros mortais, trabalhadores, estudantes, participantes de famílias e de outras relações.

Há momentos em que nos sentimos mais aptos a lidar com nossos problemas e também a solucioná-los, e em outros isso é quase impossível. Certos períodos, apesar de exigirem nosso máximo são suportáveis, e outros, nem tanto.

E quando isso acontece você não deixa de ser forte, mas sim, se fortalece ainda mais reconhecendo as próprias fraquezas. Sua força não pode nem deve ser medida pela quantidade de dias em que você aguenta sem chorar, mas sim, pelo quanto você continua insistindo em ser você, com todas as suas imperfeições e acertos.

Tire um tempo para si; ouça seu coração e se permita silenciar a voz que há em sua mente e que insiste em dizer que não está tudo bem. Permita-se chorar se for preciso, e não hesite em procurar ajuda profissional se esta sensação persistir. Não deve haver vergonha em reconhecer que o mundo está pesado demais para ser carregado sozinho; divida seus excessos sempre que for necessário e isso te ajudará a caminhar mais algumas milhas.

Respire. Faça o exercício de inspirar e expirar para aliviar a ansiedade e a tensão do momento, e sempre que possível, pare um tempo para se recolocar no que estava sendo feito. Corra, caminhe, dance, cante, tome um banho, vá à praia, descanse. Mas nunca, em hipótese alguma, pare. É normal se sentir meio “borocoxô”, mas isso não pode te consumir ao ponto de impedir de viver.

Acredite em você e relembre sempre que preciso o quanto foi difícil chegar no ponto atual. Talvez, neste momento sua vida ainda não tenha alcançado o pico que você deseja, por tanto, lembre de olhar para onde você já está e de comemorar cada um dos passos dados na estrada que te levou até aí.

Se às vezes você não se sente bem e não sabe ao certo o por que, torço para que todos os dias você se sinta bem com algo, e que seja fácil reconhecer o motivo da felicidade. Não se deixe morrer afogada(o) nas próprias lágrimas pensando que suas tristezas são maiores que você. Tenha sempre em mente que se você está lendo esse texto é porque sobreviveu a todos os seus piores dias e momentos, e isso é incrível!

Não deixe de acreditar em si, e de continuar tentando melhorar todos os dias. Caminhe no seu ritmo, um passo de cada vez, parando para descansar sempre que preciso, e até mesmo se sentando por alguns minutos, mas caminhe. Acalme seu coração e controle seus pensamentos para que nada te consuma a paz, e principalmente, cuide mais de você, da sua individualidade e das suas necessidades, para que, quando você estiver bem, possa então cuidar dos outros.

Você vai conseguir, você merece ser feliz, e as coisas vão dar certo, mas primeiro sua alma carece de saber – por ela e por você – que está tudo bem em às vezes não se sentir bem.

(Imagem: pexels.com)

Compartilhar

RECOMENDAMOS



Raquel Gonçalves
Há quem diga que os olhos são a janela da alma, então, no meu caso, eles são uma janela bem grande e aberta. Amante das artes, do universo e das palavras, necessito de música para viver, dos astros e estrelas para pulsar e dos versos para existir. A publicidade me escolheu; por isso anuncio paz, promovo sorrisos e transmito intensidade. Sou colunista do Fãs da Psicanálise.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here