Dois mais dois são quatro, certo ou errado, lado direto ou lado esquerdo, amargo e doce – sempre que pensamos assim, usamos a razão.

Mas quando pensamos em agradável ou desagradável, bonito ou feio – usamos a emoção.

De uma maneira bem simples e objetiva quero que preste atenção neste desenho onde eu vou lhe explicar sobre as emoções.

Imagine um cavalinho – veja esse cavalo como a EMOÇÃO, ele vai a frente dos nossos sentimentos e influencia o agir de forma ilógica, intempestiva, sem pensar, sem medir as consequências.

Leia mais: Razão x Emoção: Como pensam as pessoas que “pensam” com o coração

Agora vamos colocar uma carroça – o peso da carroça é que segura o cavalinho – RAZÃO. É a parte dos nossos sentimentos que nos faz usar a lógica e a ponderação ao nos avaliar e avaliar as situações e os fatos.

Mas o que acontece se esse cavalo estiver carregando uma carroça leve, muito leve, e o deixarem seguir livre o caminho. Você acredita que ele chegará ao seu objetivo?

Pense nas pessoas que dizem para você, com todo amor do mundo e com toda ingenuidade também: “querida, siga a voz do seu coração” ou “mete a cara, você não tem nada a perder”. E o cavalo sai desembestado sem saber onde precisa chegar apenas sentindo a emoção.

Leia mais: A impulsividade e suas consequências

Agora imagine essa carroça cheia de razão, cheinha, é tanta razão que o cavalo nem consegue sair do lugar, o peso é tamanho que a carroça não sai do lugar. E o cavalo empaca.

Agora veja seu objetivo logo ali na frente.

O que é preciso para que este cavalo chegue até o destino que tanto deseja?

Pense: quem está faltando nesse desenho?

Falta você, o ego. Aquele que sente, mas também avalia. Olhe na sua carroça e sinta o peso da razão que está disposto a carregar. Reflita no olhar do cavalo e sinta o momento, explore os seus 5 sentidos.

Leia mais: Equilíbrio, seja bem-vindo às nossas vidas

E então, arregace as mangas, assuma o controle desse cavalo que carrega conhecimento agregado em todos os seus anos de vida e siga. Vá em direção ao seu objetivo e quando chegar nele já será hora de desfrutar da conquista e alçar outros planos, novas metas, com a sabedoria de quem detém o equilíbrio entre razão e emoção.

Pegue uma folha de papel e faça um desenho semelhante, olhe para ele quando estiver prestes a tomar uma decisão. Avalie e sinta.

Luz para o bem.

Compartilhar
Natthalia Paccola
Desde que começou os estudos em Psicanálise e Psicoterapia, a jornalista, bacharel em Direito e mestre em Ciências Naturais pela Unicamp,  Natthalia Paccola levanta uma premissa sobre a sua vida profissional: nunca aceitaria rótulos ou doutrinas acadêmicas. Mas é claro que sofre influências de vários pensadores.Sua grande fonte de inspiração como autoridade em levar Luz para o Bem através de mídias sociais, no entanto,  tem sido os seus próprios seguidores, cerca de 10 milhões que passam semanalmente pela sua Fanpage, Grupos, YouTube, Site, Instragram ou Twitter.




SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA