O que causa melancolia / depressão melancólica ?

O início destes episódios geralmente não é causado por um evento específico, e mesmo quando algo de bom acontece, o humor do indivíduo não melhora, nem mesmo por um curto período de tempo.

Para esclarecer o tipo de transtorno de saúde mental que você tem, o seu médico pode usar especificadores.

Por exemplo, se você tem depressão grave com sintomas de melancolia, você pode ser diagnosticado como tendo transtorno depressivo maior (a doença mais ampla) com características melancólicas (os sintomas específicos).

Os sintomas da melancolia (depressão melancólica)

Para ser diagnosticado com depressão melancólica você deve ter pelo menos três destes sintomas:

◾A qualidade distinta de humor depressivo caracterizado por um profundo desânimo, desespero ou vazio. Você não está simplesmente triste ou para baixo devido a um evento de vida, como a morte de um ente querido

◾A depressão é consistentemente pior de manhã

Leia mais: Maria Rita Kehl: “A depressão cresce a nível epidêmico”

◾acorda de manhã cedo, pelo menos, duas horas mais cedo do que o normal

◾Distúrbios psicomotores, desaceleração do movimento normal, ou agitação, movimento irregular

Anorexia ou perda de peso

◾culpa excessiva ou inapropriada

As pessoas com maior risco de ter Melancolia

◾Pessoas mais velhas

◾pacientes internados

◾Aqueles que experimentam características psicóticas

A história da melancolia

O termo melancolia é um dos termos mais antigos que usamos em psicologia. Tem sido usado desde Hipócrates que introduziu-o no quinto século antes de Cristo e significa “biles negra” em grego.
Isto é apropriado porque Hipócrates acreditava que excesso de bile negra, um dos “quatro humores”, causava a melancolia.

Os sintomas da melancolia que ele categorizava são quase idênticos aos sintomas que usamos hoje, incluindo medo, não querer comer, insônia, nervosismo, agitação e tristeza.

Outras doenças que podem causar melancolia / depressão melancólica

A depressão é um sintoma de outras doenças também, incluindo:

Transtorno bipolar

◾transtorno Ciclotímico

◾transtorno depressivo persistente

transtorno disfórico pré-menstrual

◾Depressão que é causada por drogas ilícitas, medicamentos prescritos ou alguma doença física

Leia mais: Até 2020, a depressão será a doença mais incapacitante do mundo, diz OMS

Antidepressivos para depressão melancólica

Os remédios para melancolia são bastante usados, porque ela parece ter uma raiz biológica. Em outras palavras, uma vez que normalmente não é desencadeada por circunstâncias externas, as causas parecem ser principalmente devido à composição genética e a função cerebral, necessitando de um medicamento que funcione em causas biológicas como a função cerebral.

Tipos de antidepressivos para depressão melancólica que podem ser usados incluem:

◾Inibidores da recaptação da serotonina (SSRIs). Estes medicamentos funcionam alterando a maneira como o neurotransmissor serotonina atua no cérebro, melhorando o humor. Tipos típicos incluem Prozac (fluoxetina), Paxil (paroxetina), Zoloft (sertralina) e Lexapro (escitalopram).

◾Inibidores seletivos da recaptação da serotonina-norepinefrina. Afetam a forma de trabalho no cérebro, tanto da serotonina quanto da norepinefrina. Tipos inibidores seletivos da recaptação da serotonina-norepinefrina comuns são Cymbalta (duloxetina) e Effexor (venlafaxina).

◾Inibidores da recaptação da noradrenalina e dopamina. Wellbutrin (bupropiona) é o único medicamento desta classe que afeta noradrenalina e dopamina.

Leia mais: Antidepressivos sem terapia não têm efeito, aponta pesquisa

◾Antidepressivos atípicos. Estes medicamentos afetam substâncias químicas do cérebro que parecem melhorar o humor. Exemplos de medicamentos nesta categoria são Remeron (mirtazapina), Oleptro (trazodona), Brintellix (vortioxetine) e Viibryd (vilazodona).

◾Os antidepressivos tricíclicos. Estes são os da primeira geração de antidepressivos e podem ter mais efeitos colaterais do que as versões mais recentes. Esta categoria inclui Tofranil (imipramina), Pamelor (nortriptilina) e amitriptilina.

◾Inibidores da monoamina oxidase (MAO). Esta é uma outra antiga classe de antidepressivos que pode ter efeitos colaterais graves, mas pode ser uma boa opção para as pessoas certas. Os principais medicamentos desta classe são Parnate (tranilcipromina), Nardil (fenelzina) e Marplan (isocarboxazid).

Referências:

Telles-Correia, D, Marques, JG. “Melancholia before the twentieth century: fear and sorrow or partial insanity?” Frontiers in Psychology. 2015;6:81.

Dewhurst WG. “Melancholia and Depression: From Hippocratic Times to Modern Times.” Journal of Psychiatry and Neuroscience. 1992;17(2).

“Depression (major depressive disorder).” Mayo Clinic (2015).

(Fonte: psicoativo.com )
* Texto publicado com a autorização do administrador do site

Compartilhar
Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA