O mais difícil em uma separação é o árduo recomeço. É difícil refazer a vida e inventar alegria para os filhos que devem ser protegidos no meio de uma tempestade. É doloroso. É tristeza que pensamos nunca ter fim. É o recomeço de nós mesmos. É esbravejar fortaleza quando você se vê em cacos que levarão um bom tempo para serem colados.

Ficar casada para manter a aparência ou por comodismo é hipocrisia demais com você mesma, é magoar os dois lados fingindo um sentimento, é magoar um relacionamento que não tem mais história e está fadada ao nada.

É se esvaziar mais e mais em tentativas que se perderam no desgostar, que ficou vazio, que ficou sem jeito e sem sentimentos. Simplesmente acabou! E agora? Terapia? Enlouquecer? Não. É deixar o outro partir, para que ele e você possam ressuscitar um alguém melhor ou ter aquele sorriso de paz mais uma vez.

As crises existem. As chatices com o tempo vão aumentando, mas é preciso diálogo e cumplicidade para levar um casamento a vida toda. É preciso sexo gostoso, inventar delícias para que ambos possam se entregar um ao outro por completo, e mesmo que hajam dificuldades, é imprescindível que estejam dispostos a recomeçarem todos os dias com sentimentos de amor, paixão e dedicação. E, se isso não acontecer, olhem para vocês e assumem que passou.

Eu vivi o divórcio na minha alma, amarguei anos para que pudesse caminhar sozinha e encontrar a felicidade mais uma vez. Chorei por alguns anos, a tristeza que me rondava todos os dias, mas a confiança em uma vida nova que, eu viveria, sempre caminhou com a minha vontade de recomeçar, mesmo que as fraquezas e as negatividades fossem constantes nos meus dias. Me vi renascida para uma vida sozinha e pronta para um outro alguém, depois de um longo tempo.

Não é necessário se separar, se divorciar, o mais importante é se sentir livre para amar. Ninguém deve ficar preso em conceitos, em imposições sociais para agradar a família, a sociedade. Os filhos sofrem, é verdade, mas crescem e caminham no tempo com os seus ideais para seguirem suas vidas.

Leia Mais: Separar-se dói, mas também pode ser uma benção

Não permita ficar infeliz em um relacionamento por dinheiro, comodidade e vaidade, pois é melhor sozinha na casinha de sapê do que na casa grande todos dias, não suportando mais a presença dele que te irrita, te inibe, te faz triste ou te trata com indiferença.

Se o seu casamento não está bem. Se você se sente triste, angustiada, traída, mal amada, olhe para a frente, coloque tudo na balança da vida e do futuro para um equilíbrio melhor.

Quem sabe a culpa não é sua também? Apenas seja feliz com a opção que fizer e nunca se esqueça: a separação ou divórcio podem não salvar sua vontade de ser livre.

A liberdade é o prazer feliz de estar sozinha ou ao lado de alguém, mesmo que não seja perfeito, mas que te completa em algum sentido.

Apenas você pode decidir se vai renascer em um amor real ou continuar vivendo de fachada por obrigação. Sozinha sim, mas mal casada, muitas vezes, escravizam os sonhos de ser feliz mais uma vez.

Compartilhar

RECOMENDAMOS

Simone Guerra
Professora e colunista do site Fãs da Psicanálise.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here