Octávio Azevedo já dizia: “A vida é muito curta para longas dores.”

Hoje foi um dia que acordei pensando e sentindo algo que eu não gostaria de sentir e pensar:

“Não estou afim de me superar…”

Uma triste realidade que tive que aceitar, briguei comigo mesma por vários momentos na cama. Essa sensação continuou mesmo depois de levantar as 5h30, tomar um suco detox reforçado, fazer e tomar café da manhã, levar o marido para pegar o carro dele, levar a filha para escola, passar em frente a pista de corrida (já arrumada para o exercício) desistir e voltar para casa tentada a deitar na cama e ficar por lá o dia todo.

Houve uma briga interior intensa e depois de me sentir cansada com aquela discussão sem fim eu resolvi analisar de fora a situação… Parece meio louco, eu sei, mas é real e faz uma diferença absurda quando estamos em conflitos internos, eu aprendi a fazer isso praticando meditação, nem sempre estou presente para praticar, mas hoje eu precisava e acabou acontecendo naturalmente.

Após a minha própria observação, eu resolvi aceitar o fato de “eu não querer nada”, não querer viver intensamente aquele dia, não me sentir motivada a me superar, me transformar, me cuidar, fazer o que eu tinha que fazer (mil coisas e projetos). Decidi aceitar que eu estava com preguiça e sem sentimentos que me ajudariam a não desistir daquele dia.

Me perguntei: Por que eu não posso? E por fim aceitei.

Me dei de presente mais um tempo na cama refletindo e aceitando a minha parte que não queria NADA e aos poucos fui voltando a consciência e usando de alguns recursos que tenho para retomar a minha parte que é pura VIDA.

Sabe… Florescer não é sempre e para sempre estar escalando o topo, sempre acessível e disponível, sempre fazendo acontecer, matando um leão por dia sem descansar. Não é como se a vida fosse totalmente fácil e nunca desse vontade de jogar tudo para o alto – e nem sequer ver aonde vai cair – pois essa vontade aparece e vai continuar aparecendo.

Mas por que não se desprender da rotina em desistir quando está difícil e variar dando um presente a si mesma? Sendo generosa com você e parando de se culpar ou culpar o outro. Por que complicamos tanto, quando podemos descomplicar? Por que eu deveria ficar brigando comigo mesma para estar em nível máximo de performance em uma segunda-feira de chuva e friozinho as 5h30 da manhã? Ou por que eu deveria achar que esse meu sentimento já era um sinal de que tudo estava errado e pensar em desistir?

Por que eu não posso aceitar a minha vulnerabilidade e me dar uma trégua apenas? Isso não tem nada a ver com desistir ou ser fraca, isso tem a ver com o fato de eu ser humana.

Para florescer é preciso passar por todas as estações, e é preciso entender que é possível ter sorrisos coloridos SIM, mesmo em dias cinzas, mas não se pode forçar o desabrochar das flores no outono por exemplo, nem todas as flores desabrocham em todas as estações, é preciso se recolher uma vez ou outra para que seu desabrochar possa ser completo. E não importa aonde você parou, é sempre possível recomeçar.

Leia Mais: Uma hora, tudo se encaixa, a vida se ajeita e tudo passa a fazer sentido…

O poder que a força de vontade tem precisaria ser descrito no infinito para que todos enxergássemos sua imensidão. E foi essa força de vontade, e a clareza que tenho sobre os meus porquês, que me fizeram levantar e fazer o que tinha que ser feito, inclusive escrever esse texto para você. 😉

Eu não vim aqui somente contar esse meu momento de reflexão e retração, eu vim aqui com a intenção de também te inspirar a se entender para poder florescer, se aceitar para poder mudar aquilo que deseja, ser generosa com você para fazer sua transição sem culpa.

Antes de florescer é preciso se regar com todo sentimento que cabe dentro de nós e até aquele que não aceitamos, como a sensação de não querer fazer nada, de se sentir triste, mesmo “sem motivos”. Porque na verdade há um motivo, mas sem entendimento de si mesma você não percebe, e se não percebe e não aceita, você não muda a sua vibração, e se continuar vibrando baixo, será complicado retomar a sua vontade e a suas emoções positivas… O seu propósito, a sua força interior… e sem elas você não avança, não floresce.

Leia Mais: Pare De Levar a Vida no Piloto Automático

O problema não está em vivenciar momentos difíceis, pois isso não está em nosso controle, o problema é você não entender esses momentos e continuar se perturbando com eles, impedindo assim de vivenciar o melhor que existe em você e no universo. O problema não está em você querer desistir, o problema está em você não se perguntar o porquê desse sentimento de desistência, de abandonar tudo.

É preciso praticar constantemente a arte de reconhecer nossos sentimentos e emoções para nos descobrirmos, descobrirmos a nossa parte que deseja desistir e entender porque ela age dessa forma, do que ela tem medo, o que à assusta. Para todo sentimento ruim e para toda reação, existe uma necessidade que não foi atendida e ninguém melhor do que você para entender e ajudar a si mesma com as respostas, respostas essas que estão todas dentro de você, só é preciso silenciar, se permitir ouvir, estar presente para os seus momentos e assim agir.

Depois que eu consegui me sentir um pouco melhor (não 100%) e me levantei para agir, eu li três coisas que me impulsionaram, uma delas chegou até mim como presente do universo e as outras duas eu fui atrás como forma de me fortalecer. Vou compartilhar as 3 com vocês:

1. Texto do meu amigo de todas as horas: Minutos de Sabedoria:

“Sem esforço de nossa parte, jamais atingiremos o topo da montanha. Não desanime no meio da estrada: siga à frente, porque os horizontes se tornarão amplos e maravilhosos à medida que for subindo. Mas não se iluda, pois só atingirá o cimo da montanha se estiver decidido a enfrentar o esforço da caminhada.”

Seja qual for a sua montanha, não desista.

2. Texto de um livro simples, porém muito relevante e com histórias lindas:

“…Ouvir e escutar envolve alegria e entusiasmo pela vida e por aqueles que estão ao nosso redor. Eu sou associada de um grupo de crianças que ouvem a vida de maneiras diferentes. Shelly ouve com o coração. Ela corre para mãe e diz: “Eu vou amar você para sempre”. Yolanda ouve as criaturas ao seu redor. Ela adora pequenas criações, quando ela vê uma formiga passando, ela a pega no dedo e a chama de sua “formiga de estimação”. Days tem quase dois anos e adora livros, ela pode se sentar em uma pilha de livros e virar as páginas cuidadosamente, verificando cada uma – ouvindo o que os livros dizem a ela. Ouvir, mostra aos outros que você tem uma paixão por algo ou por alguém.”

Leia Mais: O privilégio de não saber o que fazer da vida

Eu me ouvi e com isso mostrei a mim mesma o meu amor próprio, me entendendo e me aceitando e isso me encheu de força e alegria. Você também pode fazer isso, não seja generosa apenas com o outro, você também precisa de amor e entendimento, e não espere do outro se você mesma pode fazer isso, além disso essa leitura simples me trouxe a sensação de estar complicando tudo, já que a vida é tão fluída e generosa comigo.

3. O e-mail de uma coach que me fez relembrar a minha missão e me trouxe alegria:

“…Tinha começado a escrever na terça mesmo, mas não consegui terminar, nem começar, mas queria dizer que seus e-mails de retorno são tão incríveis e me ajudam tanto, que os leio várias vezes por semana para não esquecer que tenho que continuar e ser forte e não desistir!!! Obrigado!!!”

Com essas 3 leituras, mais o despertar da minha filha, tão lindo e mágico, eu pensei: Vamos descomplicar Bethânia? Vamos viver? Realizar e fazer acontecer? Sem pressão, sem dureza, de forma fluída? A vida não precisa desse peso, na verdade ela nem tem esse peso, quem dá o peso a ela somos nós e nossos pensamentos, a vida é fluída , ela é como é, maravilhosamente bela, só precisamos encontrar as respostas que emanam do fundo do nosso coração para VIVER MELHOR.

Estamos juntas nessa jornada minha amiga, meu amigo, a vida é uma dádiva, e não por ser perfeita, pois a perfeição não é desse planeta, mas por nos dar a oportunidade de aprender e de vivê-la em suas inúmeras estações, cada dia um passo, cada dia um aprendizado, cada dia um desabrochar, sempre em direção do nosso florescer, do nosso viver.

Seja o que for que esteja te preocupando no momento presente, não desista da sua montanha, do seu florescer, dos seus porquês, se permita escutar, entender e resgatar o que dê melhor você pode oferecer; para você em primeiro lugar, depois para o outro e finalmente para o mundo, e assim se sinta feliz!

*Título original: A vida como ela é…

Compartilhar

RECOMENDAMOS

Bethania Albuquerque
Coach formada pelo Instituto de Psicologia Positiva e Comportamento (IPPC). Idealizadora do Projeto Viver e Melhor. Autora do livro digital O Poder do Otimismo Diário. Life Coach com foco no Positive Coaching e no desenvolvimento pessoal, profissional e emocional da mulher. É colunista do site Fãs da Psicanálise.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here