Com seus humores oscilantes, mudanças nos níveis de energia, dificuldades para dormir e ansiedade intrusiva, o transtorno bipolar pode ser esmagador. Administrá-lo pode parecer o mesmo.

“Há tanta coisa para cuidar, então há tantas maneiras de se atrapalhar”, disse Julie A. Fast, uma autora de best-sellers de livros sobre transtorno bipolar, incluindo Take Charge of Bipolar Disorder e Loving Someone with Bipolar Disorder.

Mas você pode se sentir melhor dando pequenos e factíveis passos todos os dias. “Os sintomas do transtorno bipolar variam muito de pessoa para pessoa, e até mesmo dentro da mesma pessoa”, disse Sheri Van Dijk, MSW, psicoterapeuta e autora de cinco livros, incluindo o Manual de Habilidades de Terapia Comportamental Dialética para o Transtorno Bipolar.

É por isso que pedimos aos especialistas que compartilhem formas gerais e eficazes de gerenciar o transtorno bipolar. Aqui estão 10 estratégias para ajudar.

1. Procure ajuda profissional.

Se você não estiver recebendo tratamento para transtorno bipolar, entre em contato com um profissional. O ideal é buscar ajuda do médico psiquiatra para fazer o diagnóstico e administrar o tratamento e de um psicoterapeuta

A medicação é crucial para o manejo do transtorno bipolar. Como observou o psicólogo John Preston, PsyD: “O transtorno bipolar é provavelmente o principal transtorno psiquiátrico em que a medicação é absolutamente essencial. Eu tive pessoas me perguntando se há alguma maneira de fazer isso sem remédio. [Minha resposta é] absolutamente não. ”

A psicoterapia também é importante para entender melhor seus sintomas e aprender habilidades eficazes. Saiba mais neste artigo sobre as quatro chaves para o tratamento do transtorno bipolar.

2. Tome a medicação conforme prescrito.

Siga as instruções precisas do seu médico ao tomar medicação. Não interrompa a medicação por conta própria (o que pode piorar os sintomas e desencadear um novo episódio).

Em vez disso, se você estiver com efeitos colaterais problemáticos ou outras preocupações, converse, com seu médico. Anote suas preocupações e perguntas específicas e ligue para seu médico para agendar uma consulta.

Lembre-se de que você é uma equipe no tratamento de sua doença. Você tem todo o direito de expressar suas dúvidas e preocupações. Isso ajuda a encontrar o tratamento mais eficaz para você.

3. Organize sua medicação.

Facilite a sua medicação. Mantenha avisos de horários para a administração do medicamento, seja no seu celular, em bilhetes no vidro do banheiro e na geladeira. O importante é nunca deixar de toma-los.

4. Lembre-se de que fugir do tratamento faz parte da doença (não do tratamento verdade).

Imagine ter um ginásio super barulhento em sua cabeça, e a voz principal é a sua. A depressão é uma crítica interior exagerada, então converse com essa voz que lhe critica o tempo todo, dê ordens para que ela desapareça. Lembre-se: você manda na sua mente e no seu corpo!

Tais pensamentos que lhe assombram podem ser: “Você não é digno de amor. É por isso que você é solteiro. Olhe para aquele casal ali. Todo mundo está feliz e você não está. O trabalho nem é uma opção para você. Olhe para as alianças de casamento. Todo mundo é casado e não você!”

Esse tipo de conversa é típico da depressão bipolar. Quando seus pensamentos negativos começam a girar, lembre-se: “Essa é a sua depressão. Você não é assim quando está bem. Não se envolva com o que seu cérebro está dizendo. Concentre sua energia em acabar com a depressão para que esse falatório pare ”.

5. Mostre seus sintomas.

Mantenha um gráfico diário de seu humor, sono, irritabilidade, ansiedade, exercício e outros sintomas ou hábitos importante. Esta é uma maneira útil de prevenir um episódio de humor ou diminuir sua gravidade. Um gráfico fornece informações sobre seus sintomas pessoais e como eles se manifestam.

Isso ajuda você a identificar padrões também. Por exemplo, se você perceber que seu humor está mais baixo, você está dormindo mais e parou de se exercitar, sabe que precisa de uma consulta médica.

É importante aprender sobre o que você pensa, diz e faz no começo de uma oscilação de humor, para que você possa pará-la antes que ela vá longe demais. Por exemplo, um de seus gatilhos de mania é comprar. “Se de repente eu quiser comprar um novo guarda-roupa e comprar muitos brincos, eu sei que é mania e é melhor eu cuidar dele rapidamente, ou eu vou estar em apuros.”

Pensamentos suicidas são um sinal de depressão e psicose leve. “Se ouço uma voz que diz: ‘Você deve andar na frente do ônibus e morrer’, eu sei que estou deprimido e levemente psicótico, e que é hora de um gerenciamento de gatilho mais sério.”

6. Concentre-se no presente.

“Concentrar-se no presente, em vez de se permitir ficar preso nos pensamentos do passado e do futuro … ajude a reduzir a dor emocional em sua vida”, segundo Van Dijk.

Isso também ajuda você a perceber seus pensamentos e tomar uma atitude saudável mais rapidamente, disse ela. Além disso, aceitar sua experiência ajuda você a ter uma vida mais pacífica, disse ela.

Uma maneira de prestar atenção ao presente é se concentrar em sua respiração. “Observe quando sua atenção vagar, traga-a de volta para a respiração e aceite o que vier em sua consciência.”

Outra maneira é dar um passeio consciente. “Em vez de deixar seus pensamentos vagarem como você faria normalmente, concentre-se na caminhada: a sensação de seus pés batendo no chão, o movimento de seu corpo, as coisas que você está vendo e ouvindo ao seu redor, e assim por diante.” a mente vagueia naturalmente, simplesmente traga-a de volta ao aqui e agora e, novamente, aceite o que quer que entre.

7. Crie uma rotina de dormir.

O sono é crítico para pessoas com transtorno bipolar. De fato, a privação de sono “é um dos maiores gatilhos para um episódio maníaco”, disse Van Dijk. “É muito importante que as pessoas com transtorno bipolar tenham um horário regular de sono”.

Manter uma rotina para dormir é uma estratégia eficaz para facilitar o sono. Ele sinaliza para o seu cérebro e corpo que é hora de descansar, relaxar e dormir. A chave é se envolver em atividades calmantes. Você pode tomar um banho quente, meditar, fazer uma oração e fazer algumas leituras leves (mas fora do quarto, na cama deite apenas para dormir).

8. Evite álcool e drogas.

Ambos pioram os sintomas do transtorno bipolar e interrompem o sono. Álcool e drogas elevam a instabilidade do humor e a impulsividade, e podem até levar a um episódio maníaco ou depressivo. Eles também sabotam o tratamento. Se você está lutando contra o abuso de substâncias, entre em contato com um profissional de saúde mental.

9. Observe suas emoções.

Alguns indivíduos com transtorno bipolar têm dificuldade em vivenciar suas emoções.

Observe suas emoções prestando atenção nas sensações físicas do seu corpo e nos pensamentos que passam pela sua cabeça.

Evite atuar: não aja imediatamente. Em vez disso, lembre-se de que as emoções não são fatos. Você não precisa fazer nada sobre elas.

Pense: “Pense na sua emoção como uma onda. Lembre-se de que ele desaparecerá por conta própria, desde que você não tente afastá-lo.”

Escolha: escolha se deixar sentir essa emoção. Lembre-se de que é melhor experimentar suas emoções, em vez de evitá-las.

Ajudantes: “Lembre-se de que as emoções são ajudantes. Todas servem a um propósito e estão aqui para lhe dizer algo importante ”. Algumas emoções podem sinalizar que algo precisa mudar. Por exemplo, a raiva pode sugerir que uma situação é injusta e precisa ser corrigida.

10. Trabalhe em algo que te valorize.

Trabalhar naquilo que você faz bem, lhe dá uma sensação de realização. Que atividade você escolhe dependerá apenas de onde você está em sua vida e do que criará essa sensação de ser produtivo.

Por exemplo, um voluntariado, sair da cama às 9 da manhã em vez de meio-dia ou ir à academia três vezes por semana. Ou pode significar verificar o e-mail, se isso é algo que você tem evitado, jardinagem ou uma caminhada de 5 minutos.

– O transtorno bipolar é uma doença grave. A própria doença, juntamente com o tratamento, pode parecer esmagadora. Mas dando pequenos passos todos os dias, você pode efetivamente gerenciar e minimizar os sintomas e levar uma vida saudável e satisfatória. Se você não estiver envolvido no tratamento, entre em contato com um médico ou profissional de saúde mental. O passo mais forte e saudável que você pode dar é procurar apoio profissional.

Fonte: psychcentral
Autora: Margarita Tartakovsky, M.S.
(Imagem: Matthew T Rader)

*Texto traduzido e adaptado com exclusividade para o site Fãs da Psicanálise. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.

Compartilhar

RECOMENDAMOS



Fãs da Psicanálise
A busca da homeostase através da psicanálise e suas respostas através do amor ao próximo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here